Raul Christiano

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Raul Christiano

Raul Christiano de Oliveira Sanchez (Apucarana, 10 de setembro de 1958), conhecido como Raul Christiano, é um jornalista, escritor, poeta, especialista em políticas públicas, professor universitário e ativista político socialdemocrata brasileiro.

Descendente de espanhóis, italianos e portugueses, Raul é o filho mais velho de 4 irmãos. Residiu em Apucarana até 1961, transferindo-se para Brotas, onde permaneceu até 1969; passando um curto período em Barra Bonita. Em abril de 1971 mudou-se para Santos, onde vive até hoje.

Formado jornalista profissional em 1982 na Faculdade de Comunicação da Universidade Católica de Santos (Unisantos), trabalhou em vários órgãos de imprensa da cidade litorânea paulista, como o jornal A Tribuna, Rádio Clube de Santos, Rádio Cacique de Santos e TV Mar. Presidiu a Delegacia Regional do Sindicado dos Jornalistas na Baixada Santista (1994/1995).

Ainda universitário, interessou pela política estudantil e cultural da cidade e em 1976 filiou-se ao MDB - único partido de oposição ao Regime Militar da época. Participou também dos primeiros movimentos intelectuais que deram origem ao PT, em 1979, mas não se filiou a esse partido.

Ativista cultural, foi um dos fundadores do Grupo Picaré, de literatura e arte, em 1979, sendo um dos participantes ativos das Gerações do Mimeógrafo e da Poesia Marginal, nos anos 1970 e 1980.

Com o fim do bipartidarismo e a extinção do MDB em 1980, filiou-se ao PMDB, permanecendo nesse partido até 1987, quando foi um dos líderes da sua dissidência em São Paulo, participando do MUP - Movimento de Unidade Progressista.

Foi um dos fundadores do PSDB em 1988, sendo um de seus dirigentes estaduais e nacionais. Ocupou também o cargo de Diretor Cultural da Fundação Mário Covas[1] . É Conselheiro Fiscal do ITV - Instituto Teotônio Vilela[2], presidente do Conselho Estadual de Ética e Fidelidade Partidária do PSDB-SP e membro do Diretório Nacional do PSDB.

Lecionou em diversas universidades como Unip, Unisantos, Unisanta, Unaerp e Unimonte. Ocupou cargos nas áreas de cultura, meio-ambiente e educação, sendo um dos responsáveis, dentro do ministério da Educação no governo Fernando Henrique Cardoso, pela implantação do Programa Bolsa Escola Federal (atual Bolsa Família) na gestão de Paulo Renato Souza.

Atual membro da Academia Santista de Letras e do Instituto Histórico e Geográfico de Santos, foi Secretário Municipal da Cultura em Santos[3], ocupou o cargo de Diretor do Programa de Oficinas Culturais da Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo e acumulou a gestão das secretarias de Educação e Cultura na Prefeitura de Cubatão (de janeiro a setembro de 2017).

Hoje sua atuação está voltada à consultoria nas áreas de comunicação, com ênfase em conteúdos e estratégias de marketing público e privado. Raul é viúvo e tem quatro filhos e dois netos.

Obras[editar | editar código-fonte]

  • "Vitória" (poesias, 1980)
  • "Enxoval para bebe(r)" (poesias, 1981)
  • "Produção Independente na Literatura" (ensaios, 1983)
  • "Sensação de Amor Feito" (poesias, 1984)
  • "Alguma Poesia" (poesias, 2001)
  • "De Volta ao Começo - Raízes de um PSDB Militante que nasceu na oposição" (história, 2003).
  • "Poesia em tudo #AmorAosTuítes" (poesias, 2016).

Referências

  1. «Raul Christiano é o novo Diretor Cultural da Fundação Mário Covas». 3 de março de 2016. Consultado em 1 de julho de 2019 
  2. «Dirigentes 2013-2015 - Instituto Teotônio Vilela». Consultado em 19 de dezembro de 2014 
  3. «Prefeitura Municipal de Santos - Gabinete do Prefeito - Secretarias». Consultado em 19 de dezembro de 2014 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]