Catulo da Paixão Cearense

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Catulo da Paixão Cearense
Nascimento 8 de Outubro de 1863 (151 anos)
São Luís do Maranhão, Maranhão
Morte 10 de maio de 1946 (82 anos)
Nacionalidade Império do Brasil Brasileira
Progenitores Mãe: Maria Celestina Braga
Pai: Amâncio José Paixão Cearense
Ocupação Poeta, músico, compositor, relojoeiro

Catulo da Paixão Cearense (São Luís do Maranhão, 8 de outubro de 1863Rio de Janeiro, 10 de maio de 1946) foi um poeta, músico e compositor brasileiro. A data de nascimento foi por muito tempo considerada dia 31 de janeiro de 1866, pois a data original foi modificada para que Catulo pudesse ser nomeado ao serviço público.

Filho de Amâncio José Paixão Cearense (natural do Ceará) e Maria Celestina Braga (natural do Maranhão).

Mudou-se para o Rio em 1880, aos 17 anos, com a família. Trabalhou como relojoeiro. Conheceu vários chorões da época, como Anacleto de Medeiros e Viriato Figueira da Silva, quando se iniciou na música. Integrado nos meios boêmios da cidade, associou-se ao livreiro Pedro da Silva Quaresma, proprietário da Livraria do Povo, que passou a editar em folhetos de cordel o repertório de modismos da época.

Catulo da Paixão Cearense passou a organizar coletâneas, entre elas O cantor fluminense e O cancioneiro popular, além de obras próprias. Vivia despreocupado, pois era boêmio, e morreu na pobreza.

Em algumas composições teve a colaboração de alguns parceiros: Anacleto de Medeiros, Ernesto Nazareth, Chiquinha Gonzaga, Francisco Braga e outros.

Suas mais famosas composições são Luar do Sertão (em parceria com João Pernambuco), de 1914, que na opinião de Pedro Lessa é o hino nacional do sertanejo brasileiro, e a letra para Flor amorosa, que havia sido composta por Joaquim Calado em 1867. Também é o responsável pela reabilitação do violão nos salões da alta sociedade carioca e pela reforma da "modinha".

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Ontem ao luar, Murillo Araujo Editora Noite, Rio de Janeiro, 1951, 185 p, sua biografia.
  • Dicionário de curiosidades do Rio de Janeiro, A. Campos -Da Costa e Silva, s/data.
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.