Zoraptera

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde maio de 2015). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)


Como ler uma infocaixa de taxonomiaZoraptera
ZorotypusHubbardi.jpg
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Arthropoda
Classe: Insecta
Ordem: Zoraptera
Gêneros
Xenozorotypus (extinto)

Zorotypus

Wikispecies
O Wikispecies tem informações sobre: Zoraptera

Os zorápteros (Zoraptera) são uma ordem de insetos contendo apenas uma família ( Zorotypidae ) com cerca de 40 espécies conhecidas , distribuídas em dois gêneros: um extinto contendo uma única espécie do Cretáceo (Xenozorotypus burmiticus Engel and Grimaldi, 2002), e o gênero Zorotypus contendo as demais espécies. São todos animais pequenos, com menos de 3 mm de comprimento, com antenas com nove segmentos (antenômeros), tarsos com dois segmentos e cercos monosegmentados. As antenas podem ser de formato filiforme ou moniliforme. Possuem formas aladas (com asas) e ápteras (sem asas). A forma áptera é a mais comum, geralmente de cor branca e sem olhos compostos nem ocelos, ao passo que as formas aladas têm tanto olhos compostos como ocelos e são mais pigmentados. Embora possuam em média menos que 3 mm de comprimento, um zoráptero alado pode ter uma envergadura de asas total de cerca de 7 mm. Como nos cupins (Isoptera), eles podem soltar suas asas voluntariamente. As asas apresentam formado de nadadeiras, e venação reduzida[1].

São geralmente achados sob casca de árvores ou em húmus e folhiço. Alimentam-se de esporos de fungos e outros pequenos artrópodes. O nome Zoraptera vem do grego e significa "puramente sem asas" (foram nomeados antes das formas aladas serem descobertas).

São insetos de metamorfose simples, ou seja, hemimetábolos. No Brasil, são insetos pouco estudados e observados. Por serem pouco estudados, a biologia reprodutiva da maioria das espécies persiste pouco conhecida. Sabe-se que os machos transferem um espermatóforo para a fêmea durante breve cópula, em seguida fechando o acasalamento com uma estimulação ventral usando a fronte e as antenas [2]. Algumas espécies são descritas como coloniais, contendo poucas dezenas de indivíduos socialmente organizados em uma hierarquia reprodutiva[3]. Ecologicamente, acredita-se que os zorápteros tenham importante papel na reciclagem de detritos e nutrientes por consumirem matéria em decomposição e insetos mortos. Suas relações filogenéticas são pouco elucidadas, e no momento esta ordem é considerada mais próxima da Superordem Dictyoptera [4].

Ícone de esboço Este artigo sobre insetos, integrado no Projeto Artrópodes é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.


  1. 1907-1988., Borror, Donald J. (Donald Joyce), (1970). A field guide to the insects of America north of Mexico. Boston: Houghton Mifflin Company. ISBN 0395074363. OCLC 66022 
  2. Marco Gottardo, L'accoppiamento degli zoratteri, consultado em 9 de dezembro de 2018 
  3. Choe, Jae C. (1 de abril de 1994). «Sexual selection and mating system in Zorotypus gurneyi Choe (Insecta: Zoraptera)». Behavioral Ecology and Sociobiology (em inglês). 34 (4): 233–237. ISSN 1432-0762. doi:10.1007/BF00183473 
  4. Wang, Yanhui; Engel, Michael S.; Rafael, Jose A.; Dang, Kai; Wu, Haoyang; Wang, Ying; Xie, Qiang; Bu, Wenjun (2013). «A unique box in 28S rRNA is shared by the enigmatic insect order Zoraptera and Dictyoptera». PloS One. 8 (1): e53679. ISSN 1932-6203. PMC PMC3536744Acessível livremente Verifique |pmc= (ajuda). PMID 23301099. doi:10.1371/journal.pone.0053679