Caproni Campini N.1

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Caproni Campini CC.2
Caproni Campini N.1
em exposição no Museo Storico dell'Aeronautica Militare em Vigna di Valle, Bracciano, Italia.
Descrição
Fabricante Caproni
(2 construídos)
Primeiro voo 27 de agosto de 1940
Missão protótipo
Tripulação 2
Dimensões
Comprimento 13,10 m
Envergadura 15,85 m
Altura 4,7 m
Área (asas) 36 m²
Peso
Peso total 3640 kg
Peso bruto máximo 4195 kg
Propulsão
Motores
  • 1x Isotta-Fraschini L. 121/R.C. 40, de combustão, radial, de 671kW (900 hp)
    * 1x termojato, 6.9 kN (703 kg), o motor a pistão movimenta o compressor de três estágios do termojato
Força (por motor) 6,8 kN
Performance
Velocidade máxima 375 km/h
Alcance bélico 500 km
Teto máximo 4000 m
Armamento
Metralhadoras Não possui
Mísseis/Bombas Não possui

Caproni Campini CC.2 (às vezes incorretamente referido como N.1) - foi um dos primeiros aviões de asas fixas com motor termojato.

Em 1931, o engenheiro Secondo Campini escreveu uma proposta para o Ministério da Aeronáutica Italiano, acerca do valor da propulsão a jato. Neste mesmo ano, fundou a V.E.N.A.R. - Velivoli E Natanti A Reazzione (Aeronaves e Embarcações à Reação) e, em conjunto com a "Costruzuine Mecchaniche Riva" de Milão, construiu em 1932, um barco de demonstração, movido a jato, que foi testado no trajeto Milão - Veneza, onde atingiu a velocidade de 28 nós (aprox 50 km/h).

O barco impressionou os representantes do Ministério da Aeronáutica, e em 05 de fevereiro de 1934, o Ministério da Aeronáutica, firmou um contrato com o Engº Secondo Campini, para a construção de dois protótipos e de um simulacro para testes estáticos.

Como a V.E.N.A.R. não dispunha das condições técnicas para tal desenvolvimento, a tarefa de construir as aeronaves foi entregue à "Societá Aeroplani Caproni" de Taliedo.

O avião projetado por Campini não possuía um motor a jato tal como concebemos atualmente. Especificamente, um motor convencional de combustão interna, o Isotta Fraschini L. 121/R.C. 40 670 kW (900HP), foi usado para movimentar um compressor a gás, o qual comprimia o ar para a câmara de combustão. O jato de exaustão produzido pela combustão impulsionava o avião. Campini chamou esta configuração de termojato.

O primeiro vôo se deu em 27 de agosto de 1940 como o piloto de testes Mário di Bernardi, num teste que durou 10 minutos.

O regime fascista de Mussolini fez grande propaganda sobre o feito, tendo a Fédération Aéronautique Internationale reconhecido, na época, como o primeiro vôo de uma avião a jato, muito embora estas honras tenham se dado uma ano após o primeiro vôo do Heinkel He 178, usando um motor turbojato real.

Depois da Segunda Guerra Mundial, um dos protótipos foi enviado ao Reino Unido para estudos, desaparecendo posteriormente, provavelmente destruído. O outro protótipo está em exibição no Museu aeronáutico de Vigna de Valle [1] em Roma e o protótipo de solo está no Museu de Ciência e Tecnologia em Milão.

Fuselagem em exposição.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre aviação, integrado ao Projeto Aviação, é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.