Redondela

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes fiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde julho de 2013). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Espanha Redondela  
—  Município  —
Vista de Redondela desde um dos viadutos ferroviários
Vista de Redondela desde um dos viadutos ferroviários
Brasão de armas de Redondela
Brasão de armas
Localização do Redondela na Galiza
Localização do Redondela na Galiza
Mapa das paróquias de Redondela
Mapa das paróquias de Redondela
Redondela está localizado em: Espanha
Redondela
Localização de Redondela na Espanha
Coordenadas 42° 17' N 8° 36' 30" O
Comunidade autónoma Galiza
Província Pontevedra
Comarca Vigo
 - Alcaide Javier Bas (2011, PPdeG)
Área
 - Total 52,1 km²
Altitude 4-100 m
Altitude máxima 500 m
População (2016) [1]
 - Total 29 563
    • Densidade 567,4 hab./km²
Gentílico: Redondelán/a, Redondelano/a, Choqueiro/a
Código postal 36800
Orago Santiago (25 de julho)
Principais festividades Festa da Coca
Sítio www.redondela.es

Redondela é um município (concello em galego) da província de Pontevedra, Galiza, no noroeste de Espanha. Pertence à comarca de Vigo, tem 52,1 km² de área e em 2016 a população do município era de 29 563 habitantes (densidade: 567,4 hab./km²).[1]

Geografia[editar | editar código-fonte]

O concelho de Redondela situa-se no sudoeste da Galiza, na margem esquerda da ria de Vigo, em frente à enseada de São Simão, onde se situa o arquipélago homónimo. A capital, Santiago de Redondela, fica a cerca de 12 km a nordeste de Vigo, 15 km a norte de Mos, 8 km a sudoeste de Soutomaior e 20 km a sul de Pontevedra. Está subdivido em treze paróquias. É limitado a norte pelo município de Soutomaior, a norte e noroeste pela ria de Vigo, a oeste e sudoeste pelo município de Vigo, a sul e sudeste pelo município de Mos e a leste pelo município de Pazos de Borbén.

A orografia é suavemente montanhosa, com elevações que quase atingem os 500 metros na parte sul. O solo da parte costeira é arenoso em algumas partes e rochoso em outras. Apesar da baixa altitude, o terreno é muito irregular. O sistema fluvial é constituído por vários pequenos cursos de água, nomeadamente o rio Alvedosa, que desagua na enseada de São Simão, e os seus afluentes Maceiras, cuja foz se situa no centro da vila, e Pexegueiro, que se junta ao Alvedosa junta à foz deste.

Paróquias de Redondela
Paróquia População em 2011
Cabeiro 737
Cedeira 2 029
Cesantes 3 475
Chapela 7 611
Negros 531
Quintela 692
Reboreda 2 224
Redondela 7 383
Saxamonde 793
Trasmañó 1 050
Ventosela 723
Vilar de Infesta 1 255
O Viso 1 503

Demografia[editar | editar código-fonte]

População de de Redondela (1991 – 2016)
1991 1996 2001 2004 2010 2016
28 014 28 893 29 003 27 732 30 067 29 563
  Aumento 3,1% Aumento 0,4% Baixa 4,4% Aumento 8,4% Baixa 1,7%

Locais de interesse[editar | editar código-fonte]

Viadutos ferroviários[editar | editar código-fonte]

Viaduto de Pontevedra

A paisagem do concelho é marcada pelos dois grandes viadutos ferroviários construídos no século XIX. Ambos estão classificados como Bem de Interesse Cultural desde 1978 e originaram que Redondela seja conhecida como a "vila dos viadutos". O mais antigo é o de Madrid; a sua construção combinou a técnica, então vanguardista do ferro forjado, usado no tabuleiro e a estrutura de treliça que é sustentada pela tradicional cantaria dos pilares. A sua construção foi iniciada em 1872, tendo sido inaugurada a 30 de junho de 1876. Tem 255,9 metros de comprimento. Desde há décadas que se conta em Redondela que um dos subempreiteiros da obra, chamado Pedro Floriani, se lançou à via quando lhe disseram que não lhe pagariam porque o trabalho estava mal feito e não poderia entrar em serviço. Segundo uma versão da história, Floriani não teria chegado a morrer na sua tentativa de suicídio, e pouco tempo depois pôde ver os comboios a circular no viaduto. O viaduto esteve em serviço até 1971.

O outro viaduto é o de Pontevedra, inagurado em 30 de junho de 1884, para servir o prolongamento do traçado de Pontevedra até Redondela e Vigo. Mais curto que o viaduto de Madrid, o de Pontevedra diferencia-se também pelo facto dos pilares serem metálicos, como o tabuleiro. Em 1889, com a abertura do troço Carril.Pontevedra, passou a ser possível viajar entre Santiago e Vigo e entre Santiago e Madrid. Ainda se encontra em serviço.

Igrejas[editar | editar código-fonte]

Igreja em André de Cedeira

Existe pelo menos uma igreja em cada uma das paróquias, cada qual com caraterísticas particulares. Dentre elas, podem destacar-se as seguintes:

  • Igreja paroquial de Santiago — Situa-se na zona mais alta da parte antiga da vila de Redondela, em pleno caminho de Santiago. Várias vezes reconstruida, o edifício atual é do século XVI, de estilo gótico tardio.
  • Igreja paroquial de Cedeira — O edifício atual data do século XVIII, quando a então pequena igreja paroquial foi ampliada, contratando-se para tal um arquiteto então famoso, Fernando de Casas Novoa, o autor da fachada do Obradoiro da catedral de Santiago de Compostela. É uma igreja barroca, com planta em cruz latina com uma só nave, distribuída em dois tramos. Praticamente não sofreu alterações desde o século XVIII.
  • Convento de Vilavella — Situa-se na paróquia homónima, perto do centro de Redondela. Foi fundado em 1501 e esteve ocupado pelas freiras de São Lourenço Justiniano. Do traçado original conserva-se a igreja com cinco tramos.

Outros elementos da arquitetura civil e popular[editar | editar código-fonte]

Além das igrejas, há no concelho diversas obras arquitetónicas interessantes, como pazos[nt 1] e outros elementos de arquitetura popular de caráter religioso, como cruzeiros ou petos de ánimas,[nt 2] ou de natureza civil e utilitária, como espigueiros (em galego e espanhol: hórreos). Por todo o concelho podem observar-se cruzeiros de pedra associados a ritos religiosos sobre os quais há inúmeras lendas. Geralmente situam-se em encruzilhadas de caminhos e em locais de boa visibilidade. Os petos de ánimas são pequenos monumentos funerários ligados ao culto aos mortos da cultura galega. Muitos destes monumentos, constituídos por três parte fundamentais — pedestal, retábulo e cruz — ainda conservam o seu caráter religioso e são objeto de culto. Localmente distinguem-se três tipos de cruzeiros: os designados como tal, um pouco mais elaborados e as "cruzes altas" e "cruzes baixas".
Inventário de cruzeiros e petos de ánimas
Paróquia Cruzeiros Cruzes altas Cruzes baixas Petos de ánimas
Cabeiro 2   1  
Cedeira 2     2
Cesantes 5   1 1
Chapela 2     1
Quintela 2   1  
Reboreda 10      
Redondela 5     1
Santo Esteban de Negros 1      
Saxamonde 1 1 calvário 1
Trasmañó 1 2    
Ventosela 2      
Vilar de Infesta 2      
O Viso 5 2   1
cruzeiro em Ventosela
 
Cruzeiro em Reboreda
Cruzeiro em Cedeira
Mamoa do Rei

Vestígios arqueológicos[editar | editar código-fonte]

Há diversos no concelho com vestígios arqueológicos. Entre eles destaca-se o complexo funerário do Monte Penide (ou da Peneda), uma necrópole de grandes dimensões do Neolítico e Idade do Bronze, onde há numeroas mamoas e petróglifos, nomeadamente a Mamoa do Rei.

O sítio da Pedreira, na paróquia de Ventosela, há um conjunto de arte rupestre, de grande relevância pela abundância e dimensões das gravuras e das cenas equestres. É uma das estações da chamada Rota das Pedras.

No concelho existiam cinco marcos miliários que, à exceção do de Vilar de Infesta se encontram no Museu de Pontevedra, para onde foram levados os que se encontravam nas paróquias de Cesantes (dois), Quintela e Saxamonde. O miliário de Vilar, datado do século II, está no limite com Mos e ainda hoje é objeto de culto cristão. Já tentaram levá-lo também para o Museu de Pontevedra, mas os locais impediram que isso acontecesse.

Percursos pedestres[editar | editar código-fonte]

Rio Alvedosa

Pela sua situação e caraterísticas, o concelho é propício para a prática de caminhadas e outros desportos de ar livre, como ciclismo de montanha e passeios a cavalo. O município é atravessado por três percursos pedestres de grande distãncia (os chamados trilhos de Grande Rota ou G.R.) e dois de caráter local. O mais conhecido destes últimos é o Sendeiro das Greas, que na área do concelho coincide com o Sendeiro Rural de Galicia G.R. 94. Outro trilho extenso é o Camiño da Franqueira. Além disso, o chamado Caminho Português de Santiago atravessa também o concelho; apesar de em rigor não ser um percurso pedestre, apresenta caraterísticas similares, além de representar uma grande riqueza patrimonial e arquitetónica. Outros percursos locais de menor extensão são a Senda da Auga ("senda da água"), que percorre o caminho da água que abastecia Vigo, e a Rota das Pedras. Tanto estes dois percursos como oum trecho do Caminho de Santigao estão ou estavam em risco de desaparecer, o primeiro devido aos planos de construção de um parque industrial na zona de Chan das Pipas e o segundo devido à construção da autoestrada A-57.

Espaços naturais[editar | editar código-fonte]

A ilha de São Simão e a enseada homónima vista de Cesantes; ao fundo: a Ponte de Rande

Praias[editar | editar código-fonte]

Praia de Cesantes

As principais praias do concelho de Redondela são a de Cesantes, na paróquia homónima, e a de Arealonga, na paróquia de Chapela. Além destas, nos 15 km de costa do concelho há alguns pequenos areais mais tranquilos, mas de acesso difícil.

A praia de Cesantes é a mais extensa e a parte conhecida como "A Punta da praia" é a mais popular; conta com um passeio marítimo, um parque infantil, numerosos bares e restaurantes junto ao areal e um parque de campismo. Situa-se perto da ilha de São Simão e o areal quase toca essa ilha.

A praia de Arealonga também conta com um parque infantil e um passeio marítimo, onde se encontram vários bares e restaurantes especializados em pratos típicos da ria.

A praia de Cabanas, situada na paróquia de Trasmañó, debaixo da ponte de Rande, tem um pequeno areal durante a maré baixa que é submerso durante a maré alta, quando ficam à vista apenas rochas. É acessível atravessando o caminho de ferro.

Eventos culturais e festivos[editar | editar código-fonte]

Atuação do bonecreiro brasileiro Eder Paiva no Festival Internacional de Títeres de Redondela
  • Redondela en Curto — ou Festival Nacional de Curtas-metragens, realizado em abril.
  • Teatrarte — Ciclo Nacional de Teatro, realizado de meados de fevereiro a meados de abril.
  • Festival Internacional de Títeres de Redondela — festival de fantoches que decorre em finais de maio ou princípio de junho.
  • Entroido (Carnaval) — ocorre geralmente em fevereiro.
  • Festa dos maios — festa folclórica aparentada com as maias em terras portuguesas, celebra-se a 1 de maio.
  • Festa do choco — Redondela é famosa pelos seus pratos de choco; esta festa gastronómica ocorre no segundo fim de semana de maio.
  • Festa da coca — realizada de finais de maio a princípios de junho.
  • Entroido de verán (Carnaval de verão) — realiza-se em finais de agosto.

Notas[editar | editar código-fonte]

  1. O pazo, literalmente paço ou palácio, que se pode traduzir por solar, é um tipo de habitação de nobres, de famílias abastadas ou de pessoas importantes na comunidade, típicas da Galiza.
  2. Petos de ánimas, literalmente "peitilho de almas", são pequenos nichos de caráter devocional normalmente construídos à beira de estradas e caminhos, equivalentes às alminhas em Portugal.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Redondela