Christiaan Eijkman

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Christiaan Eijkman Medalha Nobel
Medicina
Nacionalidade Países Baixos Neerlandês
Nascimento 11 de agosto de 1858
Local Nijkerk
Morte 5 de novembro de 1930 (72 anos)
Local Utrecht
Atividade
Campo(s) Medicina
Prêmio(s) Nobel prize medal.svg Nobel de Fisiologia ou Medicina (1929)

Christiaan Eijkman (Nijkerk, 11 de agosto de 1858Utrecht, 5 de novembro de 1930) foi um médico e patologista holandês.[1]

Embora Eijkman tenha sido enviado para a Indonésia para estudar o beribéri, a descoberta da causa foi acidental. Ele percebeu os sintomas em alguns frangos usados no seu laboratório, quando da alteração, temporária, da sua alimentação. Devido a problemas de saúde, Eijkman foi incapaz de continuar a sua investigação, mas um estudo realizado pelo seu amigo, Adolphe Vorderman, confirmou a ligação entre o arroz polido e a doença. Eventualmente, foi determinado que o elemento que estava em falta, e que, consequentemente, causava a beribéri, era a vitamina B1, tiamina. [2]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Eijkman foi o sétimo filho de um diretor de escola na cidade de Nijkerk. Com um ano de idade o seu pai foi nomeado para dirigir uma escola em Zaandam, onde Eijkman concluiu os primeiros estudos. Em 1875, ingressou na faculdade e, em 1883, formou-se médico pela Universidade de Amsterdã.[3] Logo em seguida, Eijkman trabalhou como médico do exército nas colônias holandesas no Arquipélago Malaio, onde permaneceu por dois anos. Foi nesse período que iniciou suas pesquisas sobre a causa do beribéri, doença causada pela falta de vitamina B1, e observou que a película do arroz continha uma substância capaz de curar a deficiência vitamínica. Esta experiência foi o primeiro trabalho científico sobre o conceito de vitaminas e sua importância. Além disso, Eijkman pesquisou aspectos ligados à fisiologia dos habitantes das regiões tropicais. [1]

Eijkman foi professor de Saúde Pública e Medicina Forense na Universidade de Utrecht, de 1898 a 1928. Em 1929, dividiu o Nobel de Fisiologia ou Medicina com Frederick Gowland Hopkins (1861-1947), por seus estudos sobre as propriedades das vitaminas. [1]

Casou-se duas vezes e teve uma filha. Morreu em Utrecht, em 5 de novembro de 1930.[1]

Referências

  1. a b c d PAULO, Lemos e MENDA, Mari Elizabeth. "Prêmio Nobel de Medicina: da Pesquisa à Conquista", pg. 45-46. Lemos Editorial. São Paulo (2001)
  2. Encyclopædia Britannica – "Christiaan Eijkman"
  3. Fundação Nobel – "Christiaan Eijkman – Biografia"

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Charles Nicolle
Nobel de Fisiologia ou Medicina
1929
com Frederick Hopkins
Sucedido por
Karl Landsteiner
Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Christiaan Eijkman
Ícone de esboço Este artigo sobre médicos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.