Anna Marie Hahn

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ambox grammar.svg
Esta página ou secção precisa de correção ortográfico-gramatical.
Pode conter incorreções textuais, podendo ainda necessitar de melhoria em termos de vocabulário ou coesão, para atingir um nível de qualidade superior conforme o livro de estilo da Wikipédia. Se tem conhecimentos linguísticos, sinta-se à vontade para ajudar.
Anna marie hahn small.jpg

Anna Marie Hahn (Baviera, 7 de julho de 1906 — Penitenciária Estadual de Ohio, 7 de dezembro de 1938) foi uma serial killer teuto-americana.

A mais jovem de doze filhos, como uma adolescente, teve um caso com um médico de Viena, ou assim alegou - não foram encontrados registros de um médico vienense pelo nome que ela deu. Eles tiveram um filho que ela chamou de Oskar (também escrito "Oscar"). Sua família, escandalizada mandou-a para América em 1929, enquanto seu filho permaneceu na Baviera com seus pais. Ao ficar com os parentes Max e Anna Doeschel em Cincinnati, Ohio, ela conheceu o também imigrante alemão Philip Hahn; eles se casaram em 1930. Anna Marie brevemente retornou à Alemanha para buscar Oscar e, em seguida, o trio definiu a vida como uma família.[1]

Hahn supostamente começou a envenenar e roubar homens e mulheres idosos na comunidade alemã de Cincinnati para apoiá-la no vício do jogo. Ernst Kohler, que morreu em 6 de maio de 1933, foi creditado ser a sua primeira vítima. Hahn tinha amizade com ele pouco antes de sua morte, ele deixou uma casa em seu nome.[2]

Sua próxima suposta vítima, Albert Parker, 72 anos, também morreu logo depois que ela começou a cuidar dele. Antes da morte de Parker, ela assinou uma IOU (do inglês "I owe you", um contrato informal de dívida nos países anglófonos) no valor de $ 1.000 dólares que ela havia emprestado dele mas, depois de sua morte, o documento foi descartado ou simplesmente “desapareceu”.

Jacob Wagner, 78 anos, morreu em 3 de junho de 1937 deixando em dinheiro $ 17.000 à sua "sobrinha querida" Hahn. Ela logo começou a cuidar do senhor de 67 anos George Gsellman, também de Cincinnati. Por seu serviço antes de sua morte, em 6 de julho de 1937, ela recebeu $ 15,000 dólares.[3]

Georg Obendoerfer foi o último a morrer, em 1 de agosto de 1937, após viajar até Colorado Springs, Colorado junto de Hahn e seu filho.[4] A polícia disse que Obendoerfer, um sapateiro, " morreu em agonia, logo após Mrs. Hahn debruçar-se sobre seu leito de morte perguntando seu nome, professando que ela não conhecia o homem". Seu filho testemunhou em seu julgamento que ele, sua mãe, e Obendoerfer viajaram para o Colorado de trem de Cincinnati em conjunto e que durante a viagem Obendoerfer começou a ficar doente. Obendoerfer [3]

Uma autópsia revelou altos níveis de arsênico no corpo de Obendoerfer, o que aumentou as suspeitas da polícia. Exumações dos corpos dos seus antigos clientes mostraram que todos foram envenenados.[3]

Hahn foi condenada após um julgamento sensacionalista de quatro semanas em novembro de 1937 e foi condenada à morte na cadeira elétrica de Ohio, sendo a primeira mulher executada no estado,[5] tendo corrido em 7 de dezembro de 1938.[6] Ela foi enterrada no Mount Calvary Cemetery em Columbus.

Referências

  1. Franklin, Diana Britt. The Good-bye Door (em inglês). Kent, Ohio: Kent State University Press. ISBN 9780873388740. OCLC 63116896.
  2. Anna Marie Hahn Serial Killer Central Skcentral.com (1 de fevereiro de 2005). Visitado em 11 de janeiro de 2010.
  3. a b c Lohr, David. Arsenic Anna: The True Story of Anna Marie Hahn (em inglês) Crime Library Trutv.com. Visitado em 11 de janeiro de 2010.
  4. Indictment Will Be Asked Today In 'Poison Plot' (em inglês) Daily Times News.google.com (11 de agosto de 1937). Visitado em 17 de janeiro de 2010.
  5. CRIME: German Cooking (em inglês) TIME (15 de novembro de 1937). Visitado em 11 de janeiro de 2010.
  6. Mrs. Hahn Begs for Mercy, Then Dies in Electric Chair (em inglês) Pittsburgh Press News.google.com (8 de dezembro de 1938). Visitado em 17 de janeiro de 2010.

Livros[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]