Chevrolet

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Chevrolet
Tipo Empresa de capital aberto
Fundação 3 de Novembro de 1911 (102 anos)
Fundador(es) Louis Chevrolet
William C. Durant
Sede Estados Unidos Detroit, Michigan
Página oficial www.chevrolet.com.br
Propaganda da Chevrolet de 1952 cantada por Dinah Shore.
Chevrolet Bel Air

Chevrolet é uma fabricante de veículos motorizados americana, fundada em 1911 por Louis Chevrolet (conhecida também pela abreviação "Chevy") e que pertencente a General Motors (GM) juntamente com Cadillac, Buick, GMC, Opel, Holden e Vauxhall.

A Chevrolet, nos Estados Unidos, marcou época produzindo carros conhecidos internacionalmente como o Corvette, o Camaro entre muitos outros.

No Brasil, a empresa marcou época de outra forma: oferecendo carros com tecnologia antiga aos consumidores. Apesar de ser a terceira marca em vendas no país, seus carros produzidos aqui gastam mais combustível e emitem mais gases de efeito estufa se comparados com veículos similares produzidos em outros mercados, como o europeu.[1]

Em abril de 2014, o Greenpeace lançou uma campanha pedindo à Chevrolet e às outras montadoras líderes em vendas que produzam carros no Brasil com a mesma eficiência energética dos veículos feitos na Europa, além de investimentos em carros elétricos.[2]

História[editar | editar código-fonte]

Em 03 de novembro de 1911, piloto de corridas de carro e engenheiro de automóveis, Louis Chevrolet co-fundou a Chevrolet Motor Car Company, com William C. Durant (fundador da General Motors, deposto por 5 anos) e parceiros de investimento, William Little (fabricante do automóvel Little) e Dr. Edwin R. Campbell (genro de Durant) e, em 1912, R.S. McLaughlin, do Canadá.

Durant foi afastado da gestão da General Motors, em 1910, por 5 anos. Ele assumiu o Works Flint Wagon, incorporando a Mason e empresas Little. Como chefe da Buick Motor Company, antes de fundar a GM, Durant tinha contratado Louis Chevrolet, para conduzir Buicks, em corridas promocionais. Durant planejava usar a reputação da Chevrolet como um piloto com a criação, para sua empresa, de um automóvel novo. Trabalho de projeto foi em primeiro lugar, a Série C, o Six, foi elaborado por Etienne Planche, seguindo as instruções de Louis. O protótipo C ficou pronto, no primeiro mês, antes de a Chevrolet ser realmente incorporada.

Chevrolet usou pela primeira vez o "emblema laço de borboleta". Logo em 1913, pesquisas mais recentes do historiador Ken Kaufmann, apresenta um caso que o logotipo é baseado num logotipo para "Coalettes". Outros afirmam que o projeto era uma cruz estilizada suíça, em homenagem à terra natal dos pais de Chevrolet.

Louis Chevrolet tinha diferenças com Durant, sobre o projeto e, em 1915, vendeu a Durant a sua participação na empresa. Em 1916, a Chevrolet foi rentável o suficiente para permitir a Durant "recomprar" uma participação maioritária na General Motors. Depois de o negócio ser concluído, em 1917, Durant tornou-se presidente da General Motors, Chevrolet, e foi incorporada pela GM como uma divisão separada. Em 1917, as fábricas da Chevrolet foram localizados em Nova York e Michigan, principalmente. Em 1918, ano do modelo, a Chevrolet introduziu o modelo D, um modelo de motor V8, de quatro passageiros e os modelos roadster, de cinco passageiros, modelos "touring". Ele também iniciou a produção de uma válvula de sobrecarga na linha Six. A maioria dos carros da época tinham apenas motores de baixa compressão, cabeçote baixo. Estes carros tinham motor 2.9 "³ (2.883 cm³), 55 cv (41 kW), motores com carburadores Zenith e câmbio de três marchas.

A Chevrolet continuou, em 1920, 1930 e 1940, a competir com a Ford, e depois com a Chrysler Corporation, em 1928, quando incorporou a Plymouth. Ford, Chevrolet e Chrysler eram conhecidos como "as três grandes". Em 1933, a Chevrolet anunciou que, nos Estados Unidos, vendia o mais barato carro de seis cilindros à venda.

Chevrolet teve uma grande influência no mercado automóvel americano, durante os anos de 1950 e 1960. Em 1953, ele produziu o Corvette, um carro de dois lugares desportivo, com um corpo de fibra de vidro. Em 1957, a Chevrolet apresentou o seu motor de combustível injetado, em primeiro lugar, a opção "Ramjet Rochester", no Corvette e em carros de passageiros, que custava US$ 484. Em 1960, introduziu o Corvair, com um montado na parte traseira do motor refrigerado a ar. Em 1963, um em cada dez carros vendidos nos Estados Unidos era um Chevrolet.

O design básico motor V8 tem permanecido em produção contínua, desde a sua estreia, em 1955, há mais tempo do que qualquer motor produzido em massa no mundo, embora, as versões atuais partilhem poucas se algumas partes e peças intercambiáveis, ​​com o original. As variantes do pequeno bloco básico, OHV V8, sobre a plataforma de design, em produção hoje, foram já muito modificadas, com avanços como o bloco de alumínio e cabeças, gestão eletrónica do motor e injeção de combustível sequencial. Dependendo do tipo de veículo, o V8 são construídos em diversas capacidade (ex: 4,3 a 9,4 litros) com potências (de 111.394 a 994 CV), conforme a instalação na fábrica. O projeto do motor também tem sido utilizado, ao longo dos anos, em produtos GM, construído e vendido sob as marcas Pontiac, Oldsmobile, Buick, Hummer, Opel (Alemanha), e Holden (Austrália).

Atualmente, a Chevrolet lançou o Chevrolet Volt/[Opel][Ampera], para adicionar a uma grande variedade de veículos, que, em 2010, incluiu um misto variado de projetos americanos, australianos, europeus e coreanos baseados de acordo com cada mercado local.

Chevrolet no Brasil[editar | editar código-fonte]

  • Em 1924, é fundada a General Motors Brasil, em São Paulo.
  • Em 1964, é lançada a Veraneio.
  • No ano de 1968, a Chevrolet Brasil anuciou oficialmente o projeto do seu primeiro carro de passeio, o Opala.
  • Em 1973, é lançado o Chevette, em 1994 o modelo sai de linha e no lugar entra o Corsa.
  • Em 1982, é lançado o Monza, em 1996 o modelo é descontinuado, sendo assim, o substituto oficial nas vendas da marca no Brasil é o Vectra.
  • Em 1985, foi lançada a Série 20, com as pick-up's, A20, C20 e D20, para substituir a ultrapassada Série 10, e reforçar a concorrência com a Série F da Ford.
  • Em 1989, foi feito um face-lift no modelo Veraneio juntamente com a Bonanza, para seguir o mesmo padrão da carroceria da Série 20.
  • Em 1989, foi lançado o Kadett, substituto do Chevette, na Europa.
  • Em 1990, é lançado o Ipanema, uma Station Wagon derivada do Kadett.
  • Em 1992, são lançados no Brasil o Omega (para substituir o Opala) e o Vectra (que em 1996 é substituto oficial do Monza).
  • Em 1993, é lançado o Astra que era importado da Belgica, e em 1998 o modelo é fabricado no Brasil.
  • Em 1994, a Veraneio é finalmente descontinuada.
  • Em 1994, lançou o Chevrolet Corsa, sendo assim, o modelo foi substituto do Chevette.

O Corsa foi uma revolução entre os hatches populares no país.

  • Em 1995, é lançada a linha S-10 e Blazer.
  • Em 1997, a Série 20 da Chevrolet é descontinuada, e no lugar entra a Silverado, que logo mais também seria interrompida a suas vendas.
  • Em meados de 1998 e 1999, o Brasil para de importar o Tigra e o Calibra, devido a desvalorização do real.
  • Em 2000, lançou o Chevrolet Celta, para substituir o Corsa da época, já que vinha uma reestilização do mesmo em 2002.
  • Em 2001, é lançado o Zafira.
  • No ano de 2004, a Chevrolet Brasil foi líder de vendas de automóveis e comerciais leves. Além disso, a Chevrolet completou 80 anos no país.
  • Em 2005, a Chevrolet investiu na remodelação do Chevrolet Vectra, que passou a ser um sedã equivalente ao Opel Astra alemão.
  • Em 2006, a Chevrolet lançou uma reestilização do Celta e, em outubro do mesmo ano, a versão sedã do carro, chamada Prisma.
  • Em 2014, o Greenpeace lançou um carro da Idade da Pedra, em uma paródia aos carros produzidos no Brasil. Na campanha, o Greenpeace pede à Chevrolet que produza carros mais eficientes – que emitam menos gases do efeito estufa e consumam menos combustível. Além de investimentos em pesquisa para carros elétricos.

Início da renovação da frota[editar | editar código-fonte]

A Chevrolet do Brasil precisou passar por uma grande renovação de sua linha de veículos, devido a grande defasagem em que a mesma se encontrava. Esta renovação incluiu novos veículos como Agile, Cruze, Cobalt, Cruze Sport6, Nova S10, Sonic, Spin, Onix e TrailBlazer, a partir de um investimento de R$ 5,3 bilhões desde 2008.

  • Em 2008, a Chevrolet lançou o Captiva.
  • Em outubro de 2009, a Chevrolet lançou o Agile.
  • Em 2010, a Chevrolet lançou o Camaro com motor 6.2 V8 de 406 cvs, no Brasil.
  • Em Fevereiro de 2011, é encerrada a produção da Blazer, no Brasil. Atualmente os estoques do veiculo é vendido para frotistas.
  • Em 2011, o Astra tem sua produção encerrada no Brasil.
  • Em 2011, o Corsa Sedã tem sua produção encerrada no Brasil.
  • Em 28 de junho de 2011, é encerrada a produção do Vectra e do Vectra GT, no país.
  • Em setembro de 2011, a Chevrolet lançou o Cruze, no Brasil, com o motor Ecotec 6 e transmissão automática de 6 velocidades.
  • Em outubro de 2011, a Chevrolet lançou o Cobalt, no Brasil.
  • Em 2012, é lançada a nova geração da S10 com novo motor 2.8 turbodiesel e câmbio automático de 6 marchas.
  • Em 2012, é lançado o Cruze Sport6 com o mesmo conjunto do Cruze.
  • Em junho de 2012, foi lançado o Sonic carrocerias hatch e sedã com inédito motor 1.6 16V Flex.
  • Em julho de 2012, foi lançada a Spin, minivan de 5 e 7 lugares substituindo de uma vez as já defasadas Meriva e Zafira.
  • Em novembro de 2012, foi lançado o Onix, hatch compacto substituto do Corsa.
  • Em novembro de 2012, foi lançada a TrailBlazer com o mesmo câmbio e motor turbodiesel da nova geração da S10, e um inedito motor 3.6 V6 a gasolina.
  • Em outubro de 2013, a GM traz novamente para o Brasil o Chevrolet Tracker, totalmente reestilizado e com um visual bem moderno. O SUV está dísponivel somente na versão LTZ (Top), e em breve as versões LT e 4x4.
  • Até 2014, a Chevrolet lançará 18 novos modelos no mercado.

Modelos aleatórios[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Eficiência Energética e Emissões de Gases Estufa - Estudo da Coppe/UFRJ encomendado pelo Greenpeace mostra que mesmo com o dobro da frota de carros em 2030, emissões podem ser menores que atuais, caso indústria adote metas de eficiência energética europeias.
  2. O Carro que eu quero - Greenpeace
  3. Carros brasileiros têm tecnologia defasada - Greenpeace inicia campanha para que Volkswagen, Fiat e Chevrolet produzam veículos mais eficientes – como já fazem em outros mercados – e invistam em carros elétricos

Ligações externas[editar | editar código-fonte]