Alex Barron

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Alex Barron
Alex Barron 2006 Indy 500 Carb Day.jpg
Alex Barron no Carburation Day da Indy 500 de 2006.
Nome completo Alex Barron
Nacionalidade    Estados Unidos Norte-americano
Data de nascimento 11 de Junho de 1970 (44 anos)
Registros na IndyCar Series
Anos 2001-2005, 2007
Times 5 (Sam Schmidt, Blair Racing,

Penske, Mo Nunn, Cheever,
CURB/Agajanian/Beck)

Campeonatos 0 (5º em 2002)
Pontos 1.271
Voltas mais rápidas 0
Primeira corrida Estados Unidos GP de St. Louis, 2001
Primeira vitória Estados Unidos GP de Nashville, 2002
Última vitória Estados Unidos GP de Michigan, 2003
Última corrida Estados Unidos Indy 500, 2007
GPs Poles Pódios Vitórias
62 0 5 2
Registros na CART/Champ Car
Anos 1998-2001
Times 4 (All-American, Penske,

Dale Coyne e Arciero-Blair)

Campeonatos 0 (26º em 2000)
Pontos 16
Voltas mais rápidas 0
Primeira corrida GP de Miami, 1998
Última corrida GP de Fontana, 2001
GPs Poles Pódios Vitórias
36 (34 largadas) 0 0 0
Outros campeonatos
1997, 2006
1996
F-Toyota Atlantic/Atlantic Championship
F-Ford 2000

Alex Barron (San Diego, 11 de junho de 1970) é um piloto automobilístico norte-americano.

Carreira[editar | editar código-fonte]

CART[editar | editar código-fonte]

Após algum tempo competindo em categorias menores (principalmente a Fórmula Atlantic), Barron estreou pela All-American Racers, equipe chefiada pelo ex-piloto de F-1 Dan Gurney, em 1998. Em sua primeira corrida, em Miami, chegou em 18º lugar. Sua melhor posição de chegada foi a décima-segunda posição, conquistada nas provas do Rio de Janeiro e de Houston. Na etapa de Elkhart Lake, protagonizou um bizarro acidente: escalou o carro do compatriota Bryan Herta, que havia acabado de rodar após uma tentativa de ultrapassagem sobre Bobby Rahal. O Eagle-Toyota #36 foi retirado do Reynard-Ford #8 de Herta, que assim como Barron, não se feriu (embora o carro de Alex tenha passado por centímetros sobre a cabeça do piloto da Rahal).

Permaneceu na AAR durante as sete primeiras provas da temporada de 1999, alcançando seu primeiro top-10 na categoria com o nono lugar na corrida de Nazareth. Com os problemas financeiros que afetavam o time, Barron ficou fora de quatro provas (Portland, Cleveland, Road-American e Toronto), retornando em Michigan, já pela equipe Penske, que vivia uma grave crise. Ausentou-se de mais sete corridas (Detroit, Mid-Ohio, Chicago, Vancouver, Laguna Seca, Houston e Surfers Paradise), regressando na prova de Fontana, onde abandonou.

Sem equipe para 2000, Barron ficou de férias durante todo o primeiro semestre, mas foi contratado pela Dale Coyne para substituir o brasileiro Gualter Salles nas últimas cinco etapas da temporada. Sua melhor posição foi o décimo-terceiro lugar em Houston.

Chegou a ser inscrito para disputar o GP do Texas pela equipe Arciero-Blair Racing, mas a prova acabou cancelada. Sucedeu o brasileiro Max Wilson nas duas últimas corridas - Surfers Paradise e Fontana - , sendo que nesta última repetiu a nona posição conquistada em 1999. Sem planos para competir na categoria em 2002, Alex decidiu migrar para a IRL com a Blair.

IRL e volta à Atlantic Championship[editar | editar código-fonte]

Mecânicos consertam o carro de Barron durante treinos da Indy 500 de 2007.

Pela IRL, Barron correu entre 2001 (uma prova pela equipe Sam Schmidt) e 2005, retornando em 2007. Em 2002 e 2003, conquistou suas duas vitórias na categoria. A última corrida na IRL foi a Indy 500 de 2007, onde chegou em décimo-quinto lugar, representando a CURB/Agajanian/Beck Motorsports.

Sem vaga na IRL para 2006, Alex voltou à Atlantic Championship (então batizada de Champ Car Atlantic Championship) para disputar a temporada daquele ano, defendendo a equipe Polestar Racing Group, fechando o campeonato em 14º, com 96 pontos.

Auto Racing Chequered.svg Este artigo sobre um(a) automobilista, integrado ao Projeto Automobilismo, é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.