Sempre Livre

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde agosto de 2016). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Disambig grey.svg Nota: Se procura o absorvente da marca Johnson & Johnson, veja Sempre Livre (absorvente).
Banda Sempre Livre
Informação geral
Origem Rio de Janeiro
 Rio de Janeiro
País  Brasil
Gênero(s) Pop rock, New wave
Período em atividade 1984—atual
Gravadora(s) RCA Victor[1]
Página oficial www.bandasemprelivre.com.br

Sempre Livre é uma banda brasileira de pop rock criada no Rio de Janeiro e formada só por mulheres. O nome do grupo faz menção a uma marca célebre de absorventes femininos.[1]

Em 1984, o Sempre Livre lançou seu primeiro disco, intitulado Avião de Combate e produzido por Ruban, o mesmo produtor do grupo As Frenéticas.[1] O vinil logo se tornaria um grande sucesso por causa da música tema "Eu Sou Free",[1] uma parceria de Ruban com Patrícia Travassos, que se tornou um dos grandes sucessos da década de 80.[2][3] Em 1986, viria outro disco, Sempre Livre e em 2016 lançaram o novo álbum A Boa Moça.

Na matéria "Uma Batucada de Rock", de 1985, a revista Veja comentou sobre o sucesso até então inédito para um grupo feminino no Brasil:

O Sempre Livre venceu num território tradicionalmente masculino, o território do rock. Não são raras as intérpretes que incorporam o rock a seus repertório, mas, no Brasil, jamais se havia assistido à consagração de um grupo feminino em que suas integrantes cantam a agenda livre (...)

[4]

Em 1991, a banda volta com o disco Vícios de Cidade e uma formação que, da original, só mantinha a baterista.[carece de fontes?]

Formações[editar | editar código-fonte]

Primeira (1984–1986)[editar | editar código-fonte]

  • Dulce Quental (voz)
  • Márcia Gonçalves (guitarra, violão e vocal)
  • Flávia Cavaca (baixo e vocal)
  • Lúcia Lopes (Bateria e vocal)
  • Lelete Pantoja (teclado e vocal)

Segunda (1986–1989)[editar | editar código-fonte]

  • Tonia Schubert (voz)
  • Rosana Piegaia (guitarra e vocal)
  • Flávia Araújo (baixo e vocal)
  • Lúcia Lopes (bateria)
  • Sônia Bonfá (teclado e vocal)

Terceira (1989–1990)[editar | editar código-fonte]

  • Anne Duá (voz)
  • Loyd (guitarra e vocal)
  • Flávia Cavaca (baixo e vocal)
  • Lúcia Lopes (bateria)
  • Valéria de Souza (percussão)
  • Denise Mastrangelo (teclado e vocal)

Quarta (2010)[editar | editar código-fonte]

  • Denise Mastrangelo (voz)
  • Louise Rabello (guitarra e vocal)
  • Lúcia Lopes (bateria)
  • Cléo Boechat (teclado e vocal)

Quinta (2015–atual)[editar | editar código-fonte]

  • Anne Duá (voz)
  • Renata Prieto (guitarra e vocal)
  • Flávia Cavaca (baixo e vocal)
  • Leticia Andrade (bateria)
  • Denise Mastrangelo (teclado e vocal)

Discografia[editar | editar código-fonte]

  • 1984 – Avião de Combate
  • 1986 – Sempre Livre
  • 1991 – Vícios de Cidade
  • 2016 - A Boa Moça

Referências

  1. a b c d Adm. do sítio web (2002–2014). «Banda Sempre Livre». Dicionário Cravo Albin. Consultado em 12 de agosto de 2012. 
  2. ALVES, Luciano (2001). O Melhor Do Rock Brasil, vol. Ii Irmãos Vitale [S.l.] ISBN: 9788574071466. 
  3. BRYAN, Guilherme (2004). 80, quem tem um sonho não dança: cultura jovem Record [S.l.] p. 532. ISBN: 9788501067432. 
  4. Da redação (2 de janeiro de 1985). «Uma Batucada de Rock». Arquivo Digital Veja. Consultado em 12 de agosto de 2014. [ligação inativa]


Crystal Clear app kguitar.png Este artigo sobre uma banda ou grupo musical é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.