Zeta Circini

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
ζ Circini
Dados observacionais (J2000)
Constelação Circinus
Asc. reta 14h 54m 42,6s[1]
Declinação -65° 59′ 27,9″[1]
Magnitude aparente 6,09[1]
Características
Tipo espectral B3Vn[1]
Cor (U-B) -0,600[2]
Cor (B-V) -0,060[2]
Astrometria
Velocidade radial -18,00 km/s[1]
Mov. próprio (AR) -8,58 mas/a[3]
Mov. próprio (DEC) -8,51 mas/a[3]
Paralaxe 2,4463 ± 0,0580 mas[3]
Distância 1333 ± 32 anos-luz
409 ± 10 pc
Magnitude absoluta -2,0
Detalhes
Massa 7,6 ± 0,1[4]
5,5 ± 0,1[5] M
Raio 3,8 ± 1,3[5] R
Gravidade superficial 4,03 ± 0,20 cgs (log g) [5]
Luminosidade 1 000[5] L
Temperatura 16 800[5] K
Rotação >264 ± 8 km/s[5]
Idade 31,6 ± 5,7 milhões[4] de anos
Outras denominações
CD-65 1813, HR 5539, HD 131058, HIP 72965, SAO 252951.[1]
Zeta Circini
Circinus constellation map.png

Zeta Circini (ζ Cir, ζ Circini) é uma estrela na constelação de Circinus. Tem uma magnitude aparente visual de 6,09,[1] sendo visível a olho nu apenas em excelentes condições de visualização. Com base em sua paralaxe medida pela sonda Gaia, está uma distância de aproximadamente 1 330 anos-luz (410 parsecs) da Terra.[3]

Zeta Circini é uma estrela de classe B da sequência principal com um tipo espectral de B3 Vn,[1] em que a notação 'n' indica que suas linhas de absorção estão largas e nebulosas devido a uma alta velocidade de rotação, de mais de 260 km/s.[5] Sua massa já foi estimada em 5,5[5] e 7,6[4] vezes a massa solar, enquanto seu raio foi calculado em 3,8 vezes o raio solar. Sua atmosfera está brilhando com 1 000 vezes a luminosidade solar a uma temperatura efetiva de 16 800 K,[5] o que lhe dá a coloração azul branca típica de estrelas de classe B.[6]

Zeta Circini possui um campo magnético com intensidade de 106 ± 46 G.[5] É levemente variável; dados da missão Hipparcos mostraram que sua magnitude aparente varia em 0,0046 ao longo de um período de 3,72 dias.[7]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e f g h «SIMBAD query result - zet Cir». SIMBAD. Centre de Données astronomiques de Strasbourg. Consultado em 23 de abril de 2015 
  2. a b Hamdy, M. A.; Abo Elazm, M. S.; Saad, S. M. (maio de 1993). «A catalogue of spectral classification and photometric data of B-type stars». Astrophysics and Space Science. 203 (1). pp. p. 53–107. Bibcode:1993Ap&SS.203...53H. doi:10.1007/BF00659414 
  3. a b c d Gaia Collaboration: Brown, A. G. A.; Vallenari, A.; Prusti, T.; de Bruijne, J. H. J.; et al. (2018). «Gaia Data Release 2. Summary of the contents and survey properties». Astronomy & Astrophysics. arXiv:1804.09365Acessível livremente. doi:10.1051/0004-6361/201833051.  Catálogo Vizier
  4. a b c Tetzlaff, N.; Neuhäuser, R.; Hohle, M. M (janeiro de 2011). «A catalogue of young runaway Hipparcos stars within 3 kpc from the Sun». Monthly Notices of the Royal Astronomical Society. 410 (1). pp. pp. 190–200. Bibcode:2011MNRAS.410..190T. doi:10.1111/j.1365-2966.2010.17434.x 
  5. a b c d e f g h i j Hubrig, S.; Briquet, M.; Schöller, M.; De Cat, P.; Mathys, G.; Aerts, C. (junho de 2006). «Discovery of magnetic fields in the βCephei star ξ1 CMa and in several slowly pulsating B stars*». Monthly Notices of the Royal Astronomical Society: Letters. 369 (1). pp. pp. L61–L65. Bibcode:2006MNRAS.369L..61H. doi:10.1111/j.1745-3933.2006.00175.x 
  6. «The Colour of Stars». Australia Telescope, Outreach and Education. Commonwealth Scientific and Industrial Research Organisation. 21 de dezembro de 2004. Consultado em 24 de abril de 2015 
  7. Koen, Chris; Eyer, Laurent (março de 2002). «New periodic variables from the Hipparcos epoch photometry». Monthly Notices of the Royal Astronomical Society. 331 (1). pp. pp. 45–59. Bibcode:2002MNRAS.331...45K. doi:10.1046/j.1365-8711.2002.05150.x