QGIS

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
QGIS
QGIS 2.2 Valmiera showing new menu design.png
QGIS 2.2 mostrando os menus redesenhados.
Desenvolvedor QGIS Development Team
Lançamento julho de 2002 (15–16 anos)
Versão estável 3.0.0 (Girona) (23 de fevereiro de 2018; há 0 dia[1])
Versão em teste 3.1.0
Idioma(s) Multilingue
Linguagem C++, Python, Qt
Sistema operacional Windows, Linux, Mac OS X, Android(beta)
Gênero(s) Sistema de informação geográfica
Licença GNU GPLv2
Página oficial www.qgis.org

QGIS (anteriormente conhecido como Quantum GIS) é um software livre com código-fonte aberto, multiplataforma de sistema de informação geográfica (SIG) que permite a visualização, edição e análise de dados georreferenciados.[2]

Funcionalidade[editar | editar código-fonte]

Similar a outros softwares GIS, o QGIS permite ao usuário criar mapas com várias camadas usando diferentes projeções de mapa. Mapas podem ser montados em diferentes formatos e para diferentes usos.[2] QGIS permite compor mapas a partir de camadas raster e/ou vetoriais. Típico deste tipo de software, os dados podem ser armazenados como pontos, linhas, ou polígonos. Diferentes tipos de imagens raster são suportadas e o software tem capacidade de georreferenciar imagens.

Funções Avançadas[editar | editar código-fonte]

QGIS provê integração com outros pacotes GIS free/open-source, incluindo PostGIS, GRASS e MapServer para dar ao usuário a capacidade de estender suas funcionalidades.[3] Plugins, escritos em Python ou C++, estendem as capacidades do QGIS. Existem plugins para geocodificar usando a API do Google Geocoding, para realizar geoprocessamento (fTools) similar às ferramentas padrão encontradas no ArcGIS, e para realizar a interface com bases de dados PostgreSQL/PostGIS, SpatiaLite e MySQL.

Desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

Gary Sherman começou o desenvolvimento do Quantum GIS no início de 2002, e tornou-se um projecto incubado no Open Source Geospatial Foundation em 2007.[4] A versão 1.0 foi lançada em janeiro de 2009.[5]

Escrito em  C++, QGIS faz uso extensivo da biblioteca Qt.[3] QGIS permite integração de plugins desenvolvidos usando C++ ou Python. Além de Qt,  as dependências requeridas pelo QGIS incluem GEOS e SQLite. GDAL, GRASS GIS, PostGIS e PostgreSQL são recomendadas, já que eles provêm acesso à formatos de dados adicionais.[6]

O QGIS é executável em múltiplos sistemas operacionais incluindo Mac OS X, Linux, UNIX e Microsoft Windows. Para usuários de Mac, a vantagem do QGIS sobre GRASS GIS é que não é requerido o X11 para funcionar, e a interface é muito mais limpa e rápida. QGIS também pode ser usado como uma interface gráfica para o GRASS. [carece de fontes?]

O QGIS é mantido por um grupo ativo de desenvolvedores voluntários que regularmente lançam updates e correção de bugs. Desde 2012 os desenvolvedores traduziram o QGIS em 48 línguas e a aplicação é usada internacionalmente em ambientes acadêmicos e profissionais.

Histórico de lançamento[editar | editar código-fonte]

Versão Codinome Data de Lançamento Mudanças Significativas
0.0.1-alpha Julho 2002 Import and view data from PostGIS[7]
0.0.3-alpha 10 Agosto 2002 Added support for shapefiles and other vector formats.[7]
0.0.4-alpha 15 Agosto 2002 Improvements in layers handling, colorize layers, and view properties in a dialog box.[7]
0.0.5-alpha 5 Outubro 2002 Bug fixes and improved stability, ability to set line widths, and improved zoom in/out functionality.[7]
0.0.6 24 Novembro 2002 Improvements to PostGIS connections, layer identify function added, and ability to view and sort attribute tables.[7]
0.0.7 30 Novembro2002 [1]
0.0.8 11 Dezembro 2002 [2]
0.0.9 25 Janeiro 2003 [3]
0.0.10 13 Maio 2003 [4]
0.0.11 10 Junho 2003 [5]
0.0.12 10 Junho 2003 [6]
0.0.13 8 Dezembro 2003 [7]
0.1pre1 14 Fevereiro 2004 Added support for raster data; single, continuous, and graduated shading for vector data; ability to create buffers, implemented as a PostGIS plugin.[8][9]
0.1 Moroz 25 Fevereiro 2004 [8]
0.2 Pumpkin 26 Abril 2004 [9] [10] [11]
0.3 Madison 28 Maio 2004 [12] [13]
0.4 Baby 4 Julho 2004 [14] [15]
0.5 Bandit 5 Outubro 2004 [16] [17]
0.6 Simon 19 Dezembro 2004 [18] [19]
0.7 Seamus [20]
0.7.3 11 Outubro 2005 [21] [22]
0.8 Joesephine 7 Janeiro 2007 [23] [24]
0.8.1 Titan 15 Junho 2007 [25] [26]
0.9.0 26 Outubro 2007 [27] [28] [29]
0.9.1 Ganymede 6 Janeiro 2008 [30] [31] [32]
0.10 Io 3 Maio 2008 [33] [34]
0.11 Metis 21 Julho 2008 [35] [36]
1.0 Kore 5 Janeiro 2009 [37] [38]
1.1 Pan 12 Maio 2009 [39] [40]
1.2 Daphnis 1 Setembro 2009 [41] [42]
1.3 Mimas 20 Setembro 2009 [43] [44]
1.4 Enceladus 10 Janeiro 2010 [45] [46]
1.5 Tethys 29 Julho 2010 [47]
1.6 Copiapó 27 Novembro 2010 [48] [49]
1.7 Wrocław 19 Junho 2011 [50]
1.8 Lisboa 21 Junho 2012 [51] "Mojibake" in Japanese environment.
2.0 Dufour 8 Setembro 2013 New vector API, integration of SEXTANTE geoprocessor, symbology and labeling overhaul. [52]
2.2 Valmiera 22 Fevereiro 2014 [10][11]
2.4 Chugiak 27 Junho 2014 2.4.0 changelog
2.6 Brighton 1 Novembro2014 2.6.0/ changelog
2.8 Wien 20 Fevereiro 2015 [53]
2.10 Pisa 26 Junho 2015 [54]
2.12 Lyon 23 Outubro 2015 [55]
2.14 LTR Essen 29 Fevereiro 2016 [56]
2.16 Nødebo 8 Julho 2016 [57]
2.18 Las Palmas 21 Outubro 2016 Final release in the 2.x series.[12]
3.0 Girona 23 Fevereiro 2018 Based upon Qt5, PyQt5, and Python 3.[13]
Predefinição:Version

Licenciamento[editar | editar código-fonte]

QGIS é uma aplicação free software disponibilizada sob a licença GNU GPL, portanto pode ser livremente modificada para executar tarefas diferentes ou mais especializadas. Dois exemplos são o QGIS Browser e QGIS Server, que usam o mesmo código para acesso de dados, mas apresentam diferentes "front-end" de interface. Também existem numerosos plugins disponíveis que expandem as principais funcionalidades do software.

Formato de dados[editar | editar código-fonte]

QGIS permite o uso de  dxf, shapefiles, coverages, e   geodatabases pessoais. MapInfo, PostGIS, e numerosos outros formatos são suportados pelo QGIS.[14] Web services, incluindo Web Map Service e o Web Feature Service, também são suportados para habilitar o uso de dados de fontes externas.[3]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «QGIS Releases». Consultado em 24 de fevereiro de 2018. – via GitHub 
  2. a b «Official Website». www.qgis.org/. Consultado em 16 de outubro de 2013. 
  3. a b c Cavallini, Paolo (agosto de 2007). «Free GIS desktop and analyses: QuantumGIS, the easy way». The Global Geospatial Magazine 
  4. OSGeo (fevereiro de 2008). «OSGeo Annual Report 2007» 
  5. Tim Sutton (23 de janeiro de 2009). «Announcing the release of QGIS 1.0 'Kore'». Consultado em 26 de janeiro de 2009. 
  6. «Project details for Quantum GIS - Quantum GIS 0.9.0». Freshmeat. Consultado em 31 de dezembro de 2008. 
  7. a b c d e «QGIS Change Log». Open Source Geospatial Foundation. 9 de março de 2004. Consultado em 13 de dezembro de 2008. 
  8. «README for QGIS version 0.1pre1 'Moroz'». Open Source Geospatial Foundation. Consultado em 31 de dezembro de 2008. 
  9. «Quantum GIS 0.1pre1 (Development)». Freshmeat News. Freshmeat. 14 de fevereiro de 2004. Consultado em 31 de dezembro de 2008. 
  10. «QGIS Development - Road Map». Consultado em 4 de fevereiro de 2014. 
  11. Fischer, Jürgen E. «Announcing the release of QGIS 2.2». OSGeo.org. Consultado em 22 de fevereiro de 2014. 
  12. «Changelog for QGIS 2.18». QQIS.org. 21 de outubro de 2016. Consultado em 31 de março de 2017. 
  13. Sutton, Tim (17 de janeiro de 2016). «Help us to plan for QGIS 3.0». QGIS.org. Consultado em 31 de março de 2017. 
  14. Gray, James (26 de março de 2008). «Getting Started With Quantum GIS». Linux Journal 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]