Míriam Martinho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Míriam Martinho
Nascimento julho de 1954 (64 anos)
Rio de Janeiro
Cidadania Brasil
Alma mater Universidade de São Paulo
Ocupação jornalista

Míriam Martinho (Rio de Janeiro, 1954) cresceu na cidade de São Paulo e é uma das figuras históricas e pioneiras do Feminismo[1] e do Movimento Homossexual Brasileiro.[2] Martinho formou-se em Letras pela Universidade de São Paulo (USP)[3] e em Tradução pela Associação Alumni[4].

Martinho fundou o Grupo Lésbico-Feminista (1979-1981) e juntamente com Rosely Roth, outra renomada ativista lésbica do Brasil, em outubro de 1981, o Grupo Ação Lésbica-Feminista ou GALF (1981-1990). Ela também concebeu e produziu o jornal Chanacomchana que circulou na década de '80 e a revista Um Outro Olhar (1989-2002). Em 1983, Martinho participou da manifestação no Ferro's Bar[5][6] em São Paulo, conhecido por muitos como o Stonewall brasileiro. Também foi co-fundadora da Rede de Informação Um Outro Olhar,[7] em 1989, oficializada em 12 de abril de 1990, uma entidade civil e apartidária e a primeira organização brasileira a dedicar-se especialmente à saúde da mulher lésbica do país.

Presentemente (2009), mantendo a sua jornada de militante pelos Direitos Humanos, entre outras atividades profissionais e de voluntariado, Martinho atua como jornalista e editora-chefe dos websites Umoutroolhar[8] e Contraocorodoscontentes,[9] dois dos mais relevantes portais da Intelligentsia lésbica no Brasil.

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]