Planalto (Rio Grande do Sul)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outras acepções, veja Planalto (desambiguação).
Município de Planalto
Bandeira de Planalto
Brasão de Planalto
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 26 de dezembro de 1963 (53 anos)
Gentílico planaltense
Lema "Nosso maior patrimônio é a nossa gente e nosso maior orgulho é fazer parte dessa história."
CEP 98470-000
Prefeito(a) Antonio Carlos Damin (PDT)
Localização
Localização de Planalto
Localização de Planalto no/em Rio Grande do Sul
Planalto está localizado em: Brasil
Planalto
Localização de Planalto no Brasil
27° 19' 44" S 53° 03' 32" O27° 19' 44" S 53° 03' 32" O
Unidade federativa Rio Grande do Sul
Mesorregião Noroeste Rio-Grandense IBGE/2008 [1]
Microrregião Frederico Westphalen IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Alpestre, Nonoai, Iraí e Rodeio Bonito
Distância até a capital 406 km
Características geográficas
Área 230,421 km² [2]
População 10 524 hab. Censo IBGE/2010[3]
Densidade 45,67 hab./km²
Altitude 568 m
Clima subtropical
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,741 alto PNUD/2000 [4]
PIB R$ 187 042,362 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 18 062,46 IBGE/2008[5]
Página oficial
Prefeitura www.planalto.rs.gov.br

Planalto é um município brasileiro do estado do Rio Grande do Sul.

História[editar | editar código-fonte]

Início da Colonização[editar | editar código-fonte]

Desde tempos anteriores a colonização, a região pertencente ao município foi povoada por tribos indígenas Kaingangs e Guaranis. No início do século XX, os primeiros aventureiros vinham de Nonoai, apenas a procura de uma suposta Igreja de Jesuítas onde estariam enterrados valiosos tesouros.

Em 1911, Bernardo Tavares de Miranda e seu irmão Severo, fixaram residência no local, onde mais tarde, passaria a se chamar Vila Pinhalzinho (atualmente pertencente ao município). Pela ordem, os primeiros colonizadores eram de origem portuguesa, depois os de origem polonesa. Os italianos e alemães chegaram por último (década de 1950) e são quase todos posteriores ao período da demarcação das terras.

Formação do Município[editar | editar código-fonte]

Representação Gráfica do Município

Em 1948, por determinação estadual, teve início o levantamento topográfico para o plano de urbanização e os trabalhos de demarcação de lotes rurais. Em 1 de março do mesmo ano, o distrito de Planalto(*) foi fundado, subordinado ao município de Iraí (Lei Municipal n° 15/1948 | Iraí/RS).

Quinze anos depois, em 26 de dezembro, pela Lei Estadual n° 4.692/1963, o distrito é elevado à categoria de município mantendo a mesma denominação.

Atualmente, o município é composto por quatro distritos (Planalto, Santa Cruz, São José e São Luiz) e a reserva indígena.

(*)O nome deve-se a localização do povoado que se situa num ponto elevado do divisor de águas da região.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Localiza-se a uma latitude 27°19'44" sul e a uma longitude 53°03'31" oeste, estando a uma altitude média de 568 metros.

Possui área de 230,42 km². O município conta com as águas do Rio do Mel, afluente do Rio Uruguai que tem fronteira fluvial com a Argentina e Uruguai.

Faz parte da Região das Hidrominerais, está localizado dentro do perímetro do Aquífero Guarani, Microrregião de Frederico Westphalen.

Economia[editar | editar código-fonte]

A base econômica do município se concentra, fundamentalmente, na agropecuária e no comércio. Conta também com a presença do setor industrial moveleiro e de laticínios.

Dados Gerais[editar | editar código-fonte]

  • População Total (2010): 10.524 habitantes
  • Área (2010): 230,4 km²
  • Densidade Demográfica (2010): 45,7 hab/km²
  • Taxa de analfabetismo (2010): 11,29 %
  • Expectativa de Vida ao Nascer (2000): 67,45 anos
  • Coeficiente de Mortalidade Infantil (2010): 7,25 por mil nascidos vivos
  • PIBpm(2008): R$ mil 187.042
  • PIB per capita (2008): R$ 18.062
  • Exportações Totais (2010): U$ FOB 490
  • Data de criação: 26 de dezembro de 1963 - (Lei nº. 4692)
  • Município de origem: Iraí e Nonoai

Seu Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) é de 0.741, segundo o Atlas de Desenvolvimento Humano/PNUD (2000)

Clima[editar | editar código-fonte]

Apresenta um clima do tipo subtropical úmido. A temperatura média anual é 19,5 °C, com máximas em torno de 39°C em janeiro e 20°C em julho e mínimas de 17 °C em janeiro e -2°C em julho.

Os verões são moderadamente quentes, com temperaturas máximas que podem ultrapassar os 36 °C em certos dias. Os invernos tendem a ser úmidos e amenos, e não raramente durante os picos de frio observam-se temperaturas máximas de apenas um dígito e mínimas abaixo de 0 °C. Nos meses mais frios é comum a formação de geada e, mais ocasionalmente, a ocorrência de neve.

Dados climatológicos para Planalto (Rio Grande do Sul)
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima média (°C) 39 32 26,7 23,7 20,7 18,4 19 19,9 21,2 23,8 26 27,8 24,8
Temperatura mínima média (°C) 17,5 17,5 16,3 13,5 10,9 7,9 3,2 9,9 11 12,9 14,8 16,5 12,6
Precipitação (mm) 121,6 114,9 121,3 118,2 131,3 129,4 153,4 165,7 206,8 167,1 141,4 161,5 1 732,6
Fonte: Atlas Socio Econômico do Rio Grande do Sul (2000-2004)[6]

Rodovias[editar | editar código-fonte]

Principais acessos ao município:

  • RS 324 : Iraí - Nova Bassano
  • RS 504 : Planalto - Alpestre
  • RS 591 : RS 324/Santa Cruz - Castelinho/Frederico Westphalen

Pontos turísticos[editar | editar código-fonte]

Planalto possui uma fração do Parque Estadual Florestal de Nonoai. No total, são quase 18 mil hectares de mata virgem no qual está presente a Reserva Indígena Kaingang e Guarani.

Vista panorâmica da Reserva Florestal.

Outros pontos que se destacam são a Igreja Matriz, as furnas (garimpo de pedra ametista), o Museu do Índio e o Rio do Mel.

Estações de rádio[editar | editar código-fonte]

O município conta com três estações de rádio, sendo elas:

  • Rádio Ametista AM
  • Rádio Florestal FM
  • Rádio Planalto FM (Comunitária)

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  2. IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  3. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  6. «Temperatura e Precipitação de Chuvas no Rio Grande do Sul» 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]