Batalha de Sedan

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Batalha de Sedan
Guerra franco-prussiana
Karte zur Schlacht bei Sedan (01.09.1870).jpg
O mapa da batalha.
Data 1 de setembro de 1870
Local Sedan, França
Desfecho Vitória prussiana
Combatentes
Flag of Prussia 1892-1918.svg Reino da Prússia
Flag of Bavaria (striped).svg Baviera
França Império Francês
Comandantes
Flag of Prussia 1892-1918.svg Guilherme I
Flag of Prussia 1892-1918.svg Helmuth von Moltke
Flag of Bavaria (striped).svg Ludwig von der Tann-Rathsamhausen
França Napoleão III
França Patrice Mac-Mahon
França Auguste-Alexandre Ducrot
Forças
200 000 combatentes
774 canhões
120 000 combatentes
564 canhões
Baixas
2 320 mortos
5 980 feridos
700 desaparecidos
3 000 mortos
14 000 feridos
103 000 capturados

A Batalha de Sedan foi um conflito travado em 1 de setembro de 1870, próximo à cidade francesa de Sedan, durante a Guerra franco-prussiana.[1] [2]

Um exército chefiado por Napoleão III e pelo marechal Patrice Mac-Mahon tentou libertar o general François Achille Bazaine, em Metz, mas acabou cercado por Helmuth von Moltke em 31 de agosto, na batalha de Sedan, que decidiu o conflito.

Em 1 de setembro, os franceses tentaram inutilmente romper o cerco e, em 2 de setembro, Napoleão, Mac-Mahon e 83.000 soldados renderam-se aos alemães. Resultou na captura do imperador Napoleão III, juntamente com o seu exército, e praticamente decidiu o conflito em favor do Reino da Prússia e seus aliados. Napoleão III, desacreditado aos olhos dos franceses, teve que abdicar.

A resistência francesa prosseguiu sob um novo governo de defesa nacional, que assumiu o poder em Paris em 4 de setembro, depois de dissolver a Assembleia Legislativa, proclamar a deposição do imperador e estabelecer a república.

Otto von Bismarck, chanceler da Prússia, recusou-se a assinar a paz e, em 19 de setembro, começou o cerco a Paris. No dia 19, os alemães começaram a sitiar Paris. O novo governo dispôs-se a negociar com Bismarck, mas suspendeu as conversações quando soube que os alemães exigiam a Alsácia e a Lorena. O principal líder do novo governo, Léon Gambetta, fugiu de Paris num balão, estabelecendo um governo provisório na cidade de Tours para reorganizar o exército no interior. A partir daí seriam organizadas 36 divisões militares, todas destinadas ao fracasso.

A vitória em Sedan estimulou o nacionalismo no sul da Alemanha e os estados germânicos ao sul do rio Meno (Hesse, Baden, Baviera e Württemberg) entraram na confederação.

Nesta batalha, o exército prussiano demonstrou, de forma cabal, a sua superioridade em liderança, tática, logística e em treinamento.Também esta batalha marcou o fim do Segundo Império Francês e o início da Terceira República Francesa.

Galeria de fotos[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. The Nest in the Altar or Reminiscences of the Franco-Prussian War of 1870, capítulo 2, Londres (1999), ISBN 1-85307-123-4
  2. Docteur Henri Conneau (Milan,1803-La Porta,1877) Ami le Plus Fidèle, Confident le Plus Intime de l'Empereur Napoléon III Bernard, Hervé., Biarritz 2008 (em francês)
Ícone de esboço Este artigo sobre História Militar é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.