Rudolf Nureyev

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde agosto de 2019).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde agosto de 2019). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Rudolf Nureyev
Nascimento 17 de março de 1938
Irkutsk
Morte 6 de janeiro de 1993 (54 anos)
Levallois-Perret
Sepultamento Cemitério Russo de Sainte-Geneviève-des-Bois
Cidadania Rússia, União Soviética, Áustria
Etnia Tártaros
Alma mater Ballet Mariinski, Academia de Balé Russo Vaganova
Ocupação bailarino, coreógrafo, maestro, ator, dançarino, mestre de balé, ator de cinema
Prêmios Cavaleiro da Legião de Honra, Comendador das Artes e das Letras, Prêmio de Dança Capezio
Causa da morte morte por AIDS
Página oficial
http://www.nureyev.org

Rudolf Khametovich Nureyev (em tártaro Рудольф Хәмит улы Нуриев; em russo Рудо́льф Хаме́тович Нуре́ев; Irkutsk, 17 de março de 1938Paris, 6 de janeiro de 1993) foi um bailarino e coreógrafo soviético. Nasceu na Rússia Soviética, transformando-se num dos mais celebrados bailarinos do século XX e o primeiro astro masculino da dança desde Vaslav Nijinsky.

Em 17 de junho de 1961, quando estava em turnê com o Kirov em Paris, ele quebrou a barreira da segurança soviética e pediu asilo de oficiais no Aeroporto de Le Bourget.

Em 1989 ele dançou na União Soviética pela primeira vez desde que a abandonara. Nureyev fez sua última aparição pública em outubro de 1992, como diretor na estréia parisiense de uma nova produção de La Bayadère.

Nureyev morreu em 1993, em Paris, França, por complicações decorrentes da SIDA/AIDS.

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

O primeiro romance homossexual de Nureyev[1]

Teja Kremke era um belo e jovem estudante de dança da República Democrática Alemã (Alemanha Oriental), três anos mais novo que Nureyev. Antes da fuga de Nureyev para o Ocidente, Kremke e Nureyev tornaram-se amigos inseparáveis em São Petersburgo, durante cerca de seis meses, no que teria sido o primeiro romance homossexual de Nureyev. Apesar da sua juventude, Kremke soube perceber as restrições e constrangimentos a que Nureyev estaria sujeito na rígida União Soviética comunista e encorajou-o a fugir para o Ocidente. Nureyev, apesar de fortemente vigiado pela KGB, e após uma turnê em Paris que lhe rendeu a alcunha de "melhor bailarino do mundo",[2] assim o fez e, logo depois, telefonou para Kremke, então já em Berlim Oriental, a pedir-lhe para que se lhe juntasse em Paris. Kremke, pressionado pela sua mãe, que queria que ele terminasse o curso de dança, hesitou. Num espaço de dias o Muro de Berlim foi erguido, isolando Berlim Oriental do resto da Europa Ocidental e isolando Nureyev do seu primeiro amor.

Referências

  1. Kavanagh, Julie "Rudolf Nureyev: The Life", Fig Tree Books, 2007
  2. Janine Ringuet, produtora de dança francesa

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Rudolf Nureyev
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.