Chevrolet Vectra

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Chevrolet Vectra
Opel Vectra B rear 20091015.jpg
Visão Geral
Nomes
alternativos
Opel Vectra
Vauxhall Vectra
Vauxhall Cavalier
Opel Astra Saloon
Produção 1993 — 2011 (Brasil)
1988 — 2008 (Europa)
Fabricante Opel/Chevrolet/Holden/Vauxhall, grupo General Motors
Modelo
Classe sedan médio
Carroceria Sedan médio e Hatchback
Ficha técnica
Motor 2.0 8V
2.0 16V
2.2 8V
2.2 16V
2.4 16V
Transmissão 5 marchas, manual; 4 marchas, automático
Modelos relacionados Chevrolet Vectra GT, Chevrolet Cruze
Citroën C4
Citroën C4L (CAR Awards 2014[1] )
Peugeot 308 (CAE 2014)
Peugeot 408
Citroën C4 Pallas
Renault Megane (CAE 2003)
Renault Fluence
Toyota Corolla
Entre-eixos 2703 mm (terceira geração)
Tanque 58 l (modelo 2007 ou posterior)
Cronologia
Último
Último
Chevrolet Monza
Chevrolet Cruze - Brasil
Opel Insignia - Europa
Próximo
Próximo
Opel Vectra I rear 20080328.jpg
BSB 05 2008 26 Chevy blur zoom flex with logo.jpg

O Vectra foi um veículo fabricado pela Chevrolet. Considerado um marco na indústria brasileira pela tecnologia que empregava no seu lançamento em 1993, em comparação ao antigo Chevrolet Monza. Sua produção foi encerrada para dar lugar ao Chevrolet Cruze.

História[editar | editar código-fonte]

O primeiro modelo, no Brasil, foi lançado em 1993, com a missão de substituir o Chevrolet Monza, contudo, foi redirecionado para um segmento superior do mercado, mais próximo do Chevrolet Omega e mais distante do Monza. Em seu início contava com motores 2.0L, de 8 e 16 válvulas, este último exclusivo da versão GSI, esportiva, enquanto as versões GLS e CD (top) ficavam com a motorização 2.0L de 8V.

A segunda geração foi introduzida em abril de 1996, no Brasil, com motores 2.0 8V (versão GL e GLS) e 16V (CD). Em 1998 chegavam o 2.2 8V (GL e GLS) e o 2.2 16V (CD). Chegou a ser o sedan mais vendido entre 1996 a 1998, quando começou a dividir a liderança com o Honda Civic, já nacionalizado. A versão de 2.0 8V foi "ressuscitada" em 2003, aproveitando incentivos fiscais aos carros de até 2000 cilindradas.

Com o lançamento de um novo Toyota Corolla em meados de 2002, o Vectra começou a perder mercado e suas vendas decresciam a passos largos, já que não acompanhou, no Brasil, a remodelação sofrida pelo modelo alemão. O golpe de misericórdia foi dado pela chegada de outros modelos mais modernos e a atualização do Chevrolet Astra brasileiro, que canibalizou as vendas do Vectra. A última versão do carro, produzida em 2005, foi denominada de Vectra Collection e tinha apenas motor 2.0 8V.

Em outubro de 2005, chega a 3ª geração, totalmente reestilizada, chegou ao mercado mantendo as versões, Elegance e Elite que já existiam em 2004/2005 no modelo de 2ª geração. O motor 2.0 de 8 válvulas, com 121/128 cv (G/A) e 18.3/19.6 mkgf (G/A) se tornou padrão para a versão Elegance, enquanto o recém lançado motor 2.4 16V de 146/150 cv (G/A) equipa a versão Elite (mais luxuosa) mas apenas com câmbio automático, o que comprometia o desempenho do novo carro, sendo que esta ganhou em 2008 a opção do motor 2.0 8V, o mesmo que equipava a versão Elegance. Ambos os motores podem ser abastecidos com álcool e gasolina, sistema denominado de FlexPower. Posteriormente ganhou a opção de acabamento Expression, com o motor 2.0 8V, simplificada e sem grande parte dos acessórios de luxo das outras versões como rodas de liga leve (na Expression, eram aro 15, de aço com calotas), ar condicionado digital (na Expression havia comandos manuais), com preço bastante competitivo diante de outros carros médios de mesma categoria.

O Vectra Elegance saia de fábrica equipado com ar-condicionado digital com saída para o banco traseiro (algo inédito na versão), direção hidráulica, trio elétrico e rodas de 16 polegadas, e como opcional câmbio automático. No Vectra Elite havia câmbio automático de série, sistema de freios ABS com distribuição eletrônica de frenagem (EBD), módulo de som e subwoofer, bancos revestidos em couro e aparatos eletrônicos como controlador automático de velocidade e sensor de chuva no pára-brisa e rodas de 17 polegadas.

Com maiores dimensões, o Vectra C alemão, que já saiu de linha, tinha um padrão de acabamento muito superior ao similar brasileiro, disputando o mercado europeu com Volkswagen Passat e Ford Mondeo. O Vectra C alemão, da Opel, foi substituído na Europa pelo Opel Insignia, e a terceira geração do Opel Astra foi substituído pelo Opel Astra de quarta geração.

A terceira geração do modelo foi desenvolvida no Brasil. O carro brasileiro foi desenvolvido a partir do aperfeiçoamento da plataforma da Chevrolet Zafira, com entre-eixos de 2,70 metros. Seu desenho ganhou as linhas do Opel Astra de terceira geração, com formato de carroceria sedan, não disponível no continente europeu, e cujas linhas acabaram sendo adotadas no final de 2006 em lançamento da versão sedan na Europa. O design interno também foi baseado no do Astra C alemão, utilizando alguns elementos dos demais veículos da marca, como difusores de ar do Chevrolet Meriva. O carro nacional tem 4,60 metros de comprimento e foi um dos sedãs médios mais vendidos no Brasil. No acumulado de vendas de 2006, ficando atrás apenas do Toyota Corolla e Honda Civic, concorrentes menores, menos equipados e mais baratos.

Em fevereiro de 2009 é lançado o "Vectra Next Edition", uma reestilização sobre o desenho da terceira geração. O novo modelo ganhou alterações no propulsor que passou a desenvolver 140 cv quando abastecido com álcool, além de ter ficado 7% mais econômico segundo a GM. Os revestimentos tiveram os padrões alterados e o acabamento foi melhorado. Embora tenha havido um retrocesso com a eliminação do duto de ar condicionado para banco traseiro, sua retirada foi necessária para o aumento do número de porta-objetos no veículo. Já o motor 2.4 16V saiu de linha em 2009 porque a GM não considerou vantajoso submetê-lo às mesmas alterações pelas quais passou o 2.0 para adequação de seus índices de emissão de poluentes da norma L5 do Proconve. Contribuiu para essa decisão a alíquota de imposto mais alta para veículos com cilindrada acima de 2 litros e a baixa procura pela versão mais potente.

Com anos de história como um dos mais desejados automóveis da indústria nacional, e uma marca que já fortalecida no mercado como sinônimo de luxo de tecnologia, o Vectra continua sendo um dos grandes produtos da Chevrolet do Brasil. O modelo saiu de linha em 2011 para dar lugar ao Chevrolet Cruze, e como aconteceu em 2005 o modelo terá a série especial Vectra Collection com apenas 2 mil unidades fabricadas, a última série especial do Vectra. O Collection foi disponibilizado na cor metálica Verde Lotus, bancos de couro com gravação do nome da edição limitada, logotipos alusivos à versão nas laterais e manual do proprietário com capa de couro numerada entre 0001 e 2000.

Eleito pela Revista Autoesporte o Carro do Ano de 1994 e de 1997.

Curiosidade[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  1. 2014 Mejor Coche Nacional en Brasil. Visitado em 31-05-2014.