Papilio antimachus

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma infocaixa de taxonomiaPapilio antimachus
Ilustração do macho (abaixo) e fêmea (acima) de P. antimachus, vista superior e inferior-lateral, com sua antiga denominação: Druryia antimachus.

Ilustração do macho (abaixo) e fêmea (acima) de P. antimachus, vista superior e inferior-lateral, com sua antiga denominação: Druryia antimachus.
Fotografia do macho de P. antimachus, vista superior, em museu de Estrasburgo.
Fotografia do macho de P. antimachus, vista superior, em museu de Estrasburgo.
Estado de conservação
Espécie deficiente de dadosDados deficientes
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Arthropoda
Classe: Insecta
Ordem: Lepidoptera
Subordem: Papilionoidea
Família: Papilionidae
Subfamília: Papilioninae[1]
Género: Papilio
Linnaeus, 1758[1]
Espécie: P. antimachus
Nome binomial
Papilio antimachus
Drury, 1782[1]
Sinónimos
Papilio (Druryia) antimachus Bernard Rond, 2011
Papilio (Princeps) antimachus
Druryeia antimachus
Druryia antimachus[1]
Wikispecies
O Wikispecies tem informações sobre: Papilio antimachus

Papilio antimachus (popularmente conhecida, em inglês, giant african swallowtail;[1] com a antiga denominação de Druryia antimachus[2] ou Druryeia antimachus)[3] é uma borboleta da família Papilionidae e subfamília Papilioninae, encontrada na região afro-tropical e endêmica da África subsariana,[1] em florestas ombrófilas,[2] de Serra Leoa a Uganda; mas também presente na Guiné, Libéria, Costa do Marfim, Gana, Togo, Nigéria, Camarões, Gabão, República do Congo e República Democrática do Congo, República Centro-Africana, Sudão do Sul e norte de Angola. Foi classificada por Dru Drury em 1782.[1] É considerada rara e a maior borboleta da África.[2]

Descrição e hábitos[editar | editar código-fonte]

Esta espécie possui, vista por cima, asas com envergadura máxima de 21[4] a 25 centímetros, nos espécimes machos; um pouco menos nas fêmeas,[5] que possuem asas mais arredondadas;[6] ambos os sexos com escamas alares principalmente em laranja a vermelho-amarronzado e com um complexo colorido de manchas em marrom-enegrecido, onde se destacam 7 manchas circulares em suas asas posteriores.[4][1] Vistas por baixo, apresentam asas mais pálidas, amareladas.[4][7][2] Segundo William Jacob Holland (1899), ela parece mimetizar borboletas do gênero Acraea.[8]

Embora pouco se saiba sobre a alimentação larvar de Papilio antimachus, sabe-se que ela é uma borboleta venenosa[3] - dito ser grande o suficiente para matar 6 gatos,[5] graças à ação de glicosídeos. Ela também pode pulverizar uma nuvem de produtos químicos com mau cheiro, no ar, se perturbada.[2] Habita floresta primária, voando no dossel florestal. Machos têm sido vistos frequentando clareiras em cumes, defendendo seus territórios contra outros machos. Se alimentam de néctar, em arbustos floridos, e de substâncias retiradas de poças enlameadas, no solo.[6]

Subespécies[editar | editar código-fonte]

P. antimachus possui duas subespécies:[1]

  • Papilio antimachus antimachus - Descrita por Drury em 1782. Proveniente de Serra Leoa.
  • Papilio antimachus parva - Descrita por Jackson em 1956. Proveniente de Uganda.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e f g h Savela, Markku. «Papilio antimachus» (em inglês). Lepidoptera and some other life forms. 1 páginas. Consultado em 24 de fevereiro de 2017 
  2. a b c d Main, Douglas (16 de dezembro de 2014). «TRACKING AFRICA'S LARGEST BUTTERFLY ON THE HILLTOPS OF LIBERIA» (em inglês). Newsweek. 1 páginas. Consultado em 24 de fevereiro de 2017 
  3. a b GOODDEN, Robert (1977). O Mundo Maravilhoso das Borboletas e Mariposas 1ª ed. Rio de Janeiro: Ao Livro Técnico S/A - indústria e comércio. p. 50. 96 páginas 
  4. a b c Neubauer, Thomas. «Papilio antimachus (African Giant Swallowtail)» (em inglês). Butterfly corner. 1 páginas. Consultado em 24 de fevereiro de 2017 
  5. a b ALLABY, Michael; GARRATT, Richard (2006). Tropical Forests (em inglês). Nova Iorque: Chelsea House Publishing - Google Books. p. 113-114. ISBN 978-0-8160-5322-3. Consultado em 24 de fevereiro de 2017 
  6. a b COLLINS, N. Mark; MORRIS, Michael G. (1985). Threatened Swallowtail Butterflies of the World. The IUCN Red Data Book (em inglês). Cambridge: IUCN - Google Books. p. 351-352. ISBN 978-288032-603-6. Consultado em 24 de fevereiro de 2017 
  7. Reynolds, Richard (7 de novembro de 2012). «Papilio antimachus» (em inglês). Flickr. 1 páginas. Consultado em 24 de fevereiro de 2017 
  8. HOLLAND, William Jacob (1899). The Butterfly Book. A Popular Guide to a Knowledge of the Butterflies of North America (em inglês). [S.l.]: Library of Alexandria - Google Books. Consultado em 24 de fevereiro de 2017 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Papilio antimachus
Ícone de esboço Este artigo sobre lepidópteros, integrado no Projeto Artrópodes é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.