Alexis Mikhailovich da Rússia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Alexei Mikhailovich
Grão-duque da Rússia
Alexis Mikhailovich.jpg
Alexei
Governo
Vida
Nascimento 28 de Dezembro de 1875
Tbilisi, Geórgia, Império Russo
Morte 2 de Março de 1895 (19 anos)
Sanremo, Itália
Pai Miguel Nikolaevich da Rússia
Mãe Cecília de Baden (Olga Feodorovna da Rússia)

Alexei Mikhailovich da Rússia (em russo: Алексей Михайлович), (28 de dezembro de 1875 - 2 de março de 1895) foi um grão-duque da Rússia, primo direito do czar Alexandre III. Estava destinado a seguir uma carreira na Marinha Russa, mas morreu ainda novo de tuberculose.[1]

Família[editar | editar código-fonte]

Alexei era o mais novo dos sete filhos do grão-duque Miguel Nikolaevich da Rússia e da princesa Cecília de Baden. Entre os seus irmãos estava a grã-duquesa Anastásia Mikhailovna da Rússia, mãe da princesa Alexandrina de Mecklemburgo-Schwerin, esposa do rei Cristiano X da Dinamarca. Os seus avós paternos eram o czar Nicolau I da Rússia e a princesa Carlota da Prússia. Os seus avós maternos eram o grão-duque Leopoldo I de Baden e a princesa Sofia da Suécia.[2]

Biografia[editar | editar código-fonte]

O grão-duque Alexei Mikhailovich passou os seus primeiros anos de vida na Geórgia, onde o seu pai era governador-geral das províncias russas da Transcaucásia. Alexei tinha sete anos de idade quando o seu pai foi nomeado presidente do Consílio do Império em 1882, mudando-se com a família para São Petersburgo. Quando tinha oito anos esteve presente numa cerimónia no Palácio de Inverno onde prestou atenção a todos os uniformes estrangeiros, principalmente os dos enviados do oriente. Tal como todos os homens da família Romanov, Alexei estava destinado a seguir uma carreira militar.[3] Recebeu uma educação muito severa que incluía o hábito de dormir com casacos militares e tomar banho de água fria de manhã. Foi educado em casa por tutores particulares. O seu pai, demasiado ocupado com o exército e com o governo, foi sempre uma figura distante. A sua mãe era uma disciplinaria rígida e a força dominante da família. Alexei foi educado de forma muito rigorosa e era completamente dominado pelos seus irmãos mais velhos. Sentia falta da companhia de crianças da sua ideia e brincada frequentemente com os dois filhos mais novos do czar Alexandre III, Miguel e Olga.[3]

Segundo o seu irmão Alexandre, Alexei era um rapaz brilhante com um coração gentil e completamente sincero, além de inteligente e alegre. Aos dezoito anos era um homem alto, magro e bonito, sempre vestido de uniforme.[3] Estava quase a acabar o seu treino para oficial da marinha quando adoeceu com o que parecia ser uma constipação, mas que se revelaria muito mais grave.[4] A sua saúde nunca tinha sido boa. O seu primo, Cyril, confessou mais tarde que foi o pai de Alexei que não o deixou recuperar completamente, insistindo que era dever do filho acabar o seu treino. O estado de saúde de Alexei tornou-se tão grave que ele foi enviado para San Remo, na Itália, onde viria a morrer de tuberculose a 2 de março de 1895.[5] Tinha dezanove anos de idade. "A primeira vez que usou o seu uniforme de guarda-marinha", escreveu Cyril, "foi no caixão".[4] O seu irmão Alexandre escreveu na sua autobiografia que se sentia mais chegado a Alexei do que a qualquer outro membro da família[6] , mas que não chorava a sua morte porque Alexei sofria profundamente com a atmosfera opressiva do palácio e a sua morte prematura talvez o tivesse poupado de um destino pior.

Referências

  1. Alexander, Once a Grand Duke, p. 151
  2. The Peerage
  3. a b c Chavchavadze, The Grand Dukes ", p. 205
  4. a b Zeepvat , The Camera and the Tsars, p. 182
  5. Chavchavadze, The Grand Dukes , p. 206
  6. Alexander, Once a Grand Duke, p. 24

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Romanov, Alexandre Mikhailovich, Once a Grand Duke, Cassell, London, 1932.
  • Cockfield, Jamie H, White Crow, Praeger, 2002.
  • Chavchavadze, David, The Grand Dukes, Atlantic, 1989, ISBN 0938311115
  • Zeepvat, Charlotte, The Camera and the Tsars, Sutton Publishing, 2004, ISBN 0-7509-3049-7.