Yulimar Rojas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Yulimar Rojas
campeã olímpica
Atletismo
Modalidade salto triplo
Nascimento 21 de outubro de 1995 (25 anos)
Caracas, Venezuela
Nacionalidade Venezuela venezuelana
Compleição Altura: 1,92 m
Medalhas
Jogos Olímpicos
Ouro Tóquio 2020 Salto triplo
Prata Rio 2016 Salto triplo
Campeonatos Mundiais
Ouro Doha 2019 salto triplo
Ouro Londres 2017 salto triplo
Campeonatos Mundiais – Indoor
Ouro Birmingham 2018 salto triplo
Ouro Portland 2016 salto triplo
Jogos Pan-Americanos
Ouro Lima 2019 salto triplo

Yulimar Andrea Rojas Rodríguez (Caracas, 21 de outubro de 1995) é uma atleta venezuelana, campeã olímpica e recordista mundial do salto triplo. Uma ex-jogadora de voleibol de 1,92 m de altura que migrou para o atletismo na adolescência, onde começou no salto em altura, ela é a atual bicampeã mundial ao ar livre e em pista coberta da modalidade. Em 1 de agosto de 2021, na prova do salto triplo de Tóquio 2020, ganhou a medalha de ouro e quebrou o recorde mundial saltando 15,67 m, superando a marca anterior em 17 centímetros e que durava desde 1995. [1]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Estreando com um quarto lugar na sua primeira competição internacional adulta, o Pan de Toronto 2015, competiu a seguir na Rio 2016, conquistando a medalha de prata com a marca de 14,98 m, perdendo apenas para sua grande rival sul-americana e mundial, a colombiana Caterine Ibarguen.[2]

Foi campeã mundial em Londres 2017, conquistando a primeira medalha de ouro da Venezuela na história do Campeonato Mundial de Atletismo, com a marca de 14,91 m.[3] Ela também é a atual bicampeã mundial do salto triplo em pista coberta, com as medalhas de ouro conquistadas em Portland 2016 e Birmingham 2018.[4]

Em agosto de 2019, ela venceu a competição nos Jogos Pan-Americanos de Lima com a marca de 15,11 m, quebrando o recorde dos Jogos e estabelecendo novo recorde nacional venezuelano. Um mês depois, em Andújar, Espanha, ela saltou 15,41 m, o segundo maior salto de todos os tempos, apenas nove centímetros abaixo da marca da ucraniana Inessa Kravets, em Gotemburgo 1995.[1] Favorita para o bicampeonato mundial em Doha 2019, ela conquistou seu segundo título saltando 15,37 m, a quarta melhor marca da história.[5]

Em Tóquio 2020, sua segunda Olimpíada, sagrou-se campeã. Em seu primeiro salto superou a marca olímpica da camaronesa Françoise Mbango, de 15,39 metros, e no sexto e último quebrou o recorde mundial de 15,50 metros da ucraniana Inessa Kravets existente desde 1995, com a marca de 15,67m. Rojas tornou-se a primeira mulher a ganhar um ouro olímpico representando a Venezuela.[6][7]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b «O voo de Yulimar Rojas: conheça a venezuelana que busca marca histórica no Mundial de Atletismo». Globo Esporte. Consultado em 6 outubro 2019 
  2. «Perfil na IAAF». Consultado em 26 de março de 2017 
  3. «WOMEN'S TRIPLE JUMP FINAL – IAAF WORLD CHAMPIONSHIPS LONDON 2017». IAAF. Consultado em 8 de agosto de 2017 
  4. «Triple Jump Women - Final» (PDF). IAAF. Consultado em 26 de março de 2019 
  5. «REPORT: WOMEN'S TRIPLE JUMP - IAAF WORLD ATHLETICS CHAMPIONSHIPS DOHA 2019». IAAF. Consultado em 6 outubro 2019 
  6. «Yulimar Rojas bate recorde mundial e ganha primeiro». Brasil de Fato. 2 de Agosto de 2021. Consultado em 2 de Agosto de 2021 
  7. «Yulimar Rojas, a mulher de ouro do esporte venezuelano». ISTOÉ Independente. 2 de Agosto de 2021. Consultado em 2 de Agosto de 2021