Batista Campos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Batista Campos
—  Bairro do Brasil  —
Praça Batista Campos, ao fundo um de seus coretos
Praça Batista Campos, ao fundo um de seus coretos
Distrito Distrito do Centro
Zona Centro-Sul de Belém
Município Coat of arms Belem do Para Brazil.jpg Belém
Área
 - Total 108,7 ha
População
 - Total 19,136 (em 2 010)
    • Densidade 13.476 hab./km2 
Domicílios 6 100
Fonte: Não disponível

Batista Campos é um bairro nobre, organizado e próspero da cidade de Belém do Pará[1] , com moradores de classe A e B.

O bairro de Batista Campos tem como limites: o bairro da Campina (noroeste), o bairro de Nazaré (norte e nordeste), o bairro de Cremação (leste), o bairro de Condor (sudeste), e o bairro de Cidade Velha (sudoeste). O seu nome é em homenagem ao Cônego João Batista Gonçalves Campos (1782-1834) um dos inspiradores da Cabanagem. A maioria de suas ruas recebeu nomes de tribos indígenas, como: Pariquis, Timbiras, Caripunas..., situação semelhante ao vizinho bairro do Jurunas. Nele ainda fica situado um dos maiores Shopping Center de Belém, o Shopping Pátio Belém.

O crescimento vertical da Batista Campos que ainda existe em determinados pontos do bairro, já que é atualmente, um dos locais mais valorizados da Grande Belém, muda os hábitos dos moradores. Apesar da expansão imobiliária que o bairro sofreu nos últimos anos, principalmente com o surgimento de espigões e prédios comerciais, Batista Campos ainda conserva vários casarões antigos, construídos nos séculos XIX e XX, resquícios históricos do bairro que ainda resistem ao processo de modernização da cidade.

O bairro compreende a área envolvida pela poligonal que tem início na interseção da Rua Gama Abreu com a Av Serzedelo Corrêa,segue por esta até a Av. Gentil Bittencourt, dobra à esquerda e segue por esta até encontrar a Trav Quintino Bocaiúva, flete à direita e segue por esta até a Rua Conceição, flete à direita e segue por esta até a Trav. Dr. Moraes, dobra à esquerda e segue por esta até a Pass Pinheiro, dobra à direita e segue por esta até encontrar a Trav Pe Eutíquio, flete à esquerda e segue por esta até sua interseção com a Trav Quintino Bocaiúva, segue por esta até a Rua Tupinambás, flete à direita e segue por esta até a Rua Arcipreste Manoel Teodoro, flete à esquerda e segue por esta até sua interseção com a Av. 16 de Novembro, dobra à direita e segue por esta até a Av. Almirante Tamandaré, dobra à direita e segue por esta até a Trav Pe. Eutíquio, a partir da qual recebe a denominação de Rua Gama Abreu, por onde segue até o início da poligonal.

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

Além de ser um dos bairros mais organizados e estruturados de Belém, Batista Campos possui uma vasta rede de serviços, o bairro conta com um shopping Center, quatro grandes supermercados, nove escolas particulares e seis estaduais, dois hospitais particulares, um posto de saúde e 14 grandes farmácias. A rua dos 48, localizada próximo ao shopping Pátio Belém, é uma das maiores regiões comerciais do Bairro, assim como a feira da Praça Batista Campos.

Empreendimento em turismo[editar | editar código-fonte]

O bairro possui uma das melhores agitações noturnas da capital, concentrando vários restaurantes e bares, alguns dos melhores de Belém, além da vida noturna, Batista Campos concentra boas opções de hotéis, como o Expresso XXI Batista Campos e o Soft Inn Batista Campos. Os principais pontos turísticos do bairro é a Praça Batista Campos e a Igreja da Santíssima Trindade.

Pontos Turísticos[editar | editar código-fonte]

  • Centro Cultural e Turístico Tancredo Neves – O projeto é de autoria do arquiteto Euler Santos Arruda, com a colaboração dos arquitetos Edson Santos Arruda e Rafael Gonçalves. A obra foi iniciada no ano de 1978 e concluída em junho de 1986. A Fundação Cultural do Pará Tancredo Neves foi criada para ser um centro de debates e manifestações culturais.
  • Igreja da Santíssima Trindade – Idealizada por José Abranches, que tinha o desejo de construir uma igreja em honra a Santíssima Trindade, a permissão da construção da igreja foi concedida pelo 7° Bispo do Pará, a construção foi concluída em 1813.
  • Cemitério da Soledade – Tombado pelo IPHAN, foi Construído em 1850, quando epidemias de febre amarela, cólera e varíola dizimaram cerca de 30 mil pessoas, o cemitério foi desativado em 1880, pelo então presidente da Província do Pará, José Coelho da Gama e Abreu, que suspendeu os enterramentos no Soledade, este logradouro constitui um rico patrimônio histórico de importância nacional, não só pela sua história, mas também pelo acervo arquitetônico que abriga.
  • Praça Batista Campos – Uma das praças mais bonitas do Brasil, foi concluída em 1904, no auge do ciclo da borracha em Belém, é cortada por lagos artificial e possuí várias pontes de madeira, coretos de ferro centenários e belos monumentos históricos, o local é cercado de restaurantes e quiosques.
  • Praça Milton Trindade – Ponto de referência da cultura e flora Amazônica é um importante espaço alternativo de lazer e repouso, atualmente a praça é um dos pontos turísticos mais bonitos e visitados da zona sul de Belém.
  • Praça da Trindade - Dividida em metades pela Rua Gama Abreu, homenageia o chanceler que negociou o Acre para o Brasil. Com belos espaços ajardinados, bancos e árvores, a praça tem um monumento em cada um de seus lados homenageando o jurista Rui Barbosa e o Barão do Rio Branco.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Notas e referências

  • [1] População nos bairros de Belém
  • [2] Moradia é Central