Petropavlovsk (1911)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Petropavlovsk
Petropavlovsk-Helsingfors.jpg
Carreira  Rússia
Operador Marinha Imperial Russa
Fabricante Estaleiro do Báltico
Homônimo Cerco de Petropavlovsk
Batimento de quilha 16 de junho de 1909
Lançamento 22 de setembro de 1911
Comissionamento 5 de janeiro de 1915
Carreira  União Soviética
Nome Marat (1921–1943)
Petropavlovsk (1943–1950)
Volkhov (1950–1953)
Operador Marinha Soviética
Homônimo Jean-Paul Marat
Cerco de Petropavlovsk
Rio Volkhov
Aquisição novembro de 1917
Descomissionamento 4 de setembro de 1953
Estado Desmontado
Características gerais
Tipo de navio Couraçado
Classe Gangut
Deslocamento 24 800 t
Maquinário 4 turbinas a vapor
25 caldeiras
Comprimento 181,2 m
Boca 26,9 m
Calado 8,99 m
Propulsão 4 hélices
- 52 000 hp (38 800 kW)
Velocidade 24,1 nós (44,6 km/h)
Autonomia 3 200 milhas náuticas a 10 nós
(5 900 km a 10 nós)
Armamento 12 canhões de 305 mm
16 canhões de 120 mm
1 canhões antiaéreo de 76 mm
4 tubos de torpedo de 450 mm
Blindagem Cinturão: 125 a 225 mm
Convés: 12 a 50 mm
Torres de artilharia: 76 a 203 mm
Barbetas: 75 a 150 mm
Torre de comando: 100 a 254 mm
Tripulação 1 149

O Petropavlovsk (Петропавловск) foi o terceiro dos quatro navios da classe Gangut de dreadnoughts, e o primeiro encouraçado russo construído antes da Primeira Guerra Mundial. Ele foi nomeado após a vitória russa sobre os britânicos e franceses no cerco de Petropavlovsk em 1854. O navio foi concluído durante o inverno de 1914-15, mas só ficou pronto para o combate em meados de 1915.

Sua tripulação juntou-se ao motim da Frota do Báltico em 16 de Março de 1917, após os marinheiros recebeu a notícia da Revolução de Fevereiro, em São Petersburgo.[1]

A tripulação do Petropavlovsk, liderada por Stepan Petrichenko, participou da Revolta de Kronstadt em março de 1921. Apos a supressão impiedosa da insurreição pelo Exército Vermelho,[1] o navio, em 31 de março de 1921, foi renomeado Marat para homenagear o líder revolucionário francês Jean-Paul Marat.[2]

Projeto[editar | editar código-fonte]

Planta da classe Gangut

Petropavlovsk tinha um comprimento de 180 metros na linha de água, e o seu deslocamento era de 24.800 toneladas com carga.[2]

A plena carga, ela carregava 1.847 toneladas de carvão e 700 toneladas de óleo combustível o que fornecia-lhe uma autonomia de 3.500 milhas náuticas (6.500 km, 4.000 km) a uma velocidade de 10 nós (19 km /h).[3]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Gardiner, Robert; Gray, Randal, eds. (1984). Conway's All the World's Fighting Ships: 1906–1922. Annapolis: Naval Institute Press. ISBN 0-85177-245-5 
  • Head, Michael (2009). «The Baltic Campaign, 1918–1920, Pts. I, II». Toledo, OH: International Naval Research Organization. Warship International. XLVI (2–3): 135–50, 217–39. ISSN 0043-0374 
  • Rohwer, Jürgen (2005). Chronology of the War at Sea 1939–1945: The Naval History of World War Two Third Revised ed. Annapolis, MD: Naval Institute Press. ISBN 1-59114-119-2 
  • Stephen, Martin; Grove, Eric (1988). Sea Battles in Close-up: World War 2. Annapolis, MD: Naval Institute Press. ISBN 0-87021-556-6 

Referências

  1. a b «Kronstadt 1921» (em inglês). Marxist Organization. Consultado em 21 de março de 2014 
  2. a b McLaughlin, Stephen (2003). Annapolis, MD: Naval Institute Press. p. 207 e 324. ISBN 1-55750-481-4  Parâmetro desconhecido |titulo= ignorado (ajuda); Em falta ou vazio |título= (ajuda) paginas: 207 e 324
  3. McLaughlin, Stephen. [S.l.: s.n.]  Parâmetro desconhecido |titulo= ignorado (ajuda); Em falta ou vazio |título= (ajuda) paginas: 208, 224 e 225

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Petropavlovsk (1911)