Virtual pet Digimon

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Modelo de vitual pet Digimon.[1]

O virtual pet Digimon é um aparelho eletrônico criado por Akiyoshi Hongo e comercializado em 1997 pela empresa japonesa Bandai. Este foi o primeiro lançamento da franquia de mídia Digimon e o primeiro aparelho e jogo eletrônico do gênero feito para o público masculino, sendo considerado contraparte do Tamagochi, visto como voltado para o público feminino.[2][3]

Conceito[editar | editar código-fonte]

Precedendo a série animada e outros produtos da franquia, tais como jogos eletrônicos e jogo de cartas, veio o aparelho eletrônico nomeado DigiMon.[1] O aparelho segue o conceito de animal de estimação virtual, com uma dificuldade maior e disponibilidade de batalhar com seus digimons com outros jogadores conectados. Os jogadores começam com um digimon nível bebê, podendo treiná-lo, evoluí-lo (ou digievoluí-lo) e batalhar contra outros para ver qual digimon é o mais forte.[1]

Após o sucesso comercial do virtual pet, onde as vendas alcançaram 13 milhões de unidades em todo o mundo até março de 2004,[4] a Bandai adaptou as criaturas para outras mídias. Um dos primeiros lançamentos foi o jogo eletrônico Digimon World para o console PlayStation, tendo mais de 150 espécies diferentes de digimons.[5]

Sistema de jogo[editar | editar código-fonte]

O jogo possui oito itens para que o jogador possa tomar conta de seu digimon. O primeiro é sobre o estado: mostra sua idade, peso, força e energia; se o digimon não os possuir, não será capaz de batalhar. O segundo é sobre a alimentação: a comida aumenta sua fome e a vitamina aumenta sua força e energia; independentemente do alimento, o peso do digimon aumenta; quando o digimon atinge o nível criança, ele será capaz de comer além do normal; o digimon é capaz de comer um número ilimitado de vitaminas.[6]

O terceiro é o treinamento: o digimon tornará mais forte se for bem sucedido em seu treino. O quarto é a batalha: uma vez que é ativado, permite a conexão de um aparelho com um outro[7] e começar a luta entre os dois digimons; com as batalhas o jogador será capaz de chegar com seu digimon ao nível «ultimate»; digimons de nível inferior ao criança não é capaz de lutar.[6]

O quinto é banheiro: será necessário cuidar dos dejetos do digimon, descartando-os, caso contrário ele ficará doente. O sexto é a iluminação: a iluminação determina se o digimon irá dormir ou não. O sétimo é os cuidados médicos: o digimon pode ficar ferido depois de uma batalha e essa opção é para cuidá-lo; o digimon poderá recusar os cuidados. O oitavo é um alerta: avisa quando o digimon necessita de alimentação ou dormir.[6]

Referências

  1. a b c Matt Richtel (1 de janeiro de 1998). «From Virtual Pet to Virtual Pit Bull: Fighting Cyber Toys» (em inglês). New York Times. Consultado em 11 de dezembro de 2011 
  2. «Pixelmood - Digimon Virtual Pet» (em inglês). Pixelmood. Consultado em 11 de dezembro de 2011 
  3. Relic (2 de abril de 1998). «DigiMon by Bandai» (em inglês). Consultado em 11 de dezembro de 2011 
  4. «New Digimon for 2005» (em inglês). Anime News Network. 25 de maio de 2004. Consultado em 23 de março de 2014 
  5. IGN Staff (15 de fevereiro de 2000). «Digimon World. Can this be the PlayStation's answer to Pokémon? Bandai sure hopes so.» (em inglês). IGN. Consultado em 16 de outubro de 2010 
  6. a b c «Digimon Virtual Pet» (em inglês). Consultado em 11 de dezembro de 2011 
  7. «Digimon Digital Monster - Digivice Data Link Mega Burst MirageGao Mega-Burst ##20348» (em inglês). Amazon