Michael Sweet

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Michael Sweet in Tivoli, Utrecht

Michael Harrison Sweet (4 de julho de 1963) é um cantor natural de Whittier, Califórnia. Co-fundador, escritor, guitarrista, vocalista principal e lider da banda Stryper, de metal cristão. Também foi vocalista e guitarrista da banda Boston, de 2007 a 2011.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Stryper[editar | editar código-fonte]

No início dos anos 1980, Michael Sweet e seu irmão, Robert Sweet, formam uma banda chamada Roxx Regime, que chagou a tocar na cena local. A banda foi um trio por um período, sendo Sweet o único guitarrista na banda, antes da vinda de Oz Fox. A banda, posteriormente, se tornou Stryper, a primeira banda à desafiar o estereótipo de que heavy metal era satânico e levou temas cristãos para suas músicas assim como levou o matel cristão para o mainstream.

Com a banda, Sweet não foi somente o vocalista principal além de dividir as linhas de guitarra com Oz Fox, mas também escreveu a maioria das músicas, co-produziu e arranjou grande parte do portfólio musical da banda.

A banda gravou cinco álbuns de sucesso até que, por inúmeras razões, a reputação começou a declinar, nos anos 1990.

Em 2003, a convite da Holywood Records, o Stryper lança um álbum de comemoração, que posteriormente, acaba num álbum de inéditas e a banda volta às atividades gravando novos álbuns e excursionando pelo mundo.

Com o Stryper, Sweet passou pelo Brasil nos anos 2006, 2011, 2013 e 2014.

Solo[editar | editar código-fonte]

Após nove anos como vocalista/guitarrista do Stryper, Michael Sweet deixa a banda em 1992 para buscar uma carreira solo. Seu primeiro registro foi um EP demo intitulado Unstryped, cujo qual continha cinco faixas, algumas delas, supostamente, direcionadas à sua antiga banda. As músicas desse álbum, posteriormente foram inclusas no seu primeiro álbum completo.

Em 1994 lança seu álbum homônimo, Michael Sweet, que vendeu mais de 250.000 cópias, seguido por um álbum soft rock/pop rock intitulado Real, em 1996.

Após deixar a Benson Records, com quem gravou os dois álbuns referidos, Michael se muda para Massachusetts com sua até então esposa Kyle para trabalhar num camping/plantação de cranberry, Maple Park. Em 1998, Sweet grava um EP demo chamado Truth que foi bem aceito pela crítica, e então assina com o o selo Restless Records e re-lança o Truth com uma lista de músicas diferente da demo e com uma nova arte de capa também.

Em Agosto de 2006, Michael Sweet lança um álbum intitulado Him, que contém leituras de hinos cristãos tradicionais re-arranjados por ele mesmo. No ano de 2007, após a morte de sua esposa Kyle, Michael Sweet lança um álbum chamado Touched, em memória à ela.

Em 2014, Sweet lança o álbum I'm Not Your Suicide, junto com sua autobiografia: Honestly: My Life And Stryper Revealed.

E em 2016, o álbum One Sided War.

Com a carreira solo, Sweet passou pelo Brasil em 2017.

Boston[editar | editar código-fonte]

Em 19 de Agosto de 2007, Michael Sweet foi convidado pelo guitarrista do Boston, Tom Scholz para ser um dos vocalistas/guitarristas para o Come Together: A tribute to Brad Delp, um show tributo ao vocalista da banda, morto por suicídio no mesmo ano. Nomes como Sammy Hagar, Mickey Thomas e Ann Wilson estavam entre os convidados e Tom, tocado pelo que Sweet tinha escrito sobre Brad Delp em suas redes sociais, o chama para fazer parte do tributo. Após a apresentação, Tom Scholz, impressionado com o talento de Michael Sweet, o chama para excursionar com a banda naquele verão, o que se prolongou até o mês de Agosto de 2011, quando Sweet anuncia que deixaria o Boston para se dedicar e focar em outras prioridades, como a carreira solo e o Stryper.

Stryper Reunido[editar | editar código-fonte]

Em 1999, Michael Sweet se encontra com seus antigos colegas de banda, Oz Fox e Tim Gaines durante um concerto em Porto Rico. A apresentação incluía a carreira solo de Sweet e também a banda de Oz e Tim, chamada SinDizzy. Eles três se juntaram no palco fazendo um setlist de quatro músicas. No ano seguinte, um evento chamado Stryper Expo, sediada em New Jersey foi responsável por reunir os quatro integrantes originais no palco novamente.

Em 2005, após a saída do baixista original, Tim Gaines, o Stryper volta para o estúdio com o novo baixista, Tracy Ferrie, para gravar o álbum que foi lançado como Reborn, produzido pelo próprio Michael Sweet, que também continuava com sua carreira solo, lançando o álbum Him, no ano posterior. Em 2009, após a volta de Tim Gaines no contrabaixo, a banda lança o álbum Murder by Pride, produzida por Michael Sweet e com a arte de capa de um brasileiro, Gilvan Rangel Jr., que teve a arte de capa decidida a partir de um concurso via web.

Em Setembro de 2009, o Stryper embarca em uma tour mundial de 25 Anos da banda chamada: Rocking the Hell Out of You for 25 years com os membros originais.

Em 2011, o Stryper lança um álbum também co-produzido por Sweet chamado The Covering, álbum em que eles regravaram clássicos do Rock/Metal que os influenciaram durante suas histórias. Regravações de bandas como Ufo, Scorpions, Black Sabbath, Kansas, Deep Purple, Kiss, Iron Maiden, Ozzy Osbourne, Van Halen e Led Zeppelin estão na lista de covers além de uma música inédita chamada God formam o álbum.

Em 2013 dois álbuns de estúdio foram lançados. Um, o Second Coming, que são regravações da própria banda, e o outro, No More Hell to Pay, de inéditas. Pouco tempo depois, ainda lançou o CD/DVD Stryper: Live at the Whiskey, gravado no mesmo ano na casa de shows Whiskey a Go Go, na Sunset Strip, rua conhecida pelas casas de shows e bares famosa nos anos 80 por ser ponto de encontro de grande parte das bandas de Hard/Heavy Metal da costa oeste.

Em 2015, a banda lança o álbum Fallen, com a Rat Pak Records, e em 2018, o álbum God Damn Evil.

Sweet & Lynch[editar | editar código-fonte]

Também em 2015, Michael Sweet se junta à George Lynch, um dos fundadores e ex-integrante do Dokken e grava um álbum de estúdio como Sweet & Lynch, chamado Only to Rise. O supergrupo/projeto Sweet & Lynch ainda conta com James LoMenzo, ex-White Lion e ex-Megadeth, no contrabaixo e Brian Tichy, ex-Whitesnake e ex-Foreigner na bateria. Only to Rise foi lançado em 27 de Janeiro de 2015.

Em 2017, Sweet & Lynch lançou o álbum Unified, pela Frontier Records.

Vida Pessoal[editar | editar código-fonte]

Michael Sweet foi casado com Kyle Rae Sweet, com quem teve dois filhos, Ellena Sweet e Michael Sweet Jr. Sweet a conheceu durante a gravação do primeiro clipe do Stryper, Kyle foi sua maquiadora. Eles viveram juntos por 22 anos até o falecimento dela, que tinha sido diagnosticada com câncer no ovário à apenas dois anos antes.

Pouco tempo depois, Michael conheceu Lisa Champagne, com quem se casou numa cerimônia privada.

Discografia[editar | editar código-fonte]

Solo[editar | editar código-fonte]

  • Michael Sweet (1994)
  • Real (1995)
  • Truth - Demo (1998)
  • Unstryped (1999)
  • Truth - Lançamento Oficial (2000)
  • Him (2006)
  • Touched (2007)
  • For My Wife (Bootleg) (2008)
  • I'm Not Your Suicide (2014)
  • One Sided War (2016)
  • Sole: Songs and Stories From a Life in Music live concert video (2017)

Com Stryper[editar | editar código-fonte]

Com Sweet & Lynch[editar | editar código-fonte]

  • Only to Rise (2015)
  • Unified (2017)

Como Participação Especial[editar | editar código-fonte]

  • I 2 (EYE), Michael W. Smith (dueto e backing vocal na música "All You're Missin' Is a Heartache" - 1989)
  • Voices In The Night, Mass (backing Vocal - 1992)
  • Free at Last, DC Talk (backing Vocal - 1992)
  • Welcome to the Revolution, Liberty N' Justice (vocal na música "Blind Man's Bluff" - 2004)
  • Música: Onward to Freedom,[13] Tourniquet (vocal e guitarra - 2014)
  • Música: Bring It On!, Moriah Formica (vocal e guitarra - 2016)

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Autobiografia: Honestly: My Life And Stryper Revealed (2014)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]