Ordem Hospitaleira de São João de Deus

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Wikitext.svg
Esta página ou seção precisa ser wikificada (desde julho de 2012).
Por favor ajude a formatar esta página de acordo com as diretrizes estabelecidas.

A Ordem Hospitaleira de São João de Deus GCB é uma ordem religiosa católica.

A Ordem instituiu a Fundação São João de Deus para o apoio a pessoas em situação de vulnerabilidade, de forma inovadora e sustentada, promovendo a saúde mental e o envelhecimento activo, ao estilo de São João de Deus. É uma Organização não Governamental para o Desenvolvimento que pratica esse serviço de várias formas, nomeadamente através da recolha de fundos.

Introdução[editar | editar código-fonte]

A Fundação São João de Deus, organização não-governamental para o desenvolvimento, foi instituída pela Província Portuguesa da Ordem Hospitaleira de São João de Deus, é uma pessoa jurídica à qual o Estado Português reconhece personalidade jurídica civil e goza dos mesmos direitos e benefícios atribuídos às Instituições Particulares de Solidariedade Social. Esta entidade tem âmbito nacional, mas pode exercer a sua actividade e/ou cooperar com outras entidades nacionais e estrangeiras, preferencialmente sedeadas em Países de língua oficial portuguesa.

A Fundação tem como fim promover, coordenar e patrocinar, essencialmente, a assistência e a cooperação nas áreas da saúde (profilaxia, tratamento e reabilitação de pessoas doentes, simultaneamente, carenciadas e, de alguma forma, pertencentes a grupos considerados de risco), da integração social e comunitária, do desenvolvimento humano, do bem-estar e da qualidade de vida.

O Santo Fundador da Ordem Hospitaleira de São João de Deus – S. João de Deus, português que trouxe, desde a sua época a vontade de fazer diferente, de valorizar todas as vidas no caminho da Hospitalidade. Na senda de S. João de Deus esta Fundação quer ser motivo de testemunho, razão de antecipação e sentido de vida para as pessoas que da sua obra usufruem, de uma maneira ou de outra.

Objectivos[editar | editar código-fonte]

A descrição de objectivos que se segue é efectuada a partir de uma síntese do que é mencionado nos estatutos da Fundação S. João de Deus. Assim, passam a destacar-se os que, de um modo abrangente, podem ser considerados mais relevantes:

  • Promover a saúde e o bem-estar social, das pessoas mais pobres e carenciadas, através da ajuda a entidades credíveis e da viabilização de projectos consistentes que se destinem a estas populações alvo
  • Promover, coordenar e apoiar quaisquer iniciativas de formação e investigação com vista à beneficiação da qualidade de vida das pessoas que quer ajudar
  • Elaborar e/ou gerir programas e projectos de acção sócio-cultural, pastoral e espiritual, tendo sempre em vista privilegiar os mesmos fins

Principal Missão[editar | editar código-fonte]

A principal missão de uma Fundação com estas características centra-se em torno da consciência realista do que são pessoas carenciadas, sonhos que não se conseguem concretizar, jovens sem perspectiva e sem futuro previsível, vidas em desespero.

A Fundação tem a missão de valorizar e ajudar todas as pessoas, especialmente os mais carenciados na sua condição – de doença, de deficiência, de desvantagem social.

Contributos para a Sociedade[editar | editar código-fonte]

Assim, pretende ser em continuidade um veículo para:

  • Fomentar uma verdadeira sociedade de inclusão e de Hospitalidade;
  • Facilitar a assistência dedicada aos doentes e a todos os necessitados, promovendo a sua reinserção social, familiar e comunitária, sempre que seja caso disso;
  • Contribuir para a humanização e dignificação da prestação de cuidados de saúde e dos serviços de apoio aos idosos e às pessoas que sofrem de doença crónica e/ou prolongada;
  • Ajudar a combater a crescente marginalização e estigma social de portadores de algumas doenças, pessoas em processo de envelhecimento e outros grupos/minorias em situação de sofrimento, de qualquer ordem;
  • Promover a verdadeira cidadania de tantos que, em pleno Século XXI, ainda não têm (ou deixaram de ter) condições mínimas de vida nem possuem (ou deixaram de possuir) um verdadeiro estatuto social.

Breve reflexão final perspectiva[editar | editar código-fonte]

A Fundação S. João de Deus com o trabalho que tem vindo a desenvolver ao dar os seus primeiros passos, apoia todas as iniciativas que se pretendem socialmente relevantes devidamente contextualizadas e estruturadas em articulação com as realidades actuais e/ou em vias de se tornarem como tal.

Naturalmente nenhum projecto desta dimensão pode encontrar sentido e continuidade apenas em boas vontades simbólicas, por mais relevantes que sejam. De facto, são necessárias intervenções/ ajudas relevantes e capacidade de boa gestão. No entanto valoriza, porque também depende, de todos e de cada um e não pode desperdiçar o esforço/ empenho de ninguém nas ajudas dadas ou por dar.

Criar condições de melhor viver, o chegar às “franjas” da sociedade que exclui uma parcela de si fazem com que a Fundação S. João de Deus possa vir a ocupar um lugar pregnante devido ao mérito que pretende ter, de ser aquela que, necessitando da ajuda de todos, é também a todos que quer ajudar.

Condecorações[editar | editar código-fonte]

A Ordem Hospitaleira de S. João de Deus, instituidora da Fundação S. João de Deus, foi agraciada, a 3 de Outubro de 1950, com a Grã-Cruz da Ordem de Benemerência.[1]

Referências

  1. «Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Portuguesas». Resultado da busca de "Ordem Hospitaleira de S. João de Deus". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 23 de fevereiro de 2015 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wiki letter w.svg Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.