União económica e monetária

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde julho de 2017). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Uma união económica e monetária (português europeu) ou união econômica e monetária (português brasileiro) é um mercado comum dotado de uma moeda única. Não deve ser confundida com uma simples união monetária (como o franco CFA), que não envolve um mercado comum.

Essa fase pressupõe a existência de um mercado comum em pleno funcionamento.Consiste na coordenação das políticas econômicas dos países membros e na criação de um único banco central para emitir a moeda que será utilizada por todos, que é o caso da União Europeia.

União Europeia[editar | editar código-fonte]

A União Económica Monetária da União Europeia (UEM) tem como principal objetivo a implementação da moeda única. A UEM teve início em 1990 e está dividida em três fases, cada uma com objetivos determinados:

  • 1.ª Fase: (1 de Julho de 1990 — 31 de Dezembro de 1951) - Início da livre circulação de capitais;
  • 2.ª Fase: (1 de Janeiro de 1994 — 31 de Dezembro de 1997) - Esta etapa é de transição e ajustes das políticas econômicas e monetárias;
  • 3.ª Fase: (1 de Janeiro de 1999 — 1 de Julho de 2002) - Fixação das taxas de câmbio, entrada em funcionamento Banco Central Europeu (BCE) e introdução da moeda única, o Euro.

Isto somente ocorre em países de alto desenvolvimento e o valor da moeda é alto e o PIB também.

União Econômica e Monetária do Oeste Africano[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre economia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.