Pesquisa qualitativa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Pesquisa qualitativa é um tipo de método de investigação de base linguístico-semiótica usada principalmente em ciências sociais.[1] Costumam-se considerar técnicas qualitativas todas aquelas diferentes à pesquisa estatística e ao experimento científico. Isto é, entrevistas abertas, grupos de discussão ou técnicas de observação de participantes. A investigação quantitativa atribui valores numéricos às declarações ou observações, com o propósito de estudar com métodos estatísticos possíveis relações entre as variáveis, enquanto, a investigação qualitativa recolhe os discursos completos dos sujeitos, para proceder então com a sua interpretação, analisando as relações de significado que se produzem em determinada cultura ou ideologia.[2]

Além disso, a investigação quantitativa costuma generalizar os resultados para determinada população através de técnicas estatísticas de amostragem. A investigação qualitativa, por outro lado, não faz uso da representação estatística. Os problemas de validade são minimizados através de diversas técnicas, entre elas a permanência prolongada no campo (em antropologia), a "triangulação" dos resultados com os dados quantitativos ou a adopção do critério de representatividade estrutural: incluir na amostra membros dos principais elementos da estrutura social em torno do tema de estudo.[3][4]

Tipos de pesquisa qualitativa[editar | editar código-fonte]

Algumas das principais de investigação qualitativa estão listadas abaixo:

Etnografía[editar | editar código-fonte]

A etnografía é aquela pesquisa que estuda as qualidades e características do objeto de estudo mediante a observação participante. Pode usar-se como sinônimo de antropologia, mas também para falar da observação participante como método de trabalho. A etnografia significa a análise do modo de vida de um grupo de indivíduos com características comuns, mediante a observação e descrição do que a gente faz, como se comportam e como interagem entre si, para descrever suas crenças, valores, motivações, perspectivas e como estes podem variar em diferentes momentos e circunstâncias. Poderíamos dizer que descreve as múltiplas formas de vida dos seres humanos.

Pesquisa participativa[editar | editar código-fonte]

A pesquisa participativa trata-se de uma atividade que combina a forma de interrelacionar a pesquisa e as ações num determinado campo selecionado pelo pesquisador, com a participação dos sujeitos pesquisados. A finalidade deste tipo de investigação é a busca de mudanças na comunidade ou população para melhorar suas condições de vida.

Pesquisa-ação[editar | editar código-fonte]

Tem semelhança com a pesquisa participativa, de modo que é bastante comum a ocorrência de pesquisas-ação participativa. É um das tentativas de resumir a relação de identidade necessária para construir uma teoria que seja efetiva em termos de produção científica, que esteja estreitamente unida à ciência para a transformação e a libertação social.

Pesquisa etnográfica aplicada à educação[editar | editar código-fonte]

Este tipo de pesquisa qualitativa constitui num método útil na identificação, análise e solução de múltiplos problemas da educação. Este enfoque pedagógico surgiu na década do 70, em países como Grã-Bretanha, Estados Unidos e Austrália, e, desde então, se generalizou em toda América Latina com o objectivo de melhorar a qualidade da educação, estudar e resolver os diferentes problemas que a afetam.

Veja também[editar | editar código-fonte]

  • Ibáñez, Jesús (1992). «La guerra incruenta entre cuantitativistas y cualitativistas». In: Román Reyes. Las ciencias sociales en España: Historia inmediata, críticas y perspectivas. 1. Madrid: Universidad Complutense de Madrid. 135 páginas. Consultado em 2 de outubro de 2014 
  • Ibáñez, Jesús (enero-marzo 1985). «Las medidas de la sociedad» (29): 85-127  Verifique data em: |data= (ajuda)
  • Valles Martínez, Miguel S. (1997). Técnicas cualitativas de investigación social. [S.l.]: Síntesis. ISBN 8477384495 
  • Ibáñez, Jesús (1979). Mas allá de la sociología. El grupo de discusión: teoría y crítica. [S.l.]: Siglo XXI de España. ISBN 8432303518 

Bibliografia adicional[editar | editar código-fonte]

  • Arango A, (2011) Análise de Dados Qualitativos. Medellín, Colômbia.
  • J. Cruz (2009): Investigação qualitativa, México.
  • Paz Nardy (2012) Santa Cruz - Bolívia
  • G. Rodríguez Gómez, J. Gil Flores, E. García Jiménez (1996): Metodologia da investigação qualitativa, Edições Aljibe, Archidona, Málaga.
  • S. J. Taylor e R. Bodgdan (1980): Introdução aos métodos qualitativos de investigação, ed. Paidós, Barcelona.
  • Tójar, J. C. (2006): Investigação Qualitativa. Compreender e Actuar. Madri: A Muralha.
  • Zacarías Ortiz, E. (2000): Assim se pesquisa. Passos para fazer uma Investigação. Clássicos Roxsil. ISBN 84-89899-30-4
  • Manuel E. Cortês Cortês e Miriam Iglesias León. "Generalidades sobre a metodologia da investigação" Universidade Autónoma do Carmen. Colecção Material Didáctico. ISBN 968-6624-87-2
Ícone de esboço Este artigo sobre sociologia ou um sociólogo é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.