Círculo vicioso

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Círculo vicioso é uma sucessão, geralmente ininterrupta e infinita, de acontecimentos e conseqüências que sempre resulta numa situação que parece sem saída e sempre desfavorável, principalmente para quem se vê capturado por esse tipo de relação.

Em lógica, e na matemática, as definições impredicativas, nas quais a expressão definidora se refere a um domínio de que a expressão a definir é um elemento, são viciosamente circulares. Foi Henri Poincaré quem primeiro usou a expressão "cercle vicieux" na rejeição das definições deste tipo particular.1

Uma definição é viciosamente circular quando o termo a ser definido reaparece na definição, ou quando a noção que está a ser definida está implicitamente contida na definição. Um raciocínio é condenado como viciosamente circular quando a conclusão está indevidamente escondida nas premissas, ou é indevidamente necessária para se chegar à conclusão a partir das premissas. Um círculo virtuoso é uma definição ou um argumento cuja circularidade é irrelevante para o fim em vista. Nestes casos, ao contrário do círculo vicioso, o reaparecimento do termo é virtuoso na medida em que, apesar disso, tem um uso restrito, dependendo dos fins para os quais a identificação for necessária.2

O ponto de partida e a conclusão, carecem de demonstração. Um é demonstrado pelo outro, formando assim um círculo.

Referências

  1. Dicionário de Filosofia coordenado por Thomas Mautner. edições 70, 2010
  2. Simon Blackburn, Dicionário de Filosofia. Gradiva, 1997