Luxottica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Luxottica
Razão social Luxottica Group S.p.A.
Empresa de capital aberto
Slogan “Better together”[1]
(em Inglês)
Cotação BIT: LUX
NYSE: LUX
Indústria Dispositivos médicos
Franquia
Varejo
Fundação 1961 (57 anos) em Agordo, Vêneto,  Itália
Fundador(es) Leonardo Del Vecchio
Sede Milão,  Itália
Área(s) servida(s) Mundo
Pessoas-chave Francesco Milleri
(Vice-presidente e diretor executivo)[2]
Empregados 79.000 (2015)[3]
Produtos Óculos, Óculos de grau, Óculos de sol
Serviços Oculistas, varejo óptico e varejo sol
Ativos Aumento € 9.649 bilhões (2015)[3]
LAJIR Aumento € 1.376 bilhões (2015)[3]
Faturamento Aumento € 8.837 bilhões (2015)[3]
Website oficial Luxottica.com

A Luxottica Group S.P.A. (NYSE: LUX) é uma empresa italiana fabricante, distribuidora e varejista de óculos. É a maior empresa fabricante de óculos do mundo e foi fundada em 1961, por Leonardo Del Vecchio.[4]

A Luxottica tem um largo histórico em licenciamento de marcas de luxo, como Jean Monnier, Bulgari, Chanel, Dolce & Gabbana, Armani, Giorgio Armani, Miu-Miu, Valentino, Tiffany & Co, Michael Kors, Emporio Armani, Prada, Versace e Vogue Eyewear.[5] Além de deter o controle acionário de outras marcas como Ray-Ban, Sunglass Hut, Oakley e Óticas Carol.[6]

Em 16 de Janeiro de 2017 anunciou uma fusão com a Essilor, a companhia resultante da fusão EssilorLuxottica se tornou a maior produtora de óculos e lentes de contato do mundo, com receitas superiores a € 15 bilhões e mais de 140.000 funcionários.[7]

História[editar | editar código-fonte]

Em 1941, Leonardo Del Vecchio um ex-metalúrgico, começou uma pequena fundição que fazia armaduras para óculos na região de Agordo, norte de Vêneto na Itália.[8]

Em 1990, se tornou a primeira empresa italiana a ser listada na NYSE e em uma bolsa de valores dos Estados Unidos, retirando suas ações e concentrando todos os negócios apenas em 2017 na Borsa Italiana.[9]

Em 2017 anunciou uma fusão com a Essilor, a companhia resultante da fusão EssilorLuxottica se tornou a maior produtora de óculos e lentes de contato do mundo, alterando sua sede para Paris e negociando suas ações na Euronext Paris.[10] As receitas da nova empresa foram para mais de € 15 bilhões e o valor de mercado na época da fusão era de € 46 bilhões de euros, além de empregar mais de 140.000 funcionários.[7] A fusão entre as duas empresas foi analisada e aprovada aprovada pelos órgaos antitruste da União Européia em Setembro de 2017 e pela US Federal Trade Commission (FTC) em Março de 2018.[11][12] No Brasil, a fusão foi aprovada pelo CADE em fevereiro de 2018.[13]

Marcas Próprias[editar | editar código-fonte]

*Arnette
  • Polo Ralph Lauren
  • Alain Mikli
  • Eye Safety Systems
  • K&L
  • Mosley Tribes
  • Oakley
  • Oliver Peoples
  • Persol
  • Ray-Ban
  • Revo
  • Sferoflex
  • Vogue Eyewear

Críticas[editar | editar código-fonte]

A Luxottica têm sido acusada de exercer monopólio sobre a indústria varejista de óculos no mundo, exercendo preços altos e desleais sobre suas marcas mais famosas, como Ray-Ban e Oakley Inc. entre outras.[14]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Ed Frauenheim (7 de novembro de 2011). «Luxottica Group Optimas Award Winner for Managing Change» (em inglês). Workforce. Consultado em 25 de janeiro de 2017. 
  2. «Francesco Milleri replaces Massimo Vian as the new CEO of Luxottica». Consultado em 23 de janeiro de 2018. 
  3. a b c d «Annual Report 2015» (PDF) (em inglês). Luxottica. Consultado em 29 de abril de 2016. 
  4. Reuters (21 de junho de 2007). «Luxottica to Buy a U.S. Sunglasses Maker» (em inglês). New York times. Consultado em 25 de fevereiro de 2017. 
  5. Brett Arends (22 de julho de 2010). «Are Designer Sunglasses Worth the Price?» (em inglês). The Wall Street Journal. Consultado em 25 de fevereiro de 2017. 
  6. Época Negócios (16 de janeiro de 2017). «Luxottica, fabricante da Ray Ban e Oakley, se une a Essilor e cria gigante das óticas». Época Negócios. Consultado em 25 de fevereiro de 2017. 
  7. a b «Luxottica, dona da Ray-Ban, e fabricante de lentes Essilor anunciam fusão». G1. 16 de janeiro de 2017. Consultado em 29 de abril de 2018. 
  8. Forbes. «#37 Leonardo Del Vecchio & family» (em inglês). Forbes. Consultado em 25 de fevereiro de 2017. 
  9. Vivian Hendriksz (17 de abril de 2018). «Luxottica Group withdraws from New York stock exchange» (em inglês). Fashion Unites. Consultado em 29 de abril de 2018. 
  10. «Essilor compra a Luxottica y crea un gigante de la óptica de 49.000 millones de euros» (em espanhol). Modaes. 16 de janeiro de 2017. Consultado em 29 de abril de 2018. 
  11. «EU/US: EC, FTC clear €48bn Essilor-Luxottica merger» (em Inglêsl). Competicion Poliy International. 1 de abril de 2001. Consultado em 29 de abril de 2018. 
  12. Reuters (26 de setembro de 2017). «UE vai investigar fusão de US$ 54 bilhões entre Luxottica e Essilor». G1. Consultado em 29 de abril de 2018. 
  13. Reuters (27 de março de 2018). «Cade nega recurso e mantém aprovação a fusão entre Essilor e Luxottica». Forbes. Consultado em 29 de abril de 2018. 
  14. Olivia Fleming (9 de outubro de 2012). «Luxottica the eyewear company total domination setting astronomical prices» (em inglês). Daily Mail. Consultado em 25 de fevereiro de 2017. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]