Cássia (Minas Gerais)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Cássia
"Cidade Música"
Bandeira de Cássia
Brasão de Cássia
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 22 de maio
Fundação 26 de fevereiro de 1890
Gentílico cassiense
CEP 37980-000
Prefeito(a) Rêmulo Carvalho Pinto (PP)
(2013–2016)
Localização
Localização de Cássia
Localização de Cássia em Minas Gerais
Cássia está localizado em: Brasil
Cássia
Localização de Cássia no Brasil
20° 34' 58" S 46° 55' 19" O20° 34' 58" S 46° 55' 19" O
Unidade federativa  Minas Gerais
Mesorregião Sul/Sudoeste de Minas IBGE/2008[1]
Microrregião Passos IBGE/2008[1]
Municípios limítrofes Ibiraci, Capetinga, Passos, Itaú de Minas, Pratápolis, Delfinópolis[2]
Distância até a capital 392 km
Características geográficas
Área 643,866 km² [3]
População 17 428 hab. Censo IBGE/2010[4]
Densidade 27,07 hab./km²
Altitude 740 m
Clima ameno
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,777 alto PNUD/2000[5]
PIB R$ 214 223,902 mil IBGE/2008[6]
PIB per capita R$ 12 191,21 IBGE/2008[6]
Página oficial

Cássia é um município brasileiro do estado de Minas Gerais e é a cidade-sede da primeira usina de biodiesel do Brasil. Distante 392 km da capital Belo Horizonte  e a 719 km de Brasília. Possui uma área de 643,866 km² e sua população era de 17.428 em 2010 (IBGE) e estimada para 2013 de 19.467 habitantes.

História[editar | editar código-fonte]

Sua história têm início com a procura do ouro nas regiões dos rios Sapucaí e Verde, por volta do século XVIII.

Face a essa descoberta, originou-se controvérsia a respeito da divisa interestadual entre São Paulo e Minas Gerais, tendo sido o acordo final alcançado no governo de Getúlio Vargas, em 1936.

Segundo relatos de Campanhole (1979:57), foi o paulista Pedro Franco Quaresma quem primeiro devassou a região e quem na verdade fundou o arraial de Jacuí, em 1755, antes, assim, da viagem de Luís Diogo Lobo da Silva a Jacuí, em 1764, quando se determinou a posse desse território à província de Minas Gerais.

Há várias hipóteses da origem da cidade de Cássia:

- uma se refere à região, então conhecida por Sertão do Rio São João, que abrangia Cássia e outros povoados como Passos e Ibiraci;

- outra hipótese refere-se a pouso de tropeiros e boiadeiros, como núcleo fundador da cidade, muito embora, por volta de 1750, era ainda um simples pouso e somente um século depois se transformaria em pequeno arraial, berço da atual cidade de Cássia.

No começo do século XIX, depois que as minas de ouro se escassearam, provocando um intenso êxodo das regiões auríferas, toda a zona limítrofe a São Paulo foi povoada e ali tiveram início as atividades agro-pastoris, devido aos campos férteis e à sua localização, cercada por rios como rio Grande, rio das Mortes, rio Sapucaí e rio Verde.

Cássia, situada no vale do rio Grande, foi um povoado, que com o passar dos anos, o antigo pouso de tropeiros foi aos poucos recebendo à sua volta moradores fixos, até se transformar em pequeno arraial.

Em 1844, quatro fazendeiros – Manuel Lourenço da Cunha, José Diogo Carrijo da Cunha, João Batista da Cunha e Roque Portes Vieira – doaram uma gleba de 18 hectares de terras para a formação do patrimônio de Santa Rita de Cássia. O pouso de tropeiros já havia atraído à sua volta moradores fixos, e um pequeno arraial ali se constituíra.

O levantamento de uma capela em homenagem a Santa Rita, em 1846, teve o papel de reunir em torno de um mesmo culto e de uma mesma fé aquela gente do nascente povoado.

De 1840 a 1870, houve uma intensa corrente migratória para toda aquela área circunvizinha a Cássia.

A partir de 1865-66, época em que se elevou a freguesia, o incipiente povoado começa a se desenvolver. A pecuária extensiva, a partir daí, vai cada vez mais se desenvolvendo, até, poucos anos mais tarde, comandar toda a vida econômica, social, política e cultural da freguesia.

No ano de 1874, quando a freguesia ainda pertencia ao município de Passos, tem-se notícia da exportação de uma média de 10.000 reses por ano e 1.500 porcos. Dez anos depois, em 1884, o total de reses exportadas já havia aumentado para 15.000 cabeças ao ano, pois a região havia assumido a característica de produtora e pecuarista.

Em 1882, em 03 de janeiro, nasceu em Cássia, então Santa Rita de Cássia, Donizetti Tavares de Lima, que se tornará conhecido, em todo país e no exterior, por seus milagres na cidade de Tambaú, SP, principalmente entre 1954 e 1955. Faleceu em Tambaú, em 16/06/1961, onde foi pároco por 35 anos. Seu Processo de Beatificação se encontra em andamento no Vaticano, em Roma.

Em 1890, a freguesia foi elevada a vila, criando o município que se desmembrava de Passos. A cidade já havia prosperado muito. Neste ano, adquire dois distritos: Dores do Aterrado (atual Ibiraci) e Espírito Santo da Forquilha (atual Delfinópolis). Com esses dois distritos, o município passa a contar, em 1890, com uma população rural e urbana de 20.593 habitantes.

Foi elevada a cidade em 1892.

Existiam na cidade 600 prédios, 2 cadeias, 3 igrejas, 6 ruas principais, 10 travessas e 6 largos.

Surgiram mais dois distritos: Garimpo das Canoas (atual Claraval) e Dores da Ponte Alta, atual Babilônia. O município, incluindo os distritos, contava em 1907 com uma população total de 27.500 habitantes, assim distribuídos:

- Santa Rita de Cássia - 10.000 hab.

- Dores do Aterrado (Ibiraci) - 8.000 hab.

- Garimpo das Canoas (Claraval) - 4.500 hab.

- Espírito Santo da Forquilha (Delfinópolis) - 4.000 hab.

- Dores da Ponte Alta (Babilônia) - 1.000 hab.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Cássia localiza-se na região sudoeste do estado de Minas Gerais, fronteiriça com o estado de São Paulo. Faz limite com cidades de Ibiraci, Capetinga, Passos, Delfinópolis, Pratápolis e Itaú de Minas.

Na hidrografia, destaca-se a bacia do Rio Grande que banha a Usina Hidrelétrica Mascarenhas de Moraes e o local de travessia por balsa para a cidade de Delfinópolis.

A cidade apresenta um relevo bastante ondulado, com altitude média de 740 metros. Por vários anos Cássia foi vista como uma cidade "Comprida como uma Fita", já que se edificou principalmente em direção ao norte. Atualmente a cidade cresce num ritmo constante para as regiões leste e oeste, incorporando uma nova forma de urbanização e modificando seu mapa viário.

Os solos são arenosos a proporção de que o Cerrado predomina na vegetação local, e as florestas restringem-se às encostas e margens dos rios; visto que a cidade se localiza numa região de Cerrado e Mata Atlântica.

O clima é subtropical de altitude e ameno. No verão o clima é úmido, quente e agradável. A temperatura média anual é de 20,6 graus. A precipitação média anual é de 1690 mm concentrando-se principalmente entre os meses de dezembro e fevereiro.


Estrutura Urbana[editar | editar código-fonte]


Educação[editar | editar código-fonte]

  • Ensino Fundamental: 10
  • Ensino Médio: 02
  • Pré-escola: 12
  • Ensino Técnico: 01

Saúde[editar | editar código-fonte]

  • Hospital Público: 01
  • Hospital Privado: 01
  • Unidade de Pronto Atendimento: 01
  • Unidade Básica de Saúde: 09

Transporte[editar | editar código-fonte]

O Terminal Rodoviário de Cássia, localizado na região central da cidade, liga Cássia à cidades como Batatais, Belo Horizonte, Campinas, Capetinga, Delfinópolis, Divinópolis, Franca, Ibiraci, Itaú de Minas, Passos, Pratápolis, Ribeirão Preto, São Paulo, São Sebastião do Paraíso e Uberaba.

O Transporte público urbano é realizado por uma empresa, a Circular e a cidade ainda dispõe de duas centrais de Táxi no Terminal Rodoviário e na Praça do Fórum.

Cultura[editar | editar código-fonte]

A Secretaria Municipal de Cultura é a instituição responsável pelo estímulo e fomento às atividades culturais, artísticas e folclóricas de Cássia. Na área da literatura é destaque a Biblioteca Municipal Dr. Octávio Augusto Borges que reúne milhares de obras para o acesso livre aos cidadãos. O artesanato também é uma das formas mais espontâneas da expressão cultural cassiense. Em várias regiões do município se encontram oficinas e galpões responsáveis pela confecção de vasos, tijolos e filtros de água. Normalmente, essas peças são vendidas em feiras, exposições, lojas e exportadas para outras cidades.

Espetáculos de teatro e cinema são de grande importância da memória cultural da cidade. O clássico Cine Teatro Santa Cruz, inaugurado em 1949, ainda recebe público em diversas apresentações. Como cinema, atraiu no passado um público mensal de aproximadamente 90.000 expectadores. Hoje se encontra preservado com todo o aparato da sala de projeção originais da época e em algumas ocasiões ocorrem sessões para a população.

Há também o Coral dos Pequenos Cantores, fundado em 1972 pelo Maestro Heitor Combat. Em 1994 o coral se transformou em um centro musical atendendo centenas de jovens. O coral é conhecido nacionalmente e se apresenta em festas, cerimônias religiosas e congressos.

O carnaval de Cássia é considerado um dos mais famosos do interior do estado. A praça Barão de Cambuí se transforma num sambódromo e recebe por noite cerca de 15.000 pessoas. No passado, blocos competiam entre si por premiações, entanto, a partir da década de 1980 os Carnavalescos foram perdendo o desejo de competição. Também no fim dessa década, a população se concentrava em clubes como o famoso Clube Cassiense onde eram realizados bailes. Atualmente os desfiles acontecem com o princípio básico de divertir os foliões que por eles desfilam. Ocorrem shows todas as noites do eventos que é fechado e seguro.

A Casa da Cultura merece ênfase, lá é possível encontrar fotos, documentos, objetos antigos e doados pela população. Um verdadeiro e completo acervo responsável pela história da cidade.

Esporte[editar | editar código-fonte]

No final de 2013 foi criado o Conselho Municipal de Esporte e Lazer, com a finalidade de formular e implementar ações destinadas ao fortalecimento das atividades esportivas em Cássia. Segundo estatísticas, o município conta hoje com quatro campos de futebol, três centros esportivos, uma praça esportiva, um campo de malha, três ginásios municipais, uma pista de skate e esportes alternativos, além de campeonatos de futebol, ciclismo e corridas de motocross.

Religiosidade[editar | editar código-fonte]

Em Cássia são diversas as manifestações religiosas presentes na cidade. Embora tenha se desenvolvido sobre uma matriz eminentemente católica é possível encontrar atualmente na cidade dezenas de denominações protestantes diferentes, assim como a prática do budismo, espiritismo, entre outras. Também são consideráveis as comunidades das religiões afro-brasileiras. De acordo com o censo realizado pelo IBGE em 2000, a população cassiense é composta por: católicos (71,7%), evangélicos (16,2%), espíritas (3,2%), pessoas sem religião (2,1%) e os demais (6,8%) divididos entre outras religiões.

Ficheiro:Santuário de Cássia.jpg
Santuário de Santa Rita de Cássia

Igreja Católica Apostólica Romana[editar | editar código-fonte]

Segundo a divisão feita pela Igreja Católica, o município está situado na Diocese de Guaxupé, envolvendo além de Cássia, outras seis cidades do mesmo setor e 41 municípios no total. Em sua organização pastoral, está dividida em onze regiões e 84 paróquias. A sede da diocese é a Catedral de Nossa Senhora das Dores e em Cássia tem como paróquia a Matriz Santa Rita de Cássia sendo o Paróco Padre Sandro e Vigário Padre Ronaldo.


Igrejas Protestantes[editar | editar código-fonte]

A cidade possui os mais diversos credos protestantes ou reformados, como a Igreja Presbiteriana, a Igreja Metodista e diversos credos Evangélicos, como a Comunidade Evangélica Sara Nossa Terra, as Igrejas Batistas, as Igrejas Assembleias de Deus, a Igreja Universal do Reino de Deus, a Igreja Mundial do Poder de Deus, a Igreja Adventista do Sétimo Dia, a Congregação Cristã no Brasil, entre outras. Ainda existem também cristãos de várias outras denominações, tais como as Testemunhas de Jeová (que representam 1,22% dos habitantes).

Administração[editar | editar código-fonte]

Cidades irmãs:[editar | editar código-fonte]

Pontos turísticos[editar | editar código-fonte]

  • Colina de Santa Rita de Cássia
  • Santuário de Santa Rita
  • Casa da Cultura
  • Beira do Lago Nautico Club
  • Porto (Represa de Peixotos)
  • Praça Barão de Cambuí
  • Torre da Rádio Cultura AM
  • Estádio Municipal Pinto Neto

Rodovias[editar | editar código-fonte]

Distâncias

Filhos Ilustres[editar | editar código-fonte]

Comunicação e Mídia[editar | editar código-fonte]

Os principais meios de comunicação são a internet, as rádios, os jornais impressos, a televisão e as companhias de telefonia fixa e móvel.

As principais empresas responsáveis pela telefonia fixa na cidade são a Embratel e a Oi. Já a telefonia móvel fica a cargo da Vivo, Tim, Claro e Oi.

Os canais de TV de Cássia são:

Analógico Emissora Afiliação
06 EPTV Sul de Minas Globo
07 TV Paranaíba Record
13 TV Alterosa SBT
09 Band Triângulo Bandeirantes
21 TV Sudoeste TV Sudoeste
03 Rede TV! Rede TV!

As rádios localizadas em Cássia são:

Frequência Nome
105,9 Studio FM
1520 Cultura AM

Mais 16 emissoras FM são sintonizadas, porém estão localizadas em outras cidades.

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (2009). Mapa Político do Estado de Minas Gerais (PDF). Visitado em 8 de março de 2011.
  3. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Visitado em 5 dez. 2010.
  4. Censo Populacional 2010 Censo Populacional 2010 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Visitado em 11 de dezembro de 2010.
  5. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  6. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Visitado em 11 dez. 2010.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado de Minas Gerais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.