Autolux

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes fiáveis e independentes. (desde Novembro de 2008). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Autolux
Autolux.jpg
A banda em 2008
Informação geral
Origem Los Angeles, Califórnia
País  Estados Unidos
Gênero(s) Shoegaze
Noise pop
Rock experimental
Eletrônica
Rock alternativo
Indie rock
Período em atividade 2000 - atualmente
Gravadora(s) TBD Records
ATP Recordings
Página oficial Site oficial
Integrantes Carla Azar
Greg Edwards
Eugene Goreshter

Autolux é uma banda norte-americana de rock experimental formada em 2000 em Los Angeles pelo guitarrista e vocalista Eugene Goreshter, o baixista Greg Edwards e a baterista e vocalista Carla Azar. O primeiro trabalho do trio, o EP Demonstration, foi lançado em 2001 . Em setembro de 2004, a banda lançou seu primeiro álbum, Future Perfect. Misturando densas camadas de guitarras distorcidas com vocais melódicos e texturas atmosféricas, o trabalho do Autolux é frequentemente comparado a bandas como My Bloody Valentine e Sonic Youth. A banda chamou maior atenção do público em 2005, quando Trent Reznor, do Nine Inch Nails, os convidou para abrirem os shows de uma turnê norte-americana.

História[editar | editar código-fonte]

Formação e Demonstration[editar | editar código-fonte]

O Autolux foi formado em 2001 em Los Angeles, Califórnia. Goreshter e Azar se conheceram enquanto compunham a trilha sonora da peça Morte Acidental de um Anarquista de Dario Fo. Azar então conhece Greg Edwards em uma turnê da banda anterior dele, Failure.[1] Em agosto de 2000, o Autolux fez seus primeiros shows em sua cidade natal. Em março do ano seguinte, a banda lançou seu trabalho de estreia, um EP entitulado Demonstration, contendo cinco faixas gravadas no estúdio aonde ensaiavam.[2]

Após o célebre produtor T-Bone Burnett assistir uma performance do trio e se impressionar, eles assinaram com o selo DMZ, criado por Burnett e Joel e Ethan Coen. [1] [2]

Em maio de 2002, a baterista Carla Azar sofreu um acidente no palco, depois da banda abrir para Elvis Costello. O cotovelo dela quebrou e foi dita que "talvez nunca pudesse tocar bateria novamente".[1] No entanto, ela conseguiu se recuperar completamente e voltar a ensaiar e tocar com o Autolux, após uma cirurgia experimental.[2]

Gravação de Future Perfect[editar | editar código-fonte]

Em novembro de 2002, o trio começou a gravar seu primeiro álbum de longa duração, Future Perfect, finalizando-o em janeiro de 2003. O álbum foi gravado parcialmente no estúdio aonde a banda ensaiava, Space 23, e parcialmente no estúdio do produtor Burnett, que desejava capturar a sonoridade dos concertos da banda.[2] A canção "Asleep at the Trigger" foi gravada inteiramente no Space 23.[3] O álbum foi lançado em setembro de 2004, e foi recebido com críticas positiva, em sua maioria.[1]

Turnês pós-Future Perfect[editar | editar código-fonte]

Em 2005, o Autolux começou uma turnê para promover Future Perfect. O trio tocou com diversas bandas consagradas, como Nine Inch Nails, The White Stripes e Beck.[4] Em maio de 2005, a banda estreou no festival Coachella.[5] [6] Logo depois, eles tocaram no festival britânico [All Tomorrow's Parties.[2]

Trent Reznor, do Nine Inch Nails, convidou o Autolux para abrir seus shows na turnê With Teeth, de setembro a outubro de 2005. [1] No fim do mesmo ano, a banda abriu para o Queens of the Stone Age.[7]

Após o fim do selo DMZ, em 2006, a banda foi para o selo Epic Records.

Transit Transit[editar | editar código-fonte]

Em 2010, a banda lançou seu segundo álbum de longa duração, Transit Transit. O álbum foi produzido pelos próprios integrantes do Autolux, com o vocalista/guitarrista Greg Edwards como engenheiro de som. A maior parte do álbum foi gravado no estúdio Space 23, em Los Angeles, assim como o álbum anterior.

A canção "Supertoys" foi lançada como o primeiro single da banda em seu site oficial.

Sonoridade[editar | editar código-fonte]

O som do Autolux incorpora influências diversas como o pós-punk e o shoegaze, gênero caracterizado por bandas com postura tímida no palco e que utilizam densas camadas de guitarras distorcidas e vocais melódicos em suas canções - semelhante a bandas como The Jesus and Mary Chain, Cocteau Twins e Ride. Embora o segundo álbum do Autolux, Transit Transit, apresente claramente maior leque de influências que os trabalhos anteriores, e as texturas soturnas e os vocais em uníssono do trio já estabelecem uma certa identidade amadurecida às músicas do grupo.

Discografia[editar | editar código-fonte]

Álbuns de estúdio[editar | editar código-fonte]

EPs[editar | editar código-fonte]

Singles[editar | editar código-fonte]

  • "Here Comes Everybody" (2004)
  • "Audience No. 2" (2008)
  • "Supertoys" (2010)

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. a b c d e Wiederhorn, Jon (2005-07-27). Trent Reznor Boosts Autolux From Clubs To Arenas MTV.com. Visitado em 2007-05-05. (em inglês)
  2. a b c d e Ankeny, Jason. Biography of Autolux (em inglês) no Allmusic. Acessado em 2007-05-05. (em inglês)
  3. Autolux - Future Perfect Discogs. Visitado em 2007-05-12. {[en}}
  4. Wenker, Peter (2004). Autolux (interview) twenty/forty. Visitado em 05/05/2007. Cópia arquivada em 08/06/2007. (em inglês)
  5. 2005 Coachella Music Festival Schedule coachella.com (2005). Visitado em 2007-05-12. Cópia arquivada em 6 May 2007.
  6. All Things Coachella : The 2005 Guide (PDF) thelisten.net. Visitado em 05/12/2007. Cópia arquivada em 08/10/2007. (em inglês)
  7. The Wiltern upcoming.yahoo.com. Visitado em 2007-05-06. (em inglês)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]