Bacia do Tarim

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Mapa da região da bacia do Tarim

A bacia do Tarim é a maior bacia hidrográfica endorreica do mundo, com amis de 400 000 km² de área. É rodeada por muitas cordilheiras, como a Tian Shan a norte, os Pamir a oeste e os Kunluna sul. Fica na região autónoma de Xinjiang (também chamada Turquestão Oriental) na parte mais ocidental da República Popular da China. Uma grande parte da bacia é ocupada pelo deserto de Taklamakan.[1] A região é habitada pelos Uigures e outros povos da Ásia Central, mas tem assistindo a uma imigração recente de chineses, vindos de várias zonas do país.

Antigamente, falavam-se línguas tocarianas na bacia do Tarim, e estas eram parte das línguas indo-europeias orientais.

A rota da seda entra na bacia do Tarim, entre Kashgar e Yumen divide-se em duas rotas diferentes, seguindo os limites norte e sul do Taklamakan. Os chineses tomaram o controlo da zona em finais do século I sob liderança do general Bao Chao.

O Império Kushana expandiu-se pela bacia entre século I e o século II, estabelecendo o reino de Kashgar e competindo pelo controlo da área com os nómadas e as tropas chinesas. Introduziram o idioma brahmi e o budismo, e desempenharam um papel importante na difusão do budismo para o resto da Ásia através desta rota.

A bacia dispõe de importantes depósitos de petróleo e gás natural.[2] Neste local são produzidas 500 000 toneladas de algodão por ano.[3]

Referências

  1. China Radio International (CRI) (20-7-2007). China investe pesado para combater desertificação em Xinjiang. Página visitada em 9-12-2010.
  2. O Estado de São Paulo (1-1-2005). China inaugura um supergasoduto de 4 mil quilômetros. Página visitada em 9-12-2010.
  3. Mulher portuguesa. Bacia de Tarim, na China: O Reino do Algodão. Página visitada em 9-12-2010.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Bacia do Tarim