Lidocaína

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Xilocaína)
Ir para: navegação, pesquisa
Estrutura química de Lidocaína
Lidocaine spin.gif
Lidocaína
Star of life caution.svg Aviso médico
Nome IUPAC (sistemática)
2-(dietilamino)-N-(2,6dimetilfenil) acetamido
Identificadores
CAS 137-58-6
ATC N01BB02 C01BB01 D04AB01 S02DA01 C05AD01
PubChem 3676
DrugBank APRD00479
ChemSpider 3548
Informação química
Fórmula molecular C14H22N2O 
Massa molar 234.33
SMILES CCN(CC)CC(=O)Nc1c(C)cccc1C
Sinónimos 2-(Diethy​lamino)-N​-(2,6-dim​ethylphen​yl)acetam​id, 2-Diethyl​amino-2',​6'-acetox​ylidide, Lidothesin
Dados físicos
Densidade 1.026 g/cm3
Farmacocinética
Biodisponibilidade 35% (oral)
3% (topical)
Metabolismo Hepático
Meia-vida 1.5–2 horas
Excreção renal
Considerações terapêuticas
Administração Intravenosa, subcutânea e tópica
DL50  ?

A lidocaína ou xilocaína® é um anestésico local e um antiarrítmicos da classe I (subgrupo 1B) usado no tratamento da arritmia cardíaca e da dor local (como em pequenas operações cirúrgicas). É pouco tóxica.

Administração[editar | editar código-fonte]

Pode ser usado por vias[1] :

  • Intravenosa: 1mg a 1,5/kg inicialmente, 25-50mg por minuto, mais 0,5mg/kg a cada 5 minutos. As seringas podem ter 1 a 2% de lidocaína.
  • Intramuscular: 200-300 mg aplicada no deltoide
  • Intraóssea: 1 mg/kg de lidocaína a uma velocidade de 25-50 mg/minuto
  • Endotraqueal: Spray com 2 a 3,75 mg/kg
  • Tópica (pomada): 2 a 5%, cerca de 15ml de solução, a cada 4h
  • Uretral (Gel): Instilar 15 ml (hombres) o 3-5 ml (mujeres ) de al 2% lidocaína en gel o solución dentro de la uretra
  • Adesivo: Até 3 por um período de 12h a cada 24h.
  • Oftálmica: 1,7 a 3 mg/kg a 4% para bloqueio retrobulbar (atrás do olho).

Adrenalina[editar | editar código-fonte]

Em alguns casos pode ser combinada com adrenalina(Epinefrina) para prolongar o efeito (como vasoconstritor dos capilares próximos aos nervos), quando não há contraindicações (como taquicardia, shock cardiogênico ou compromisso vascular de extremidades). NUNCA POR VIA INTRAVENOSA.[2]

Usos clínicos[editar | editar código-fonte]

Mecanismo de acção[editar | editar código-fonte]

Enquanto ambos antiarrítmico e anestésico local, é um bloqueador rápido dos canais de sódio, activados ou inactivados, existentes nos miócitos especializados do sistema de condução (coração) ou nervos periféricos. Impede a condução de potencial de ação nos axônios sensitivos dos nervos periféricos, quando usada topicamente.

Usos clínicos[editar | editar código-fonte]

Encurta o potencial de ação e prolonga a diástole. Diminui a taxa de contração cardíaca, reduzindo a frequência de batimentos ectópicos. Inibe a nocicepção (percepção de dor) no local aplicado por alguns minutos.

Toxicidade sistêmica[editar | editar código-fonte]

São raros os efeitos tóxicos da lidocaína. Em geral só aparecem em decorrência de sobredose ou injeção intravascular inadvertida.

Dentre as manifestações, podemos citar:

  • Hipotensão arterial
  • Sensação de cabeça leve
  • Tinitus (zumbido no ouvido)
  • Parestesias - Sensação de formigamento na língua e lábios

Como manifestações mais graves podemos observar:

  1. http://www.iqb.es/cbasicas/farma/farma04/l021.htm
  2. http://www.facmed.unam.mx/bmnd/gi_2k8/prods/PRODS/Lidoca%C3%ADna-epinefrina.htm