Marcos Santos Parente

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Marcos Santos Parente (Bom Jesus, 1º de maio de 1922Teresina, 4 de setembro de 1958) foi um engenheiro, matemático e político brasileiro.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filho de Odilon Parente e Raimunda Santos Parente, formou-se em Engenharia em 1948, pela Escola Politécnica do Rio de Janeiro, e em Matemática pela Escola Nacional de Filosofia, também em terras fluminenses.

Membro da UDN, foi eleito deputado federal em 1954 e, no ano de 1958, foi escolhido candidato a senador, mas a campanha foi encerrada de modo trágico em razão de um acidente automobilístico ocorrido à altura do povoado Morrinhos, em 4 de setembro de 1958, fato lúgubre conhecido como a Tragédia da Cruz do Cassaco. Também faleceu nesse acidente o candidato a governador Demerval Lobão Veras, em cuja homenagem o referido povoado foi elevado à categoria de cidade com o nome de Demerval Lobão. Após a tragédia foram escolhidos como substitutos Chagas Rodrigues como candidato a governador e Joaquim Parente, não por acaso irmão de Marcos, como postulante ao Senado, ambos eleitos.

Suas ligações familiares tiveram ramificações pela política do Piauí: genro de Antônio Medeiros Filho, prefeito de União e vice-governador do estado e cunhado de Bona Medeiros, deputado estadual por sete mandatos, vice-governador (1983-1986) e governador do Piauí (1986-1987). Seu irmão foi eleito senador em 1958 e deputado federal em 1966. Cunhado do deputado federal Manoel de Sousa Santos e primo de Wilson Parente, deputado estadual por seis mandatos.

Em sua memória foi criado em 1962 o município de Marcos Parente.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um político é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.