The Strange Love of Martha Ivers

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
The Strange Love of Martha Ivers
O Estranho Amor de Martha Ivers (PT)
O Tempo Não Apaga (BR)
Lizabeth Scott e Van Heflin em cena do filme
 Estados Unidos
1946 •  p&b •  116 min 
Direção Lewis Milestone
Produção Hal B. Wallis
Roteiro Robert Rossen
John Patrick (conto)
Elenco Barbara Stanwick
Van Heflin
Lizabeth Scott
Kirk Douglas
Judith Anderson
Gênero noir
Distribuição Paramount Pictures
Idioma inglês
Página no IMDb (em inglês)

The Strange Love of Martha Ivers (O Tempo Não Apaga BRA ou O Estranho Amor de Martha Ivers POR) é um filme estadunidense de 1946, do gênero filme noir, dirigido por Lewis Milestone e estrelado por Barbara Stanwick e Van Heflin. Barbara faz uma mulher má nesta produção cheia de peripécias e que foi grande sucesso. O filme marca a estreia de Kirk Douglas nas telas e é o segundo de Lizabeth Scott.

O roteiro de Robert Rossen foi baseado no conto Love Lies Bleeding, do dramaturgo John Patrick, indicado ao Oscar de História Original.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Casada sem amor com o promotor de justiça alcoólico Walter O'Neil, Martha Ivers hoje está à frente de um império industrial na pequena Iverstown (Pensilvânia), mas seu passado foi violento: dezoito anos antes, ela acidentalmente matara a tia, que a impedira de fugir com Sam Masterson, um menino pobre que vivia pelas ruas. Agora, Sam está de volta, andarilho e jogador, e seu caminho cruza-se com o de Toni Marachek, uma jovem com problemas com a polícia. Ao procurar ajuda de Walter, ele desperta novamente a paixão de Martha, o que resulta em uma espiral de ciúmes, chantagem, manipulações e morte.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Ator/Atriz Personagem
Barbara Stanwick Martha Ivers
Van Heflin Sam Masterson
Lizabeth Scott Toni Marachek
Kirk Douglas Walter O'Neil
Judith Anderson Tia de Martha
Roman Bohnen Pai de Walter
Darryl Hickman Sam adolescente
Janis Wilson Martha adolescente
Mickey Kuhn Walter adolescente
Ann Doran Bobbi St. John
Frank Orth Atendente do hotel

Produção[editar | editar código-fonte]

O diretor Lewis Milestone deixou o filme muitos dias em solidariedade a uma greve dos cenógrafos que ocorria. Durante sua ausência, Byron Haskin cuidou da direção sem receber créditos [1]. Stanwyck tinha muito cuidado com sua atuação e não deixava de avisar seus colegas de cena que não gostava de ser ofuscada. Quando ela viu o truque da moeda que Van Heflin aprendera – por sugestão de Milestone, para apresentar o personagem dele como jogador profissional – ela o avisou que não fizesse aquilo durante qualquer cena importante com ela. Ao falar isso ela levantou a saia e ajustou a liga da perna. Como resultado, Heflin fez o truque apenas uma vez em cena com a atriz [1]. Kirk Douglas mais tarde escreveu que Stanwyck fora indiferente a ele no começo, até um momento que ela prestou atenção em suas cenas e lhe disse: "Ei, você é muito bom!". Douglas, ressentido de ter sido ignorado anteriormente, retrucou: "Agora é tarde, Senhora Stanwyck". Mas os dois se deram bem depois [1].

Seis meses após o lançamento do filme, Milestone deu uma entrevista e disse que nunca mais voltaria a trabalhar para o produtor Hal B. Wallis, pois ele lhe pedira para refilmar cenas dando mais close-ups de Lizabeth Scott. Milestone recusou, falando a Wallis que o fizesse ele mesmo, e, de acordo com o diretor, Wallis o fez [2].

Principais premiações[editar | editar código-fonte]

Prêmio Categoria Situação
Óscar Melhor História Original Indicado

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c Callahan. Dan. (2012) Barbara Stanwyck: The Miracle Woman Editora da Universidade do Mississippi. pp.152-53 ISBN 9781617031847
  2. Milestone, Lewis entrevista ao Los Angeles Sun Mirror (8 de dezembro de 1946), noticiado em "Notes" no American Film Institute Catalog entry

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • EAMES, John Douglas, The Paramount Story, Londres: Octopus Books, 1985 (em inglês)
  • Rodrigues da Silva, Divino (1995). «Todos os Filmes da Paramount no período de 1945 a 1949». edição de autor. Matinê (14) 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]