Roberto Nobre

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Roberto Nobre
Nascimento 1903
São Brás de Alportel
Morte 1969 (66 anos)
Lisboa
Nacionalidade Portugal portuguesa
Área Pintura

Roberto Nobre (São Brás de Alportel, 1903 — Lisboa, 1969) foi um cineasta, crítico de cinema e pintor português. Pertence à segunda geração de pintores modernistas portugueses.[1][2]

Biografia / Obra[editar | editar código-fonte]

Desenho, 1935

Teve atividade particularmente significativa entre os primórdios do cinema sonoro e o advento do cine-clubismo, assumindo, como cineasta e sobretudo como crítico, "uma autoridade indiscutível, pela combatividade doutrinária e pelo vigor teórico".[3]

Foi assistente Albert Durot (c. 1920) e trabalhou, depois, com Artur Costa de Macedo. Entre 1923 e 1925 realizou Charlotin e Clarinha, uma farsa cómica em curta metragem (revelada apenas em 1972 no Festival de Santarém). No seu legado bibliográfico destacam-se Horizontes de Cinema (1939, 1971) e Singularidades do Cinema Português (1964).[4]

A sua atividade plástica inclui inúmeros desenhos, "de firme expressão gráfica, num estilo pessoalmente imaginado , capaz de humor como de sentido dramático. [...] Nobre foi um artista empenhado socialmente [...] e os notáveis desenhos contra a guerra italo-etíope ou antinazis marcam uma consciência humanitária como nenhum outro artista desse tempo exprimiu".[5]

Ilustrou diversas obras de Ferreira de Castro (A Volta ao Mundo, etc.). Publicou desenhos e ilustrações em jornais e revistas, entre os quais: A Batalha; Civilização; O Diabo; O Sempre Fixe; Magazine Bertrand; ABC; Voga; A Choldra[6]. Expôs individualmente em 1923 e 1924, "praticando então uma pintura futuro-expressionista, à moda alemã, que o cinema (de que foi o maior crítico da sua geração em Portugal) lhe trazia".[7]

Referências

  1. França, José AugustoA arte em Portugal no século XX. Lisboa: Livraria Bertrand, 1991, p. 317.
  2. José de Matos-Cruz. «Roberto Nobre, um homem de conema». Câmara Municipal de S. Brás de Alportel. Consultado em 1 de janeiro de 2014 
  3. José de Matos-Cruz. «Roberto Nobre, um homem de conema». Câmara Municipal de S. Brás de Alportel. Consultado em 1 de janeiro de 2014 
  4. José de Matos-Cruz. «Roberto Nobre, um homem de conema». Câmara Municipal de S. Brás de Alportel. Consultado em 1 de janeiro de 2014 
  5. França, José Augusto – A arte em Portugal no século XX. Lisboa: Livraria Bertrand, 1991, p. 317.
  6. «A Choldra». Homeroteca Digital. Consultado em 23 de novembro de 2013 
  7. França, José Augusto – A arte em Portugal no século XX. Lisboa: Livraria Bertrand, 1991, p. 104-107, 317.
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.