Turbinella

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Como ler uma infocaixa de taxonomiaTurbinella
Cinco vistas da concha de Turbinella pyrum (Linnaeus, 1767)[1], encontrada no oceano Índico. Espécimes com espiral sinistrogira, deste molusco, são raras e consideradas sagradas na Índia, pela mitologia hindu.[2][3] Esta é a espécie-tipo do seu gênero.[1]
Cinco vistas da concha de Turbinella pyrum (Linnaeus, 1767)[1], encontrada no oceano Índico. Espécimes com espiral sinistrogira, deste molusco, são raras e consideradas sagradas na Índia, pela mitologia hindu.[2][3] Esta é a espécie-tipo do seu gênero.[1]
Uma concha de Turbinella laevigata Anton, 1838[1], encontrada na costa da região nordeste do Brasil, do Amapá ao Espírito Santo[4], na zona nerítica.[2] Atinge quase 20 centímetros.[3]
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Mollusca
Classe: Gastropoda
Subclasse: Caenogastropoda
Ordem: Neogastropoda
Superfamília: Turbinelloidea
Família: Turbinellidae
Swainson, 1835[5]
Subfamília: Turbinellinae
Género: Turbinella
Lamarck, 1799[1]
Espécie-tipo
Turbinella pyrum
(Linnaeus, 1767)[1]
Distribuição geográfica
Os moluscos do gênero Turbinella estão distribuídos nas costas e oceanos das regiões de clima tropical da Terra.
Os moluscos do gênero Turbinella estão distribuídos nas costas e oceanos das regiões de clima tropical da Terra.
Espécies
ver texto
Duas vistas de uma concha de Turbinella angulata (Lightfoot, 1786)[1], encontrada no golfo do México e mar do Caribe[2], podendo chegar a mais de 35 centímetros.[3]
Sinónimos
Buccinella Perry, 1811
Xancus Röding, 1798
(WoRMS)[1]

Turbinella (nomeadas, em inglês, chank -sing.) é um gênero de moluscos gastrópodes marinhos predadores pertencente à família Turbinellidae (outrora entre os Xancidae).[1][2][5] Foi classificado por Jean-Baptiste de Lamarck, em 1799, e sua primeira espécie, Turbinella pyrum, fora descrita por Carolus Linnaeus no ano de 1767; como Voluta pyrum (no gênero Voluta), em seu Systema Naturae.[1][6] Sua distribuição geográfica abrange principalmente os oceanos tropicais da Terra, em águas rasas.[2][4] Na India e Sri Lanka, conchas podem ser usadas como instrumento de sopro, sendo denominadas shankha[7], em sânscrito[8], ou pantchdjanya[9]; consideradas objeto de culto do hinduísmo (Turbinella pyrum) e de civilizações pré-colombianas (Turbinella angulata, do Caribe), podendo chegar a mais de 35 centímetros.[3]

Espécies de Turbinella[editar | editar código-fonte]

  • Turbinella angulata (Lightfoot, 1786)
  • Turbinella fusus G.B. Sowerby I, 1825
  • Turbinella laevigata Anton, 1838
  • Turbinella laffertyi Kilburn, 1975
  • Turbinella ponderosa (Lightfoot, 1786)
  • Turbinella pyrum (Linnaeus, 1767)
  • Turbinella rapa Lamarck, 1816
  • Turbinella wheeleri Petuch, 1994[1]

Referências

  1. a b c d e f g h i j «Turbinella» (em inglês). World Register of Marine Species. 1 páginas. Consultado em 6 de janeiro de 2019 
  2. a b c d e ABBOTT, R. Tucker; DANCE, S. Peter (1982). Compendium of Seashells. A color Guide to More than 4.200 of the World's Marine Shells (em inglês). New York: E. P. Dutton. p. 210-211. 412 páginas. ISBN 0-525-93269-0 
  3. a b c d FERRARIO, Marco (1992). Guia del Coleccionista de Conchas (em espanhol). Barcelona, Espanha: Editorial de Vecchi. p. 140-142. 220 páginas. ISBN 84-315-1972-X 
  4. a b LINDNER, Gert (1983). Moluscos y Caracoles de los Mares del Mundo (em espanhol). Barcelona, Espanha: Omega. p. 198. 256 páginas. ISBN 84-282-0308-3 
  5. a b «Turbinellidae» (em inglês). World Register of Marine Species. 1 páginas. Consultado em 6 de janeiro de 2019 
  6. «Turbinella pyrum» (em inglês). World Register of Marine Species. 1 páginas. Consultado em 6 de janeiro de 2019 
  7. a b FunToos (4 de agosto de 2018). «How To Blow Shankha» (em inglês). Youtube. 1 páginas. Consultado em 6 de janeiro de 2019 
  8. a b Hornell, James. «Full text of "The Indian conch (Turbinella pyrum, Linn.) and its relation to Hindu life and religion"» (em inglês). Internet Archive. 1 páginas. Consultado em 7 de janeiro de 2019 
  9. «Hinduísmo e sua Simbologia». Umbanda UTHiS!. 1 páginas. Consultado em 7 de janeiro de 2019 
Ícone de esboço Este artigo sobre gastrópodes, integrado no Projeto Invertebrados é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.