Luís Carlos Berrini

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Luís Carlos Berrini
Nascimento 27 de janeiro de 1884
Petrópolis; Brasil
Morte 22 de maio de 1949 (65 anos)
São Paulo; Brasil
Nacionalidade brasileiro
Ocupação engenheiro civil
escritor
Magnum opus Avaliação de Imóveis (1949)

Luís Carlos Berrini (Petrópolis, 27 de janeiro de 1884 - São Paulo, 22 de maio de 1949) foi um engenheiro brasileiro, especialmente conhecido por seus trabalhos sobre análise vetorial.

Trajetória[editar | editar código-fonte]

Início

O engenheiro Luiz Carlos Berrini graduou-se em engenharia civil pela Escola de Engenharia Mackenzie freqüentando depois a Universidade de Cornell nos Estados Unidos onde concluiu o curso de Mecânica e Eletricidade.[1]

Primeiros anos

Passou os primeiros anos de sua vida profissional lecionando na escola de engenharia Mackenzie e a partir de 1919, passa a dedicar-se à construção civil no Estado de São Paulo.[2]

Avaliação e cálculos

Em 1927, começou a trabalhar como avaliador oficial do Banco do Estado de São Paulo onde se especializou na área de perito avaliador e passou a publicar vários artigos.[2] Foi quando surgiu seu primeiro livro em 1941, Avaliação de Terrenos[3], com grande sucesso no Brasil e em outros países. Em 1946 traduziu e publicou o livro Avaliação de Terrenos Urbanos.[4] O cálculo como parte de seu ofício fez com que o engenheiro escrevesse diversos artigos sobre Análise Vetorial tornando-se referência no assunto.[1] Seus artigos deram origem ao seu livro Análise Vetorial Elementar publicado em 1948.[2] Neste mesmo ano publica a obra Tabela de Quadrados e Raízes Quadradas de 1 a 10 000.

Em fevereiro de 1949, um pouco antes de sua morte, publica Avaliação de Imóveis, excelente obra que vendeu milhares de exemplares em várias edições mesmo após sua morte, e que passa a ser chamada de “Bíblia” da engenharia de avaliações como é conhecida até hoje.[5]

Que conforme sua própria expressão constitui:

uma remodelação completa de seus anteriores.
L C Berrini no prefácio do seu livro Avaliação de Imóveis (1949) [6]

Harper-Berrini[editar | editar código-fonte]

O engenheiro criou uma nova fórmula para cálculos de lotes que ficou denominada de fórmula Harper-Berrini amplamente utilizada até a década de 80 e nos dias de hoje com versões modificadas de suas formulações iniciais.[5]

Síntese da fórmula
X √ [7]

sendo:

  • é o valor final de um terreno;
  • é o valor unitário do terreno, referido a um lote de terreno padrão, por metro linear de testada;
  • é a área do terreno;
  • é o comprimento da testada ;
  • é a profundidade-padrão definida na legislação para a região onde se situe o terreno.

Publicações[editar | editar código-fonte]

Obras
  • Avaliação de Terrenos (1941)[3]
  • O Processo de Avaliação (1943) - George L. Schmutz (tradução)
  • Avaliação de Terrenos Urbanos (1946) - Ronald B. Welch (tradução)
  • Análise Vetorial Elementar (1948)
  • Tabela de Quadrados e Raízes Quadradas de 1 a 10 000 (1948)
  • Avaliação de Imóveis (1949)

Morte[editar | editar código-fonte]

Em 22 de maio de 1949 faleceu na cidade de São Paulo sendo sepultado no Cemitério da Consolação.[1][8]

Homenagem[editar | editar código-fonte]

Em sua homenagem em data de 5 de março de 1965 foi denominada,[9] avenida Engenheiro Luís Carlos Berrini, uma importante via na cidade de São Paulo, no distrito do Itaim Bibi.[2] No ano 2000 a CPTM abriu uma nova estação de trens na Marginal Pinheiros batizada Berrini.[10] Em 2015 foi aberto, pela SPTrans, o corredor de ônibus Corredor Berrini - Chucri Zaidan, instalado em parte da avenida homônima.[11]

Referências

  1. a b c Arquivo Histórico de São Paulo. «AVENIDA ENGENHEIRO LUIZ CARLOS BERRINI». Consultado em 10 de junho de 2020 
  2. a b c d «Descubra quem foi Luís Carlos Berrini». VEJA SÃO PAULO. Consultado em 7 de junho de 2020 
  3. a b «Engenharia de Avaliações –1». Francisco Maia & Associados. 29 de abril de 2007. Consultado em 12 de junho de 2020. Cópia arquivada em 12 de junho de 2020 
  4. Livrarias Freitas Bastos (12 de setembro de 1946). «Anúncio publicitário do livro Avaliação de Terrenos Urbanos». Correio Paulistano, ano XLVI, edição 14908, página 6/ republicado pela Biblioteca Nacional-Hemeroteca Digital Brasileira. Consultado em 14 de junho de 2020 
  5. a b COBREAP. «HISTÓRICO DA AVALIAÇÃO DE IMÓVEIS NO BRASIL - páginas 6 e 7» (PDF). 2013. Consultado em 9 de junho de 2020 
  6. LC Berrini. «Avaliações de Imóveis - Prefácio - páginas 6» (PDF). 1949. Consultado em 9 de junho de 2020 
  7. Consultor Municipal. «AS AVALIAÇÕES DE IMÓVEIS POR ÓRGÃOS MUNICIPAIS - 1.Os modelos matemáticos». 7 de junho de 2017. Consultado em 9 de junho de 2020 
  8. «Necrologia-4ª Coluna». Correi oPaulistano, ano XCV, edição 28567, página 2/republicado pela Biblioteca Nacional-Hemeroteca Digital Brasileira. 24 de maio de 1949. Consultado em 14 de junho de 2020 
  9. Câmara Municipal de São Paulo. «Decreto nº6.073» (PDF). 5 de março de 1965. Consultado em 10 de junho de 2020 
  10. Ralph Mennucci Giesbrecht. «Berrini». Estações ferroviárias do Brasil. Consultado em 14 de junho de 2020 
  11. «Corredor de ônibus da Berrini é inaugurado com sete meses de atraso». G1-SP. 28 de dezembro de 2015. Consultado em 14 de junho de 2020