Túrdulos Velhos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Túrdulos velhos)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Migrações das tribos pré-românicas no território do atual Portugal: Rosa: Túrdulos; Castanho: Célticos; Azul: Lusitanos

Os Túrdulos Velhos (em latim: Turduli Veteres) foram um povo antigo de Celtiberos antiga tribo pertencente à antiga Lusitânia, dentro do grupo dos chamados Lusitanos, que viveram na parte sul do rio Douro, no que é hoje o norte de Portugal.

A sua capital foi Langóbriga (Longroiva, atualmente Fiães, perto de Santa Maria da Feira). A população dos túrdulos velhos estendia-se até outras cidades tais como Talábriga (junto de Branca, Albergaria-a-Velha), possivelmente Ópido Vaca (em latim: Oppidum Vacca; na região de Cabeço do Vouga) e também até à região de Vila Nova de Gaia, tal como comprovam as duas placas de bronze (Tesserae Hospitales) encontradas no Monte Murado em Pedroso (Castro Petroso é o que dá o nome a esta freguesia de Vila Nova de Gaia).

Os túrdulos velhos, eram uma tribo vizinha da tribo dos Pésures (Paesuri), ambas situadas na mesma região a sul do Rio Douro.

História[editar | editar código-fonte]

Sendo uma extensão dos túrdulos, os túrdulos velhos percorreram até norte por volta do século 5 AC em conjunto com os Célticos e acabaram por se estabelecer na região noroeste da atual Beira Litoral, uma região costeira situada ao longo das bacias dos rios do Douro e Vaca (Vouga). Ao contrário dos seus vizinhos túrdulos opidanos, os túrdulos velhos parecem ter-se mantido independentes até o final do século I a.C. e parece plausível que eles tenham resistido às tentativas dos Lusitanos e dos Galaicos para incorporá-los nas respectivas federações tribais.

Eles não caíram sob o domínio Cartaginês no final do século III a.C. e parecem não ter participado da II Guerra Púnica. Sendo menos acostumados ao domínio estrangeiro do que seus irmãos tribais mais ao sul, os túrdulos velhos aliados com os Lusitanos e os Galaicos, suportaram o peso dos primeiros avanços militares romanos no noroeste ibérico. Em 138-136 a.C., o cônsul Décimo Júnio Bruto do Império Romano invadiu as suas terras e atacou Talábriga, em retaliação por eles terem ajudado os Lusitanos. No entanto, os túrdulos velhos sofreram o mesmo tratamento em 61-60 a.C., quando eles e os seus vizinhos túrdulos opidanos foram derrotados e incorporados na província Ulterior de Hispânia pelo Júlio César.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Ángel Montenegro et alii, Historia de España 2 - colonizaciones y formación de los pueblos prerromanos (1 200-218 a.C.), Editorial Gredos, Madrid (1989) ISBN 84-249-1386-8
  • Alberto Lorrio J. Alvarado, Los Celtíberos, Universidad Complutense de Madrid, Murcia (1997) ISBN 84-7908-335-2
  • Francisco Burillo Mozota, Los Celtíberos, etnias y estados, Crítica, Barcelona (1998, revised edition 2007) ISBN 84-7423-891-9
  • Jorge de Alarcão, O Domínio Romano em Portugal, Publicações Europa-América, Lisboa (1988) ISBN 972-1-02627-1
  • Jorge de Alarcão et alii, De Ulisses a Viriato – O primeiro milénio a.C., Museu Nacional de Arqueologia, Instituto Português de Museus, Lisboa (1996) ISBN 972-8137-39-7
  • Luis Berrocal-Rangel, Los pueblos célticos del soroeste de la Península Ibérica, Editorial Complutense, Madrid (1992) ISBN 84-7491-447-7

Ligações exteriores[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre História de Portugal é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.