Tian Shan

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
O Khan Tengri (7.010 metros) ao pôr-do-sol.

A cordilheira Tian Shan* (chinês: 天山; Pinyin: Tiān Shān celestiais montanhas) fica na Ásia Central, na região fronteiriça entre o Cazaquistão, Quirguistão e a Região Autónoma Uigur de Xinjiang na China ocidental.

O Tian Shan estende-se da província de Xinjiang até ao norte do Paquistão e à parte do Jammu e Caxemira onde se encontra com o Hindu Kush.

Estas montanhas fazem parte da cintura da cordilheira do Himalaia originada pela colisão das placas da Índia e da Eurásia no período Cenozóico.

Atinge a altitude máxima no Pico Jengish Chokusu (Pico Pobedy, ou Pico Vitória), a 7.439 metros sobre o nível do mar, o ponto mais alto do Quirguistão, situado na fronteira com a China. O segundo pico mais elevado é o Khan Tengri (em tártaro e mongol: "Senhor dos espíritos"), a 7.010 metros de altitude, situado na fronteira entre Cazaquistão e Quirguistão. Outra montanha importante é o Bogda Feng, na parte oriental, e que tem 5.445 m.

O Passo Torugart, a 3752 metros, fica na fronteira entre Quirguistão e a província chinesa de Xinjiang. Os principais rios que nascem nesta cordilheira são o Sir Dária e o Tarim.

Parte da cordilheira Tian Shan é habitada por tribos de pastores que falam um idioma pertencente ao grupo das línguas turcomanas da família das línguas altaicas.

Um dos primeiros europeus a visitar e a descrever o Tian Shan em pormenor foi o explorador russo Peter Semenov na década de 1850.

A Rota da Seda passava a sul desta cordilheira.

Nota*: É também frequente a grafia Tien Shan, embora em chinês a pronúncia clássica seja "T'ian-shán".


Referências