Numerais inuítes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O povo inuíte, bem como outras povos de línguas esquimó-aleútes, usa um sistema de numeração de base 20, com sub-base 5. Os algarismos indo-arábicos não são adequados para representar este tipo de sistema, fato que motivou estudantes da cidade de Kaktovik, no Alasca a criar, em 1994, um sistema próprio para representar números. Tal sistema ajudou a recuperar o modo tradicional de contagem do Língua inupiat e outras línguas similares. [1]

A figura abaixo mostra os algarismos de 1 a 19 e depois o zero. A numeração é posicional, o que significa que o número 20 é representado com 'um' e 'zero', 40 com 'dois' e 'zero' e 400 com 'um', 'zero' e 'zero'.

InupiaqNumbers.gif

As formas faladas correspondentes são:

  • 1. atausiq
  • 2. malġuk
  • 3. piŋasut
  • 4. sisamat
  • 5. tallimat
  • 6. itchaksrat
  • 7. tallimat malġuk
  • 8. tallimat piŋasut
  • 9. quliŋuġutaiḷaq
  • 10. qulit
  • 11. qulit atausiq
  • 12. qulit malġuk
  • 13. qulit piŋasut
  • 14. akimiaġutaiḷaq
  • 15. akimiaq
  • 16. akimiaq atausiq
  • 17. akimiaq malġuk
  • 18. akimiaq piŋasut
  • 19. iñuiññaŋŋutaiḷaq

Os algarismos inuktitut foram objetos de uma questão da Olimpíada Brasileira de Linguística em 2011[2] .

Referências

  1. Clark Bartley. (Jan/Fev 1997). "Making the Old Way Count" (em inglês). Sharing our Pathways: A newsletter of the Alaska Rural Systemic Initiative 2 (1). Visitado em 10 de Abril de 2012..
  2. «Olimpíada Brasileira de Linguística - Provas Anteriores». Consultado em 10 de Abril de 2012. 
Ícone de esboço Este artigo sobre linguística ou um linguista é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.