Religião nas Ilhas Feroé

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa



Circle frame.svg

Religião nas Ilhas Feroé

  Outros protestantes (11.8%)
  Igreja Católica (0.2%)
  Outras religiões (0.41%)
  Irreligião (3.4%)

Religião nas Ilhas Feroé (ou Ilhas Faroé) consiste em grande parte de luteranos membros da Igreja das Ilhas Feroé, mas também inclui grupos protestantes menores, como o Irmãos Abertos, as Testemunhas de Jeová, alguns católicos, e adeptos de religiões não-cristãs.

Igreja de Viðareiði, construída em 1892
Igreja de Porkeri, construída 1847

As Ilhas Feroé estão localizadas entre a Escócia e a Islândia, e são parcialmente governadas pela Dinamarca, e como tal, as pessoas praticam a mesma religião que os dinamarqueses, embora a prática religiosa e a participação é hoje em dia mais ampla e intensa entre os feroeses do que entre os dinamarqueses.

As Ilhas Feroé se foram cristianizadas entre os anos 850 e 1000. Existe evidência para conversões por missionários celtas antes de 850, mas o catolicismo só chegou às ilhas por este último ano. A Saga dos Færeyinga é muitas vezes citada, em relação à disseminação da cristandade nas ilhas, afirmando que o rei da Noruega à época, Olavo I, disse a Sigmundur Brestisson para ir de navio para as Ilhas Feroé, com ordens bem claras: ele deveria fazer as 18 pequenas ilhas cristãs, o que foi conseguido, de acordo com a fonte. Este evento se acredita ter ocorrido por volta de 1000, mas as Ilhas Feroé não estabeleceram uma congregação organizada aderente aos conceitos católicos antes de cerca de 1100.

Originalmente pertencentes à Noruega, as ilhas caíram sob a jurisdição da Dinamarca em 1523. O último bispo das Ilhas Feroé foi Ámundur Ólavsson, que foi substituído pelo primeiro bispo luterano, Jens Gregerson Riber, em 1540.

Se contados separadamente, o movimento carismático é o terceiro maior grupo religioso nas ilhas.

Hoje, a Igreja Católica é uma minoria muito pequena, somando apenas cerca de 130 pessoas. Há também pequenos grupos de adventistas do sétimo dia, testemunhas de Jeová e bahá'ís no país.

Veja também[editar | editar código-fonte]

Fontes[editar | editar código-fonte]