Aníbal Troilo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Bandoneon,maestro Anibal Troilo,1971

Aníbal Troilo (Buenos Aires, 11 de julho de 1914 — Buenos Aires, 19 de maio de 1975) foi um músico argentino, diretor de orquestra, compositor e bandoneonista. Era apelidado de Pichuco.

Foi um dos mais transcendentes nomes da história do tango, talvez o mais popular da chamada Guardia nueva. Atuou em público pela primeira vez em 1925, com somente 11 anos, tocando bandoneón. Posteriormente, em 1937, depois de tocar em diversos conjuntos, como os de Vardaro-Pugliese, Ciriaco Ortiz, Julio de Caro e Juan Carlos Cobián, organizou a sua própria orquestra. Passou também a fazer as suas gravações, além de ser presença constante nas rádios. Astor Piazzolla foi um dos músicos de renome que integraram a sua orquestra. Também passaram pela sua orquestra grandes cantores como Edmundo Rivero, Floreal Ruiz, Fiorentino e principalmente Roberto Goyeneche.

Tangos[editar | editar código-fonte]

  • Discepolín
  • Garúa
  • Milonguero triste
  • Tango triste
  • Homero
  • A Pedro Maffia
  • Garúa
  • Yo soy del 30
  • Son tres y dos
  • Una canción
  • Romance de barrio
  • Naipe
  • Sur
  • Responso
Accordrelativo20060224.png Este artigo sobre um(a) músico(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.


O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Aníbal Troilo