Porto de Aveiro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O Porto de Aveiro é um porto situado no distrito de Aveiro, inserido numa laguna que constitui a Ria de Aveiro. É uma zona classificada como zona de protecção especial (ZPE), que assume uma especial importância para variadíssimas espécies, no que respeita à conservação de zonas húmidas. Este porto tem por objectivo a movimentação de vários tipos de mercadorias, dispõe de vários terminais, onde se faz a movimentação de granéis sólidos ou líquidos, carga geral, entre outras mercadorias. Possui ainda terminais destinados à movimentação de pescado. (Plano, 2005, p. 7-8).

Este porto fornece a região Centro e Norte de Portugal, e a zona centro de Espanha (Mapa, 2005). É administrado pela Administração do Porto de Aveiro (APA), sociedade de capitais exclusivamente públicos que sucedeu à Junta Autónoma do Porto de Aveiro (JAPA), entidade esta, já extinta (Área, 2005).

Terminais[editar | editar código-fonte]

Terminal Norte[editar | editar código-fonte]

Este terminal possui um cais de 900 metros de comprimento e 328 000 m² de terraplenos. A área de armazenagem com cobertura é formada por oito armazéns, sendo que destes oito, dois são para recepção e armazenamento de cimento a granel. Possui um outro cais de serviços com 250 metros designado a embarcações de apoio. Este terminal destina-se essencialmente à movimentação de carga geral e granéis sólidos, e tem como principais mercadorias movimentadas o cimento, cereais, pasta de papel, aglomerados de madeira e argilas (Terminal Norte, 2005).

Terminal roll on roll off[editar | editar código-fonte]

É um terminal com um cais de 450 metros de comprimento, 138 000 m² de terraplenos bem infra-estruturados e com zonas destinadas ao parqueamento, embarque e desembarque. Possui fundos à cota de -12 m ZH (Terminal roll, 2005).

Terminal de granéis líquidos[editar | editar código-fonte]

Este terminal é constituído por três pontes-cais que são exploradas por entidades privadas, que se dedicam à movimentação e armazenamento de várias mercadorias, como por exemplo o cloreto de vinilo, combustíveis, anilinas, MDI, metanol e vinho. É um terminal especializado, que se dedica unicamente ao tráfego de granéis liquidos (Terminal de graneis líquidos, 2005).

Terminal de granéis sólidos[editar | editar código-fonte]

O terminal de granéis sólidos, é constituído por 750 metros de cais e uma área de 150 000 m². Apresenta um grande potencial de exploração para as indústrias com ligação ao sector alimentar, cerâmico e de construção. Este terminal, foi criado para que fosse possível dar resposta às áreas dos granéis agro-alimentares e não alimentares, e destina-se essencialmente á movimentação de granéis sólidos (Terminal de granéis sólidos, 2005).

Terminal Sul[editar | editar código-fonte]

É a instalação portuária mais próxima da cidade de Aveiro, e apresenta um cais com 400 metros de comprimento, cerca de 47 000 m² de terraplenos e fundos à cota de – 7,00 m ZH. Possui uma área com cobertura, constituída por um telheiro e três armazéns, dois dos quais se destinam à recepção e armazenamento de cimento a granel. A exploração comercial deste terminal está a cargo da Sociedade de Cargas Portuárias (Socarpor), em regime de serviço público. Neste terminal movimenta-se essencialmente cimento, cereais, sal, caulino, argilas, perfilados metálicos e pasta de papel (Terminal Sul, 2005).

Portos de pescado[editar | editar código-fonte]

O porto de Aveiro possui ainda, para além dos terminais referidos acima, mais três preparados para a circulção de pescado, algumas áreas que estão ocupadas por estaleiros navais e outras onde se estão a construir novas infra-estruturas portuárias (Plano, 2005, p. 9).

Porto de pesca do largo[editar | editar código-fonte]

Este terminal tem cerca de 1950 metros, possui fundos à cota de – 7,00 m (Z.H.), e a ele estão ligadas cerca de 18 pontes-cais. Esta área serve essencialmente os armadores de pesca do largo, bem como as indústrias de processamento de pescado.

Terminal especializado de descarga de pescado[editar | editar código-fonte]

Ligado à ponte-cais número doze do porto de pesca acima referido, este terminal possui um cais de 160 metros de comprimento e uma plataforma onde se encontram algumas infra-estruturas necessárias ao funcionamento desta unidade.

Porto de pesca costeira[editar | editar código-fonte]

Aqui procede-se à descarga, e posterior comercialização, do pescado que é feito por embarcações de pequeno porte, isto porque este porto está dotado de infra-estruturas terrestres e marítimas destinadas a esse fim.

Porto de abrigo para pequena pesca[editar | editar código-fonte]

Este porto está situado perto de porto de pesca costeira, possui um edifício de apoio aos 72 armazéns de apresto, e a ele, estão ligados dois passadiços flutuantes, que tem capacidade para 136 embarcações.

Mercadorias[editar | editar código-fonte]

Durante o mês de Abril de 2008, foram transportadas por 96 navios, cerca de 317 toneladas de mercadorias no porto de Aveiro, constituindo desta forma o quinto melhor mês até á data, e apresentando um crescimento do tráfego de mercadorias em relação a igual período de Janeiro a Abril de 2007, de cerca de 2,95 por cento, segundo a APA. A carga geral e os granéis líquidos apresentam um crescimento de 20,6 por cento, e 15,62 por cento, respectivamente. O clínquer é a mercadoria mais movimentada, cerca de 9,2 por cento do total, apresentando ainda um crescimento de 50,6 por cento em relação ao ano de 2007. Quanto aos grupos de mercadorias, evidenciam-se os produtos metalúrgicos e os florestais, com 22,0 por cento e 19,4 por cento respectivamente, do total das mercadorias movimentadas (Mercadorias, 2008).

Acessos[editar | editar código-fonte]

Os principais acessos terrestres ao porto de Aveiro são, a auto-estrada A1, que faz a ligação entre o Porto e Lisboa, a auto-estrada A17 (entre Aveiro e a Marinha Grande/A8), e a auto-estrada A25, a qual faz ligação de Aveiro a Vilar Formoso, passando pelo interior centro de Portugal, e por conseguinte, permitindo uma ligação ao centro de Espanha (Mercadorias, 2008).

Quanto aos acessos ferroviários, a Rede Ferroviária Nacional (REFER) lançou em 2007 o concurso para a construção da segunda fase do acesso ferroviário ao porto de Aveiro. O investimento previsto para a empreitada é de 14 milhões de euros, e prevê-se a sua conclusão em 2009. O concurso prevê terraplenagens e drenagens do ramal ferroviário entre o viaduto de acesso à ponte da Gafanha e o porto de Aveiro (REFER, 2008).

No dia 27 de Março de 2010, foi inaugurado o Ramal do porto de Aveiro que entronca a Linha do Norte.[1]

Plano de segurança[editar | editar código-fonte]

Este porto possui um plano de emergência interno (PEI), assistido por computador, no qual constam todos os comportamentos a ter, face a uma situação de emergência, para que a satisfação das necessidades legais em vigor sejam garantidas, e para que seja possível dar resposta às questões relativas à segurança das pessoas e do meio ambiente. Existe uma torre de segurança situada no edifício-sede da APA, que possui um avançado equipamento de controlo e vigilância, constituído por um radar portuário, uma estação fixa de GPS com uma margem mínima de erro, cerca de 20 mm, e uma estação de meteorologia, que se destina essencialmente ao apoio do sistema integrado para auxílio à tomada de decisão em caso de acidente grave (RISCAV). Existe ainda no forte da barra, um posto de socorros a náufragos, que está equipado com material de salvamento e um barco salva-vidas (Política, 2005).

Referências[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]