Manuel Aires de Casal

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Capa da Corografia Brazilica (1817).

Manuel Aires de Casal, popularmente conhecido como Padre Aires de Casal (Pedrógão, 1754 - Portugal, 1821), foi um sacerdote, geógrafo e historiador Português, que viveu durante muitos anos no Brasil, escrevendo o primeiro livro de edição brasileira[carece de fontes?], em 1817.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Os seus dados biográficos são escassos. Afrânio Peixoto afirmou que teria nascido em Cachoeira, na Bahia, em 1757.

Após concluir os estudos primários em sua terra natal, cursou Teologia e Filosofia, tomando as ordens. Passou para o Brasil, vindo a exercer o cargo de Capelão da Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro (1796).

Exerceu a função de presbítero secular do Crato, na então Província do Ceará, em 1815.

Aires de Casal retornou a Portugal com a Família Real Portuguesa em 1821, onde veio a falecer no mesmo ano.

Tendo se dedicado ao estudo da corografia (geografia e história) do Brasil, a sua obra destaca-se, entre outros, por ser a primeira a transcrever, impressa, a Carta de Pero Vaz de Caminha.

Obra[editar | editar código-fonte]

Características[editar | editar código-fonte]

Aires de Casal redigiu a sua obra nos moldes de uma geografia clássica, fundamentada, basicamente, em descrições e inventários. Foi publicada pela Imprensa Régia em 1817[1]. Na verdade, como autor aproxima-se mais da posição de compilador e relator de acontecimentos, sem crítica, pois se utilizava de textos pré-existentes para descrever determinadas situações. Caio Prado Júnior[2] observou que, para falar dos indígenas, por exemplo, utilizou um texto de 1571, de autoria de Jerônimo Osório, que nunca estive no Brasil; outro texto utilizado por Aires de Casal é de autoria de Santa Rita Durão, que descreve os frutos brasileiros. Ao que tudo indica, Aires de Casal escreveu a sua "Corografia Brazilica" sem realizar nenhuma viagem de estudo e observação, como pode ser constatado no caso em que ele descreveu ossadas fósseis encontradas nos estados de Alagoas e Bahia [3].

Notas e referências[editar | editar código-fonte]

  1. LENCIONI, Sandra. Região e Geografia, pp. 95-96
  2. PRADO JÚNIOR, Caio. A Evolução da Geografia e a Posição de Aires de Casal. Boletim Paulista de Geografia. São Paulo, AGB, (19): 71-97, 1955
  3. Manuel Aires de Casal, o beemote de Jó e o regis-tro das ocorrências fossilíferas brasileiras no início do século XIX |date=2013| disponível em http://www.academia.edu/5506359/Manuel_Aires_de_Casal_o_beemote_de_Jo_e_o_registro_das_ocorrencias_fossiliferas_brasileiras_no_inicio_do_seculo_XIX

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • SARAIVA, José Hermano (coord.). História de Portugal – Dicionário de Personalidades. Matosinhos: QuidNovi, 2004.
  • LENCIONI, Sandra (2009). Região e Geografia. São Paulo: EdUSP. [S.l.: s.n.] ISBN 978-85-314-0515-0