Vampyr (jogo eletrônico)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Vampyr
Desenvolvedora(s) Dontnod Entertainment
Publicadora(s) Focus Home Interactive
Diretor(es) Philippe Moreau
Escritor(es) Stéphane Beauverger[1]
Artista(s) Grégory Szucs
Motor Unreal Engine 4
Plataforma(s) Microsoft Windows
PlayStation 4
Xbox One Nintendo Switch
Lançamento 04/06/2018[2] e 2019 Nintendo Switch
Gênero(s) Ação e RPG
Modos de jogo Um jogador

Vampyr é um jogo de ação e rpg desenvolvido pela Dontnod Entertainment e publicado pela Focus Home Interactive. Ele estaria disponível para Microsoft Windows, PlayStation 4 e Xbox One em 2017, mas foi adiado para 2018. Uma versão também para o Nintendo Switch será lançada em 2019.

O enredo gira em torno do médico vampiro Jonathan Reid, que quer chegar a termos com sua condição de morto-vivo. Ele deve lidar com o fato de estar dividido entre o seu Juramento de Hipócrates e a sua sede de sangue. O jogador não é obrigado a matar para terminar o jogo. Opções de diálogo podem ser utilizadas para a caça de suas presas e para se alimentar, o que repõe a força e aumentar o nível, do personagem principal.

Vampyr se passa em Londres durante a pandemia da gripe espanhola em 1918. A ambientação foi pesquisada ao viajar para Londres e os visuais foram feitos com pontos de referências reais e imaginários em mente.

Jogabilidade[editar | editar código-fonte]

Vampyr é um jogo de rpg de ação jogado a partir de uma câmera em terceira pessoa.[3] O jogador controla o protagonista do jogo, Jonathan E. Reid,[4] um médico vampiro, cuja sede de sangue o obriga a matar pessoas inocentes. Para fazer isso com sucesso, ele deve reunir informações sobre seus alvos, estudar e mudar seus hábitos, coletar pistas e manter certos relacionamentos ao comunicar-se com os habitantes de Londres,[5][6] o que serve como um mundo ficcional semi-aberto construído em torno de centros de bairros que se ligam a outras áreas.[7][8] Igual no conto de vampiros, Reid só pode entrar em uma casa com um convite.[9] Se alguém assim escolher, qualquer um no jogo poderia ser um alvo, o que traz consequências que afetam a história.[5][10] Cada Morador tem um tipo diferente de história, relacionamentos e rotinas diárias. Se eles morrerem, eles vão dar para Reid seu último pensamento.[11] Alimentar-se de sangue humano vai desbloquear novos poderes vampíricos, além de fornecer nutrição.[4] A habilidade "Hipnotizar" pode determinar o comportamento de alvos fracos, como coagir-los a revelar informações importantes[12] ou guiar eles para áreas menos visíveis, de modo a possibilitar que Reid se alimente sem ter que recorrer ao combate.[8] pode-se curar as vítimas feridas e doentes a fim de ganhar mais no processo.[6] a taxa de aflição de cada um pode ser visualizada quando Reid utiliza-se de seus sentidos de vampiro.[13] Cada distrito terá uma pontuação com base na média da saúde de seus cidadãos.[14] é possível terminar o jogo sem tirar uma vida,[3] que melhor preserva o disfarce de Reid como médico[15] , mas deixa-o incapaz de subir de nível.[1]

Reid pode utilizar armas de corpo a corpo improvisadas, como uma serra, bem como armas de longo alcance, nas lutas contra outros vampiros mutantes conhecidos como "caveiras", e matadores de vampiros que podem facilmente detectar a raça de Reid .[5][13][16] As melhorias de armas são possíveis através da fabricação e ao saquear itens dos corpos das vítimas. Enquanto estiver usando os poderes de vampiro em combate, a vida e energia do personagem é drenada. Isso o força a se alimentar, a fim de repor imediatamente a sua força.[4] Ele também pode utilizar a sua habilidade "Primavera" para alcançar locais que de outra forma estariam fora do alcance e avançar mais rapidamente através das fendas,[3][8] que uma vez melhorada, pode causar danos no impacto e invencibilidade temporária.[17]

Desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

O desenvolvimento começou com uma equipe de 60 pessoas, muitos dos quais trabalharam no projeto anterior da Dontnod EntertainmentLife Is Strange.[6] Vampyr é a pronúncia Húngara para "vampiro", que Dontnod escolheu como o título em referência a um homem húngaro, em 1700, que foi acusado de ser um vampiro, o primeiro documento público deste tipo.[18] Por um curto período de tempo, a desenvolvedora considerou ambientar o jogo em 1950 na América,[10] mas para dar um tom mais gótico foi descartado em favor da atual ambientação em Londres. O Diretor de arte Grégory Szucs afirmou que as pinturas de Phil Hale influenciou o seu estilo de arte, também com o propósito da atmosfera.[2] A Dontnod conduziu uma pesquisa sobre a ambientação visitando Londres e tirarando fotografias,[6] e estudando os eventos que cercam o período, utilizando tanto os fatos quanto a ficção como pontos de referência para criar o visual, realizado com iluminações foto-realistas,[19] e de pós-processos em execução no Unreal Engine 4.[5][2]

O assassinato de inocentes no jogo como o preço para a imortalidade tem como intenção explorar o dualismo do protagonista, que tem que sobreviver como um vampiro e ao mesmo tempo, ser um médico, tendo que escolher entre cumprir o Juramento de Hipócrates ou aceitar a sua natureza vampírica.[2][20]

Referências

  1. a b Benson, Julian (6 April 2016).
  2. a b c d Makuch, Eddie (2 December 2015).
  3. a b c Robertson, John (29 February 2016).
  4. a b c Nunneley, Stephany (18 June 2015).
  5. a b c d Moreau, Philippe (2 December 2015).
  6. a b c d Diver, Mike (29 February 2016).
  7. Bolding, Jonathan (29 February 2016).
  8. a b c Robertson, John (29 February 2016).
  9. Maguire, Matt (21 June 2016).
  10. a b Farokhmanesh, Megan (25 April 2016).
  11. Totilo, Stephen (29 June 2016).
  12. "Vampyr Gameplay Showcase - IGN Live: E3 2016".
  13. a b Vazquez, Jessica (21 June 2016).
  14. Farokhmanesh, Megan (22 June 2016).
  15. Eiser, Martin (29 February 2016).
  16. Stuart, Keith (28 June 2016).
  17. Griliopoulos, Dan (7 March 2016).
  18. Linder, Andreas (2 December 2015).
  19. Unreal Engine (6 July 2016).
  20. Chalk, Andy (18 June 2015).