Rainha Diaba

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Rainha Diaba
 Brasil
1974 •  cor •  100 min 
Direção Antonio Carlos Fontoura
Roteiro Antonio Carlos Fontoura, Plínio Marcos
Elenco Milton Gonçalves, Odete Lara, Stepan Nercessian, Nelson Xavier
Género Drama
Idioma Português
Página no IMDb (em inglês)

Rainha Diaba é um filme brasileiro de 1974, dirigido por Antônio Carlos Fontoura, com roteiro de Plínio Marcos.[1]

Sinopse[editar | editar código-fonte]

A história gira em torno de um homossexual autodenominado Diaba (Milton Gonçalves), que controla uma rede de narcotráfico na região a partir de um quarto, nos fundos de um prostíbulo. Ao saber que um de seus homens está prestes a ser preso pela polícia, decide usar um bode expiatório, Bereco, um jovem cheio de si (Stepan Nercessian), a fim de envolve-lo numa série de crimes e entrega-lo como se fosse o verdadeiro procurado.

A partir daí, a trama toma outros rumos. Os comandados de Diaba, revoltados com o autoritarismo do chefe, se rebelam por meio de Catitu (Nelson Xavier). Bereco, por sua vez, se fortalece e tenta entrar para o tráfico por conta própria, o que deflagra uma guerra no submundo do Rio de Janeiro.[2][3]

Inspiração[editar | editar código-fonte]

O filme Rainha Diaba foi livremente inspirado no criminoso carioca da primeira metade do século XX, João Francisco dos Santos, conhecido como Madame Satã.[4]

Elenco[editar | editar código-fonte]

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre um filme brasileiro é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.