Vésperas sicilianas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Vésperas Sicilianas (1846) de Francesco Hayez

Vésperas sicilianas (em siciliano e italiano: Vespri siciliani) foi o nome dado a uma revolta em 1282, em Palermo, contra o reinado de Carlos I de Anjou , que havia tomado controle da Sicília em 1266 , com o auxílio do papa Clemente IV.

A revolta deu origem a uma série de guerras pela conquista da Sicília, que somente cessaram com o Tratado de Avinhão, firmado em 20 de agosto de 1372, por Frederico IV de Aragão e Joana d'Anjou, com a interveniência do papa Gregório XI.

As Vésperas são citadas no Il canto degli Italiani ou Inno di Mameli (1847), o hino nacional de facto da Itália:

(em italiano)

Dall'Alpi a Sicilia
Dovunque è Legnano,
Ogn'uom di Ferruccio
Ha il core, ha la mano,
I bimbi d'Italia
Si chiaman Balilla,
Il suon d'ogni squilla
I Vespri suonò.

(em português)

Dos Alpes à Sicília
Por toda a parte é Legnano,
Cada homem de Ferruccio
Tem o coração, tem a mão,
As crianças da Itália
Chamam-se Balilla,
O som de cada sino
Tocou às Vésperas.

A rebelião[editar | editar código-fonte]

É dito que os sicilianos, para identificar os franceses que se disfarçaram como membros da população local, usaram um xibolete mostrando aos suspeitos alguns grãos-de-bico (cìciri em siciliano) e pedindo-lhes para dizer o nome do que viam. Aqueles que foram traídos por sua pronúncia francesa - sciscirì - foram imediatamente mortos.[1][2]


Ícone de esboço Este artigo sobre História da Itália é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
  1. Runciman, Steven (1997). I vespri siciliani (em italiano). [S.l.]: Edizioni Dedalo. p. 281. ISBN 88-220-0508-2 
  2. Schirò, Samuele. «Per un pugno di ceci» (em italiano). Palermo Viva. Consultado em 11 de dezembro de 2018