Míriam Martinho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Míriam Martinho
Nascimento 6 de março de 1954 (64 anos)
Rio de Janeiro
Cidadania Brasil
Alma mater Universidade de São Paulo
Ocupação jornalista

Míriam Martinho (Rio de Janeiro, 1954) cresceu na cidade de São Paulo e é uma das figuras históricas e pioneiras do Feminismo[1] e do Movimento Homossexual Brasileiro.[2] Martinho formou-se em Letras pela Universidade de São Paulo (USP)[3] e em Tradução pela Associação Alumni[4].

Martinho fundou o Grupo Lésbico-Feminista (1979-1981) e juntamente com Rosely Roth, outra renomada ativista lésbica do Brasil, em outubro de 1981, o Grupo Ação Lésbica-Feminista ou GALF (1981-1990). Ela também concebeu e produziu o jornal Chanacomchana que circulou na década de '80 e a revista Um Outro Olhar (1989-2002). Em 1983, Martinho participou da manifestação no Ferro's Bar[5][6] em São Paulo, conhecido por muitos como o Stonewall brasileiro. Também foi co-fundadora da Rede de Informação Um Outro Olhar,[7] em 1989, oficializada em 12 de abril de 1990, uma entidade civil e apartidária e a primeira organização brasileira a dedicar-se especialmente à saúde da mulher lésbica do país.

Presentemente (2009), mantendo a sua jornada de militante pelos Direitos Humanos, entre outras atividades profissionais e de voluntariado, Martinho atua como jornalista e editora-chefe dos websites Umoutroolhar[8] e Contraocorodoscontentes,[9] dois dos mais relevantes portais da Intelligentsia lésbica no Brasil.

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]