Tadeia Visconti

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Tadeia Visconti
Duquesa da Baviera
Reinado 13 de maio de 1375 - 28 de setembro de 1381
 
Nascimento 1351
  Milão, Itália
Morte 28 de setembro de 1381 (29 anos)
  Munique, Alemanha
Cônjuge Estêvão III de Baviera-Ingolstádio
Descendência Luís VII de Baviera
Isabel da Baviera, Rainha de França
Casa Visconti
Wittelsbach
Pai Barnabé Visconti

Tadeia Visconti (em italiano: Taddea Visconti; Milão, 1351Munique, 28 de setembro de 1381), foi a filha mais velha de Barnabé Visconti, Senhor de Milão e de sua esposa Beatriz Regina de Scala. Se tornou duquesa consorte de Baviera-Ingolstádio através de seu casamento com Estêvão III de Baviera-Ingolstádio, de quem foi a primeira esposa, e foi a mãe de Isabel da Baviera, Rainha de França.

Família[editar | editar código-fonte]

Imagem de Barnabé Visconti e Beatriz Regina della Scala, os pais da duquesa.

Tadeia teve 16 irmãos por parte de pai e mãe, além de diversos outros meio-irmãos por parte de pai. Algumas de suas irmãs legítimas incluíam: Viridis Visconti, duquesa consorte da Áustria como esposa de Leopoldo III; Valentina Visconti, rainha consorte de Chipre e rainha titular de Jerusalém por seu casamento com Pedro II de Chipre; Inês Visconti, esposa de Francisco I Gonzaga, Senhor de Mântua, foi executada por suposto adultério; Madalena Visconti, casada com Frederico de Baviera-Landshut, sendo duquesa consorte de Baviera-Landshut; Lúcia Visconti, antes de seu casamento com Edmundo Holando de Kent, foi considerada como noiva para Henrique Bolingbroke, o futuro rei Henrique IV de Inglaterra.

Seus avós paternos eram Estêvão Visconti, governante de Milão e Valentina Doria, e seus avós maternos eram Mastino II della Scala, Senhor de Verona, Vicenza e Pádua, e Tadeia da Carrara.

Seu pai, um déspota, em guerra contra o Papado, foi desposto em 1385 pelo seu sobrinho, João Galeácio Visconti, e aprisionado no Castelo de Trezzo sull'Adda, onde morreu envenenado, em 18 de setembro de 1385.[1]

Casamento[editar | editar código-fonte]

Barnabé, interessado na riqueza da Baviera, decidiu casar quatro de suas filhas com membros da Casa de Wittelsbach, a família governante da época. Sendo Tadeia a mais velha, ela se casou primeiro.

O casamento ocorreu em 13 de outubro de 1367,[2] com Estêvão III de Baviera-Ingolstádio, filho do duque Estêvão II de Baviera e de Isabel da Sicília, filha do rei Frederico II da Sicília. Seu dote equivalia a 100 000 ducados.[1]

À época do casamento, Estêvão enfrentava problemas financeiros como resultado de suas fantasias extravagantes, e da manutenção de sua corte.[3]

Seu marido se tornou duque de Baviera-Ingolstádio em 13 de maio de 1375. De 1375 a 1392, ele governou o ducado juntamente com seus irmãos, Frederico de Baviera-Landshut, casado com uma das irmãs de Tadeia, e João II de Baviera-Munique. Foi duque até a sua morte em 26 de setembro de 1413.

Seus filhos foram:

Morte[editar | editar código-fonte]

A duquesa morreu em Munique, em 28 de setembro de 1381, aos 30 anos de idade. Foi enterrada na Catedral de Nossa Senhora Bendita, em Munique.[4]

Seu marido se casou novamente em 16 de janeiro de 1401, em Colônia, com Isabel de Cleves, com quem não teve filhos.

Ancestrais[editar | editar código-fonte]

Precedida por
Catarina da Boêmia
Duquesa consorte de Baviera-Ingolstádio
13 de maio de 1375 - 28 de setembro de 1381
Sucedida por
Isabel de Cleves

Referências

  1. a b Tuchman, Barbara (1978). A Distant Mirror: The Calamitous 14th Century. [S.l.]: Random House Publishing Group. pp. 436 a 438 
  2. «Medieval Lands - Terras Medievais». Consultado em 28 de março de 2015. Arquivado do original em 24 de fevereiro de 2008 
  3. Rohr, Zita Eva. Yolande of Aragon (1381-1442) Family and Power: The Reverse of the Tapestry. [S.l.: s.n.] 53 páginas 
  4. Find a Grave