Ferrari

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Ferrari (desambiguação).
Ferrari
Sede da Ferrari em Maranello.
Empresa de capital aberto
Cotação NYSE: RACE
BIT: RACE
Atividade Automotiva
Fundação Originalmente em 13 de setembro de 1939 (80 anos)
Oficialmente em 1947 (72 anos)
Fundador(es) Enzo Ferrari
Sede Amsterdã, Países Baixos (de jure)
Maranello, Emilia-Romagna, Itália (de facto)
Proprietário(s) Exor (32,75%)
Piero Ferrari (10,0%)[1]
Presidente John Elkann (Chairman)
Pessoas-chave Piero Ferrari (Vice Chairman)

Louis Camilleri (CEO)

Empregados 3.115 (em 2016)[1]
Produtos Automóveis
Lucro Aumento €$ 399,0 milhões (2016)[1]
LAJIR Aumento €$ 595,0 milhões (2016)[1]
Faturamento Aumento €$ 3,105 bilhões (2016)[1]
Website oficial www.ferrari.com

Ferrari é uma fabricante italiana de carros esportivos de luxo com sede em Maranello. Fundada por Enzo Ferrari em 1939 na divisão de corridas da Alfa Romeo com o nome Auto Avio Costruzioni, a empresa construiu seu primeiro carro em 1940. No entanto, o início da empresa como fabricante de automóveis é geralmente reconhecido em 1947, quando o primeiro carro com o nome Ferrari foi concluído.

Em 2014, a Ferrari foi classificada como a marca mais poderosa do mundo pela consultoria Brand Finance.[2] Em junho de 2018, o 250 GTO de 1964 tornou-se o carro mais caro da história, estabelecendo um recorde de venda de 70 milhões de dólares.[3][4]

O Grupo Fiat adquiriu 50% da Ferrari em 1969 e expandiu sua participação para 90% em 1988.[5] Em outubro de 2014, a Fiat Chrysler Automobiles (FCA) anunciou suas intenções de separar a Ferrari S.p.A. da FCA; no momento do anúncio, a FCA detinha 90% da Ferrari.[6][7][8] A separação começou em outubro de 2015 com uma reestruturação que estabeleceu a Ferrari NV (uma empresa constituída nos Países Baixos) como a nova holding do Grupo Ferrari e a subseqüente venda pela FCA de 10% das ações em uma oferta pública inicial e listagem simultânea de ações ordinárias na Bolsa de Nova York.[9] Através das etapas restantes da separação, o interesse da FCA nos negócios da Ferrari foi distribuído aos acionistas da FCA, com 10% continuando a ser propriedade de Piero Ferrari.[10] O spin-off foi concluído em 3 de janeiro de 2016.[9]

Ao longo da sua história, a empresa tem se destacado por sua participação contínua em corridas, especialmente na Fórmula 1, onde é a equipe de corrida mais antiga e mais bem sucedida, detendo o maior número de vitórias (15).[11] Os carros de estrada da Ferrari são geralmente vistos como um símbolo de velocidade, luxo e riqueza.[12]

Historia[editar | editar código-fonte]

Enzo Ferrari na década de 1920.

O famoso símbolo é um cavalo negro que tinha quatro patas apoiada no chão e agora tem duas, empinado num fundo amarelo, sempre com as letras S F de Scuderia Ferrari. O cavalo era originalmente o símbolo do Conde Francesco Baracca, um lendário "asso" (ás) da força aérea italiana durante a Primeira Guerra Mundial, que o pintou na lateral de seus aviões. Baracca morreu muito jovem em 19 de Junho de 1918, abatido após 34 duelos vitoriosos e muitas vitórias em grupo, tornando-se assim um herói nacional.Baracca queria o cavalo empinado nos seus aviões porque a sua esquadra, os "Battaglione Aviatori", fora inscrita num regimento da Cavalaria (as forças aéreas estavam nos seus primeiros anos e não tinham administração separada), e também porque ele mesmo tinha a reputação de melhor cavaliere (cavaleiro) de sua equipe.[13]

Em 15 de junho de 1923, Enzo Ferrari ganhou uma corrida no circuito de Silvio em Ravena onde conheceu a Condessa Palina, mãe de Baracca. A Condessa pediu que ele usasse o desenho de um cavalo nos seus carros, sugerindo que isso lhe daria boa sorte, mas a primeira corrida na qual a Alfa Romeo permitiu o uso do cavalo nos carros da Scuderia foi onze anos depois, nas 24 Horas de Spa em [1932. A Ferrari ganhou. Ferrari deixou o cavalo negro como havia sido feito no avião de Baracca; contudo, ele adicionou um fundo amarelo porque era a cor símbolo de sua terra natal, Modena.[13]

Réplica de um Ferrari 125 S.
Ferrari SF15-T (2015)

Uma das imagens de marca da Ferrari é a sua cor "rosso corsa" (vermelho de corrida). A utilização dessa cor teve início nos anos 1920, altura em que a entidade que viria a ser chamada de FIA, impunha que as marcas italianas teriam de apresentar cor vermelha, as francesas azul, as alemãs prateada, as holandesas laranja, as belgas amarela, as inglesas verde e as norte-americanas branca.

O cavalo empinado não foi sempre identificado como marca apenas da Ferrari: Fabio Taglioni usou-o nas suas motocicletas Ducati. O pai de Tagliani foi, de fato, um companheiro de Baracca e lutou com ele no 81º Esquadrão Aéreo, mas ao passo que a fama da Ferrari cresceu, Ducati abandonou o cavalo; esse pode ter sido o resultado de um acordo privativo entre as duas marcas.

Em 1940 a Alfa Romeo é absorvida pelo governo de Mussolini e utilizada como porta-estandarte do seu governo. Por esta altura a Scuderia Ferrari, impedida de ingressar em competições automotivas, passa a construir acessórios para aviões e peças para máquinas. Com o final da Segunda Guerra Mundial e queda do regime de Mussolini, é fundada a marca Ferrari, com o lançamento do seu primeiro modelo de estrada em 1947. O modelo lançado nesse ano foi a Ferrari 125 Sport com um motor V12 de 1500 cc.

Em 1951 a Ferrari consegue a sua primeira vitória na Fórmula 1 e, em 1955, Juan Manuel Fangio ganha o campeonato mundial ao volante de uma Ferrari. Esse foi também um ano triste para Enzo Ferrari com a morte do seu filho Dino. Em 1961 os tempos começaram a ficar difíceis para a Ferrari, depois de conflitos internos que levaram à saída de vários membros da direção. A Ferrari, mesmo assim, conseguiu alcançar um grande número de vitórias em competição e elevar o seu nome. Na década de 1960 a Ford tentou comprar a Ferrari, tendo em vista as competições automotivas. Mas essa tentativa falhou e a Ford criou o Ford GT40 que conseguiu acabar com o domínio da Ferrari nas 24h de Le Mans, que vigorou desde 1942 até 1960. Como resultado dos problemas financeiros que a Ferrari estava atravessando, a FIAT adquiriu parte da Ferrari em 1942 aumentando-a para 15% em 1960.

Para comemorar os 40 anos de existência da Ferrari, é lançado em 1987 a Ferrari F40, sendo esse o carro de estrada mais rápido do mundo até a altura. Em 1988 Enzo Ferrari morre com a idade de 91 anos e nesse mesmo ano a FIAT aumenta o seu controle para 90%. Em 1997 a Ferrari adquire 15% da Maserati à FIAT, passando a ter total controle da marca em 1999. A Ferrari utilizou a Maserati como a sua divisão de luxo até 2005, altura em que o controle regressaria à FIAT. A Ferrari continuou a alcançar grandes feitos na competição automotiva, conseguindo vencer a Fórmula 1, na categoria de construtores, de 1999 até 2002 com os pilotos Michael Schumacher e Rubens Barrichello. Em 2002 a Ferrari, em memória do seu fundador, lança a Ferrari Enzo: um super esportivo baseado na tecnologia utilizada na Fórmula 1.

Scuderia Ferrari[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Scuderia Ferrari

A Scuderia Ferrari[15] é uma equipe de automobilismo da Ferrari que compete no campeonato da Fórmula 1. É a equipe mais antiga em atividade na categoria. A Ferrari é a equipe mais vitoriosa e bem sucedida da história da F1. No Grande Prêmio da China de 2007 a equipe atingiu a incrível marca de 200 triunfos em GPs.[16]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e Ernst & Young Accountants LLP (25 de Fevereiro de 2016). «Ferrari N.V. 2016 ANNUAL REPORT» (PDF). Site da Ferrari. Consultado em 10 de Janeiro de 2016 
  2. Haigh, Robert (18 de fevereiro de 2014). «Ferrari – The World's Most Powerful Brand». Brand Finance. Consultado em 9 de fevereiro de 2015 
  3. Strohl, Daniel (5 de junho de 2018). «Ferrari 250 GTO sells for $70 million, becomes world's most expensive car». Hemmings Motor News. Consultado em 28 de agosto de 2018 
  4. «Ferrari GTO Becomes Most Expensive Car at $35 Million». bloomberg.com. Consultado em 3 de junho de 2012 
  5. «Fiat Raises Stake In Ferrari to 90%». The New York Times Company. 8 de setembro de 1988. Consultado em 10 de abril de 2014 
  6. «Fiat 2013 Annual Report» (PDF). Fiat S.p.A. Consultado em 13 de agosto de 2014 
  7. «FCA Announces Board Intention to Spin Off Ferrari S.p.A» (PDF). Fiat S.p.A. Consultado em 28 de outubro de 2014 
  8. Sylvers, Eric (3 de março de 2015). «Fiat Chrysler May Sell More of Ferrari in IPO Sale». The Wall Street Journal. Consultado em 31 de maio de 2015 
  9. a b «Questions and answers regarding the Ferrari spin-off». Ferrari. Consultado em 7 de janeiro de 2016 
  10. Visnic, Bill (23 de julho de 2015). «Wall Street, Buckle Up! Ferrari Officially Files For IPO». The Wall Street Journal. Consultado em 24 de julho de 2015 
  11. «Ferrari». www.wise-motorist.com. Arquivado do original em 8 de agosto de 2016 
  12. «Luxury supercars». theaustralian.com.au. Consultado em 31 de maio de 2016 
  13. a b «History of Enzo Ferrari». auto.ferrari.com. Consultado em 31 de maio de 2016 
  14. «Formula Rossa | World's Fastest roller coaster». Ferrari World Abu Dhabi. 4 de julho de 2015. Consultado em 28 de novembro de 2015 
  15. «2019 FIA Formula One World Championship Entry List». Fédération Internationale de l'Automobile. 28 de fevereiro de 2019. Arquivado do original em 28 de fevereiro de 2019 
  16. «Na China, Raikkonen comemora 200ª vitória da Ferrari». estadao.com.br. Consultado em 21 de dezembro de 2011 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Ferrari